quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Mais uma aldrabice

Da fonte, para não haver dúvidas:

"José Sócrates pretende limitar as deduções fiscais dos mais ricos para poder aliviar a carga fiscal da classe média.

“É preciso aliviar a carga fiscal da classe média fazendo com que aqueles que são mais ricos possam deduzir menos naqueles que são os seus contributos para o Estado”. "É a nossa proposta-bandeira no combate às injustiças fiscais", afirmou o secretário-geral do Partido Socialista , durante a apresentação da moção "PS: A força da mudança", realizada ontem num hotel do Porto."

Hoje, no Parlamento, lá alinhavou a ideia esclarecedora sobre os tais "mais ricos". São os que ganham cerca de 5000 euros brutos, por mês, adiantou o primeiro-ministro, relacionando o seu caso pessoal. A uma pergunta, sobre se era rico, Sócrates respondeu: não.

Portanto, Sócrates pertence...à classe média.
Como a maioria dos tais "ricos" que vão aguentar mais outra carga fiscal, por limitação na dedução de despesas. Mais uma vez, sacrifícios para a classe média, com aumento da carga fiscal.

O que precisa uma pessoa destas? Juízo? Tino? Mais um pigmeu no governo?

Ou que lhe digam e repitam que é um acabado aldrabão?

9 comentários:

Anónimo disse...

A desculpa esfarrapada dada hoje tem sustentação na impossibilidade de quantificar esta medida, a apresentar e aprovar primeiro no congresso do PS, mas anunciada publicamente. No fim teremos o equivalente a uma esmola na forma de uns miseráveis três ou quatro cafés dados aos contribuintes como redução de impostos, para afrontar a crise, repare-se. Como não há números (haver há, mas não é conveniente divulgar), podemos recorrer à anterior medida bombástica, a da redução para metade do IRC das empresas, descido em 12,5%, de 25% para 12,5%. Acontece que essa descida é para os primeiros 12.500 euros. Assim sendo, esta fantástica oferenda que foi engolida por Portugal inteiro, incluindo os amontoados deputados da oposição que não utilizam calculadora, toma o valor de 12,5% * 12.500, o que dá exactamente 1562,50 Euros. O resultado será que o Estado Português apoia as empresas com lucros no valor de 130,20 Euros/mês. Pergunto qual é a empresa que se safa de uma crise desta dimensão poupando este valor, quando ainda por cima um empresário em nome individual, mesmo sem facturação, paga 300 euros mensais só pela segurança social e não pia. Isto não é uma medida, é mais um entretenimento encontrado para distrair todos aqueles a quem a anestesia não tenha já afectado a totalidade dos neurónios. Parece que estou a ver o José Sócrates no Conselho de Ministros a rir abundantemente e jocosamente com todos os seus ministros ao inventar e aprovar mais esta fórmula mágica para dar à manada de pintaínhos. Deve dar-lhes um enorme gozo. A mim daria.

Karocha disse...

Estive a ouvir o Pires de Lima.
O que ele disse só ouvido e visto!!!

Anónimo disse...

José,

Enganei-me no post anterior. Dá 15 cêntimos/mês de benefício por contribuinte, segundo Bagão Félix como calculado hoje no programa da SICN. Os "ricos" são 0,74% dos contribuintes (+-30.000).

Anónimo disse...

Karocha,

Onde está o vídeo? Ou foi repetição na TV?

Karocha disse...

Flash gordo

Eu tenho MEO e recomendo!
Gravei e está guardado, tudo o que é importante gravo e,fica guardado o tempo que eu quiser :-)

Segismundo disse...

Para quem não viu,eis a declaração falsa na AR,

http://tribunalsantooficio.com.sapo.pt/#fal

Tino disse...

Hoje sinto-me quase um "rico".

E eu que pensava que era apenas remediado?

-----------


O Direito Fiscal também não é o forte do Zezito.


O forte dele é mesmo moda: sapatos Prada, fatos Armani e luvas Freeport...

Segismundo disse...

Flash,aqui,

http://sic.aeiou.pt/online/video/informacao/Edicao+da+Manha/2009/2/antoniopiresdelimanoprogramadiad.htm

Anónimo disse...

Segismundo,

Obrigado!

Enguias à Isabel dos Santos