Páginas

domingo, 27 de setembro de 2009

As eleições legislativas

O PS ganhou. O PSD perdeu.
José S. ganhou outra vez a oportunidade de continuar a aldrabar. Desta vez em maioria simples.

A derrota do PSD deve ser imputada a quê, exactamente? Entre todos os palpites que por aí virão, nos media, uma coisa parece certa: Ferreira Leite e quem a acompanha, não conseguiram convencer sequer o eleitorado que neles votou há escassos meses, para as europeias, de que eram uma alternativa a este José S.

O que falhou na campanha destes últimos 15 dias, após as primeiras sondagens? Falhou o essencial: contrapor à campanha do partido que agora venceu, a dinâmica de vencer, convencendo os eleitores de que tinham melhores propostas de governo e melhores figuras para um elenco de governo.
Falharam. Saiam.

16 comentários:

O JUSTICEIRO disse...

A resposta é muito simples:

- Como é possível alguém propagandear uma política de verdade e depois, na prática, colocar nas suas listas de deputados indivíduso como Preto e Helana Lopes da Costa?
- Como é possível alguém propagandear uma asfixia democrática e depois o Sr. Aníbal do Poço de Boliqueime vem demonstrar, por actos, que tudo é mentira, só para agrdara ao eleitorado de esquerda e procurar assegurar a sua reeleição ( impossível )?

-Que alternativas tinha o PSD? Passos Coelho, um indivíduo oco, vazio de conteúdo?????

Enfim, temos os políticos que merecemos....

Só quero ver como irão os tribunais funcionar daqui em diante quando, na prática e estas eleições demonstram que o povo quer isso, se protegem os grandes corruptos, pedófilos, etc...

josé disse...

Concordo com o diagnóstico.

joserui disse...

Com o devido respeito, o senhor presidente da república sempre foi um fuinha e um sonso. Sonso demais para o meu gosto. E influenciou os resultados com os seus actos.
Mas numa campanha dos tais casos, com a comunicação social que temos, o jornal da TVI silenciado, o Público de rastos, só a voz do PS passou. Num país normal, os casos do PSD não apagavam um cv como o do senhor Sócrates. Há matéria neste indivíduo (e neste PS) para décadas de campanhas e nada se ouviu.
Depois há também a admiração que muitos portugueses nutrem pelo expediente, pelo facilitismo e a pura chico-esperteza. Basta andar na rua. Quem dera a muitos portugueses ter o curso como o do senhor Sócrates, se isso lhes possibilitasse uma subida de escalão.
Este indivíduo não choca a maioria das pessoas, essa é que é a verdade. Vivem bem com ele.

joserui disse...

Dito isto, pensei bastante no assunto e não tive em quem votar. O panorama é uma miséria. Isto é uma democracia doente, uma república em suporte de vida. -- JRF

Das divergências e convergências disse...

Que exagero!!!

Das divergências e convergências disse...

Em Portugal infelizmente nã há melhor que Sócrates. É dificil perceber isso?

Fartinho da Silva disse...

E a comunicação social... venceu as eleições!

Deixou o Bloco de Esquerda falar à vontade, transmitiu todas as ideias do partido e com isso foi possível verificarmos a transferência de 5% dos votos do BE para os socialistas. Deixou o CDS falar à vontade, transmitiu todas as ideias do partido e com isso foi possível a transferência de
5% de votos do PSD para o CDS! E claro, a comunicação social não permitiu que os portugueses percebessem as ideias do PSD! Houve apenas ruído, casos e mais casos e com isso ninguém percebeu nada!

Desta forma, só posso dizer: Parabéns à comunicação social pela dívida pública atingir os 106% do PIB, parabéns à comunicação social pelo défice atingir os 7% do PIB, parabéns à comunicação social pela dívida do país (estado, famílias e empresas) atingir os 138% do PIB, parabéns à comunicação social pela taxa de desemprego real atingir os 11,5% da população activa, parabéns à comunicação social por dentro de 10 anos as reformas dos portugueses que entretanto a venham a obter atingir 55% do último salário, parabéns à comunicação social pela taxa de crescimento do país continuar a ser a mais baixa da Zona Euro!

Enfim...! Temos o que merecemos!

Quanto aos portugueses, por favor, não se queixem mais!

Karocha disse...

O meu rapaz disse "cada povo tem o governo que merece" Respondi- lhe uma asneira José

zazie disse...

"o senhor presidente da república sempre foi um fuinha e um sonso".

ehehe

É mesmo isso.

Mas deve ter sido a Ferreira Leite que foram buscar por estupidez.

A verdade é que o CDS subiu e bem, não pode ser só desgraça.

":O)))

zazie disse...

O BE é o tal fenómeno que o Manel da GL já previa e que eu não julgava possível.

De facto, quem são os idiotas que tornam a votar no trafulha e ainda dão votos àqueles comunas fracturados do BE?

Não sei. Mas não me admirava nada que os professores estivessem no grupo.

O funcionalismo público precisa disto.

zazie disse...

Precisa e gosta e os pobrezinhos é que têm as costas quentes.

zazie disse...

De qualquer forma com a MFL bem podem limpar as mãos à parede.

E até tiveram muito mais votos só por causa do inginheiro.

Por ela apenas ainda batiam mais no fundo.

Mentiroso disse...

A Manela tem sido um manancial de contradições. A culpa não é só dela, pois que o governo se apossou da grande maioria das ideias anteriormente anunciadas pelo PSD e aplicou-as, deixando-o sem pio.

Por isto não se compreende que os adeptos do PSD incriminem o PS de seguir as pegadas do PSD, mas compreende-se bem por que este não consiga afirmar-se.

analisando os discursos da Manela at+e nos admiramos por ela não ter conseguido afundar o partido ainda mais.

Eugenio disse...

Li atentamente os diversos post e cheguei a uma conclusão. Os meus amigos não conseguem ler os resultados eleitorais. O grande vencedor do acto eleitoral tem um nome "Partido dos ausentes" vulgo abstenção. Este partido com a conivência do homem dos "Tabus" conseguiu a maioria relativa dos votos.Venham dizer-me que o seu resultado tem como base um voto de protesto. A classe média oportunista e irresposável ganhou por falta de comparência, por puro comodismo e laxismo.
Vejamos os grandes derrotados deste acto eleitoral foram:
O PSD que por falta de estratégia e de verdadeira alternativa política consistente se deixou enredar em casos. Se assim não fosse a propósito da "Asfixia Democráctica falava do Caso Charrua na DREN e no caso TVI.No caso das grandes decisões de obras Públicas argumentava com a situação financeira do país que já está de novo sobre a ameaça de Bruxelas de Deficit excessivo e também as loas que vêem do outro lado da fronteira, com regozijo pela vitória socretina vai possibilitar o desenvolvimento deles e o empobrecimento de Portugal.
O PS que com um "passe de mágica" transforma uma derrota em vitória. Perde 500.00 votos numa conjuntura em que o nº. de eleitores aumenta em cerca de 600.000, extraordinário.Uma maioria absoluta passa a relativa e embandeiram em arco. Só num país de conformistas é que isto acontece. Temos uma comunicação social (com complexos de esquerda e subserviente) e uns analistas políticos miseráveis.
Os vencedores efectivos destas eleições foram:
O CDS que consegui conquistar votos ao PSD e junto dos novos eleitores.
O BE porque não só "roubou" votos ao Ps e à CDU, bem como foi buscar votos aos novos eleitores por força de propostas fracturantes tão ao gosto da juventude inconsciente e irreverente. O tempo há-de mostrar-lhes, aos jovens, que o mundo da fantasia e do faz de conta tem os dias contados.
Portugal precisa de uma Reforma urgente do sistema jurídico-constitucional. Um regime presidencialista forte e acabemos de vez com as citações marxistas de caminho para o socialismo. Democracia representativa sim mas com outras formas e respeito efectivo pela "Vontade do Povo" que se esconde a coberto de uma liberdade que não sabe gerir. É urgente o voto electrónico e obrigatório para que sejamos mais responsáveis. Aí veríamos se o povo é de direita ou de esquerda. Têm dúvidas que a abstenção favorece a Social Democracia?

Maria disse...

A abstenção, a meu ver, não pode ser entendida como uma posição crítica sobre o sistema político actual e seus principais operadores : os partidos.
Pelo contrário,
a abstenção revela o desânimo, a descrença, a incapacidade de luta e de reacção do povo português.
Um povo que neste momento não acredita em ninguém.
Tem sido humilhado na sua condição a vários níveis.
Vilipendiado na sua essência tantas vezes, como homem, como pai, como cidadão.
Clamando por uma justiça de valores aparentemente sempre desencontrados com os instituídos.
Um povo que já provou dos " remédios " e já conhece bem os meios, os recursos e o verbo de cada um dos partidos portugueses.
Cansado de promessas para o que todos se mostram hábeis, votar para mudar o quê ? Como? Através de quem e de que meios ?

Vissem os portugueses a "luz ao fundo do túnel" pessoalizado em alguém ou num grupo de cidadãos verdadeiramente determinados a trabalhar pelo bem comum e que verdadeiramente para isso se mostrassem capacitados e logo veríamos se "o grande partido abstencionista" não se mobilizaria em força por um Portugal que merecemos e desejamos!

Apesar de tudo, e com o que temos, deixo aqui uma palavra de ânimo aos muitos portugueses que neste momento vivem pelos mais variados motivos, uma contingência de consternação e tristeza.
Não podemos esquecer nunca as palavras proferidas por Helen Keller que valem hoje de maneira especial para cada um de nós :

"Eu sou apenas uma.



Todavia sou uma.



Não posso fazer tudo, mas posso fazer algo.



Não recusarei aquilo que posso fazer ..."

MARIA disse...

Caro José,

Há alguns dias que não me é dada a possibilidade de deixar neste espaço que aprecio especialmente nota da minha passagem por aqui.
Por isso antes de mais permita-me saudá-lo, bem como aos comentadores que tenho já na conta da amizade, ainda que com este cariz particular da "virtualidade".
E agora,
depois destes resultados eleitorais,
pergunto a ti Portugal,
que serás ?...

Permita-me ...

À minha maneira ...
:::
http://www.youtube.com/watch?v=3ATpthYZ3rU

***
(não encontrei versão portuguesa :-)