sexta-feira, 15 de maio de 2009

Investigar os partidos

"O financiamento partidário e das campanhas eleitorais é um dos principais factores da corrupção"- José Carlos de Vasconcelos, na revista Visão de ontem.

Se isto é assim e são muitos a dizê-lo, há muito tempo, qual a razão específica de o Ministério Público nunca ter efectuado uma investigação neste domínio, apesar de algumas denúncias concretas que aparecem de vez em quando, inseridas em processos específicos e concretos, como por exemplo no caso Freeport?

Por que razão, a estrutura central do MP, ainda não organizou um inquérito para se erradicar esse factor importantíssimo de corrupção, com investigações concretas e consequentes aos partidos políticos e àqueles que se encarregam da recolha de fundos eleitorais?

Tem medo dos partidos e da partidocracia? Não tem meios, o MP, para isso? Há outras razões?

Além disso: é tolerável num Estado democrático que incidam constantes suspeitas graves, de corrupção pura e dura, sobre os partidos, sem que o MP actue em concreto?
Os partidos são redutos inexpugnáveis para a investigação criminal? Se não são, parecem.

É preciso saber.


4 comentários:

Mani Pulite disse...

Mais do que ter medo dos partidos o MP tem medo da Máfia Maçónica e da ditadura que ela instaurou em Portugal.Quando tiver a coragem de ir e investigar as Lojas Maçónicas,em especial as do GOL,ter-se-à iniciado o processo de libertação do Povo Português.

Rebel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rebel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rebel disse...

Se tem medo, não devia ter. Tomem os senhores delegados do MP como exemplo os colegas que denunciaram ter sido pressionados. Desculpem-me a expressão, mas há profissões e situações que exigem que não sejamos cobardes.
Quando tive muitos medos, arranjei cinco cães!