segunda-feira, 11 de maio de 2009

Tigres de papel

Entrevista do PGR, Pinto Monteiro, ao boletim de Abril da Ordem dos Advogados, agora distribuido:
Pinto Monteiro- "Quanto à criminalidade económica, é importante dizer que é a criminalidade mais difícil de investigar em toda a parte do mundo. Os nossos órgãos de polícia criminal não estão especialmente preparados para uma investigação tão sofisticada e a colaboração internacional nem sempre é fácil."
Boletim da Ordem dos Advogados-Também disse que o MP não estava preparado...
PM-Não é só o MP. Frequenta-se uma faculdade de Direito, o Centro de Estudos Judiciários. Onde é que há preparação de análise económica? Não há. O MP, a magistratura judicial e os órgãos de polícia criminal têm de ter a humildade de reconhcer que não estão preparados em vários casos."
Portanto, estamos assim como diz o PGR: quem deve investigar o crime económico não o sabe fazer, por falta de preparação técnica. Quem o deve julgar idem.
E quem fala em criminalidade económica, pode falar em criminalidade informática, ou médica, ou engenheira ou de outras áreas.
O que sabe um magistrado que sai do CEJ, de um curso anual ( equivalente a uma pós-graduação) depois de ter passado cinco anos numa faculdade a aprender que leis temos, quem as faz e como faz? Pouco mais que isso.
Aliás, no CEJ, alguém ensina a fazer investigação criminal seja de que espécie for? Alguém ensina a dirigir uma organização por pequena que seja, como é um tribunal e um serviço público como é o MP?
Ninguém. Portanto, temos o que merecemos.
Nos USA, no recente caso Madoff, no dia seguinte a sairem notícias sobre os desvios às regras, o suspeito era preso, ainda em pijama. Passadas poucas semanas era julgado ( porque aceitou os termos da acusação) e a sentença está para breve.
Madoff será menos complicado que o caso BPN ou BPP? Não é.
O que se torna complicado, por cá, é perceber o mínimo de certas coisas. E há quem não perceba o mínimo dos mínimos. Nem ao nível de diletantes chegam.
No outro dia, um magistrado do MP, numa conversa com um repórter da TVI, dizia a propósito do caso da Cova da Beira que decidira não fazer uma bsuca a casa de um suspeito que na altura era Secretário de Estado, porque não lhe parecera haver indícios suficientes para tal.
É caso para perguntar: perante o que o PGR Pinto Monteiro refere, como se pode aceitar assim, de ânimo leve, uma decisão dessas, pressupondo um conhecimento de facto e de matérias que aparentemente são de muito difícil investigação? E como é que se pode desvalorizar o que a polícia sabe sobre o assunto?
Mais: como é que uma decisão dessas pode ficar assim explicada?

7 comentários:

lica disse...

Em casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão” Isto de mexer em reservas mínimas e associar o crédito fácil ao socialismo, além de pura demagogia é ver o copo meio cheio…
Mexam nas taxas de juro, nas reservas mínimas, nacionalizam-se bancos…no final quem vai pagar a conta vão ser sempre os mesmos.
Quando milhões de pessoas entregarem as suas casas aos bancos perdendo muitas vezes investimentos de muitos anos de vida, de muito trabalho, e por sua vez os bancos as leiloarem por tuta e meia a gananciosos tubarões que estão prontinhos para adquirir para de seguida, segundo tese liberal, estimular o mercado de arrendamento com rendas absolutamente especulativas.
Estas e outras reforams do género avizinham-se a uma velocidade mais rapida do que muita gente pensa.
A pergunta do momento não pode ser outra que não esta:
ONDE É QUE ESTÁ O DINHEIRO?
Ninguem faz esta pergunta?
O que é que aconteceu concretamente para os gigantes da economia de um ano para o outro falirem?
O que é que aconteceu???
Toda a gente levantou os seus depósitos e decidiu guardar o dinheiro em notas debaixo do colhão e os gigantes ficaram sem liquidez?
Foram assaltados pelo Joker e o Batman não veio salvar!!
Ardeu o cofre?
Perderam-se notas?
Alguem veio cobrar as dívidas todas de uma vez?
Perguntas a que nenhum especialista responde.
Agora vamos muitos de nós pagar a crise que mais se devia chamar a asneira, o erro, a estupidez e a ganancia.
Quando é que se vai reponsabilizar criminalmente a má gestão?
Agora que chegamos a este ponto resta saber se ainda ha quem acredita neste modelo de economia de casino que, como em qualquer casino nem toda a gente entra, e dos que entram poucos ganham…
E se alguem acredita que 700 mil milhões vão salvar o mundo está redondamente enganado… Só vão servir para o afundar ainda mais…
Se houver Céu, e nesta altura até gostava que houvesse, Marx, Engels e muitos outros devem-se estar a beber um bom vinho e a rir às garagalhadas a dizer…”Nós avisamos, nós avisamos”

Karocha disse...

José
Essa sua pergunta, não pode ficar sem resposta!

Roldao
Se quiser vá ao blog do meu filho,que ele responde às suas duvidas...

sublegelibertas.wordpress.com

Fernando Torres disse...

Quando as pessoas não investigam porque lhes "parece" que não há indícios, está tudo dito...

Wegie disse...

É o SISTEMA AXIOLÓGICO-NORMATIVO.

joserui disse...

ONDE É QUE ESTÁ O DINHEIRO?Respondo-lhe parcialmente: Muito nunca existiu. E mesmo que existisse em papel, não havia riqueza produzida que o sustentasse. Por esta altura julgava que isso seria já evidente. -- JRF

Laoconte disse...

realmente, merecemos ter este PGR se aceitassemos essa logica de "determinismo subjectivo".

Zé Luís disse...

"E quem fala em criminalidade económica, pode falar em criminalidade informática, ou médica, ou engenheira ou de outras áreas".


Quis armar-se em especialista no futebol e o Apito... engoliu-o.

Mas lá que se esforçaram, esforçaram...