domingo, 17 de maio de 2009

Cid no Sol

O cartoon de Cid, no Sol de ontem. Revisto e aumentado.

6 comentários:

Colmeal disse...

O Cid costuma ser muito acertivo. Este cartoon está excelente.
Só tem uma pequena falha ... não existe ninguém nas proximidades que dê uma fogachada no navio e o mande para o fundo ?

Em Off-topic:
José se tiver uns minutos visite este site :

Europrofiler
Respondemos a umas perguntas, e o site diz-nos qual a área politica/partido de que estamos próximos, em Portugal e na Europa.
O resultado final é apresentado sob a forma de gráfico e bastante completo.

Mani Pulite disse...

A Questão Chave neste momento é a publicação do Relatório das Pressões.Tudo se tornaria clarinho com a publicação e é por isso que está fechado a sete chaves.A Grande Golpada montada pelo trio Sócrates,Costa e Pinto Monteiro para lançarem a máxima confusão e aguentarem o Mota em troca do silêncio do homem acerca de onde vieram as ordens para pressionar os magistrados do caso Freeport,foi possível porque nem os membros do CSMP receberam o Relatório.Quem foram os membros do CSMP que colaboraram activamente nesta conspiração?É preciso sabe-lo e pedir-lhes responsabilidades também.Quem é que se opôs a esta manobra?Há uma acta que responda a estas questões?É verdade que a mulher do conhecido maçon Rui Pereira, Ministro da Administração Interna, participou intensamente nesta Golpada?

josé disse...

Tanto quanto julgo saber e em honra de Fernanda Palma que tanto critico aqui, devo dizer que foi ela quem se eximiu a decidir em CSMP o destino do inquérito, por entender que não tinha informação suficiente para tal.

Por essa razão, a decisão de instauração de processo disciplinar a Lopes da Mota, foi da exclusiva responsabilidade do PGR.

O CSMP ficou de fora dessa decisão que lhe deveria competir, por não conhecer o teor do Relatório.

Por isso, deve perguntar-se ao PGR porque não mostrou o Relatório: se foi por falta de confiança nos conselheiros ou por outro motivo qualquer.

É óbvio que o Relatório é fogo, porque se adivinha que lá tenham sido prestadas declarações sobre quem disse o quê e a quem.

Desconfia-se do ministro e do primeiro-ministro, mas isso não chega enquanto não se souber com exactidão o que ambos terão dito e feito, a este propósito.

E não são as declarações de Lopes da Mota que importam, mas as dos outros intervenientes, designadamente do juiz Carlos Alexandre e dos polícias da PJ.

Mais tarde ou mais cedo, saber-se-á. Pelo menos logo que concluido o processo disciplinar. O propblema é que a estratégia de defesa pode passar pela apresentação de milhentas testemunhas aqui e lá fora. E isso atrasará o processo para além das eleições.

É essa a estratégia e o PGR colabora nela, a meu ver. Mal, segundo julgo, porque isso pode custar-lhe o lugar, eventualmente.

josé disse...

Porém, nessa altura, Inês é morta.

A estratégia do PGR é de alto risco como o foi a de subtrair aos conselheiros que têm o dever de se pronunciar sobre essas matérias.

O voto de desconfiança no Conselho, não augura nada de bom e é a primeira vez que vejo uma coisa destas.

A situação é inédita e só me pergunto como é que um PGR decide fazer isto, contra o seu próprio CSMP.

Estranho, é o mínimo que se pode dizer.

Ruvasa disse...

Viva, José!

Estranho é uma forma delicada de dizer, evidentememnte.

Mani Pulite disse...

No seguimento de tudo o que está escrito atrás, quem quer que tenha acesso ao Relatório das Pressões tem o DEVER PATRIÓTICO DE O DIVULGAR por todos os meios.Da mesma forma, o Sindicato do MMP tem o dever de se pronunciar sobre tudo isto e nomeadamente acerca da bofetada dada pelo PGR ao CSMP,maioritariamente composto por magistrados do MP.Finalmente,todos os Portugueses devem exigir,em coro se necessário,ao PR que intervenha.As coisas só chegaram ao ponto a que chegaram porque Cavaco ainda não conseguiu perceber que o regime é semi-presidencialista e um Presidente cobarde é o pior que pode acontecer num regime dessa natureza.