sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

O estado da Educação


Este "ofício" , picado daqui, foi remetido à presidente do conselho executivo da AE Território educativo de Coura, assinado em forma digital, pela directora da DREN, Margarida Moreira.

Talvez a velocidade de expedição tivesse trocado as voltas às palavras e virasse do avesso a sintaxe exigível num "ofício".
Seja como for, o "ofício" já é tema de chacota nos blogs. Merecida, aliás.
A directora da DREN, além do mais, já exerceu funções no ensino superior de...Educação e nos antigos magistérios primários. Em suma, ensinou professsores.
É licenciada em...Ciências da Educação. A sua nota curricular pode ser lida aqui.

E escreve como se pode ler, clicando na imagem.

7 comentários:

Tino disse...

Pensei que a senhora vinha do KGB, mas não se refere na síntese biográfica.

A prosa é de qualidade.

Colmeal disse...

Assim à primeira vista diria que esta "animadora carnavalesca" estava bem para o Santos Silva, juntavam-se dois "trauliteiros" manhosos e não se estragavam duas casas .... nem sei como esta gente consegue obter algum respeito dos seus pares, com estes feitios soviéticos ...

Fartinho da Silva disse...

Este é o VERDADEIRO drama no sistema de "ensino" português, as doutas criaturas que se "especializaram" na doutrina marxista-leninista das "ciências" da educação de que a bafienta criatura soviética faz parte!

Hoje as "escolas" e os "professores" trabalham para justificar o emprego destes estranhos personagens.

mir disse...

Tomara o ensino secundário e superior deste país ter sequer 10% da qualidade e exigência das escolas da época soviética... Se há diferença surpreendente nestas duas culturas provincianas e com fundo lastro autoritário (a tuga e russa), essa é justamente o facto de o regime soviético com o todo o seu verdadeiro totalitarismo nunca ter impedido uma excelente qualidade no ensino baseada, aliás, nas tradições pré-soviéticas... Perguntem aos profs franceses (que também têm os mesmos abencerragens Moreiras, Silvas e etecetara das Ciências da Educação) que descobriram agora as virtudes dos manuais de Matemática russos dos tempos soviéticos para tentar reformar e impedir a decadência do ensino na França... Mania esta tuga de falar do que não se conhece, mesmo quando se tem razão na crítica!

Colmeal disse...

Só para esclarecer que quando referi o "feitio soviético", obviamente que me estava a referir aos métodos de acção e propaganda e não ao sistema de ensino, que como é do conhecimento geral é muito superior ao nosso na maioria das áreas (na matemática então a diferença é abismal...)

Tino disse...

Oh mir

Só me referi à senhora que parece um agente da KGB, a perseguir Charruas e a ameaçar os professores de Paredes de Coura.

Não me referi às escolas da URSS que certamente funcionavam melhor do que a do engenheiro Sócrates e da socióloga do ISCTE.

Aliás, é difícil encontrar pior em qualquer parte do Mundo...

Josão disse...

É o, "soi-disant", fino recorte literário ? Ou é charada ? Apre!