Páginas

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O aferidor


Lisboa, 16 Set (Lusa): O empresário José Manuel de Mello faleceu esta madrugada, vítima de doença prolongada, anunciou, em comunicado o Grupo Mello.
Descendente de uma família de industriais, José Manuel de Mello nasceu em Cascais no dia 8 de Dezembro de 1927, teve 12 filhos e começou a trabalhar cedo nos negócios da família, o Grupo CUF, fundado pelo seu avô Alfredo da Silva.
Antes de 1974, partilhava com o seu irmão Jorge a liderança do Grupo CUF. Transformou a Casa Bancária José Henriques Totta no Banco Totta & Açores, fez a fusão da Companhia Nacional de Navegação com a Sociedade Geral, foi responsável pela expansão da Soponata, fez a fusão das seguradoras Império/Sagres/Universal e fundou a Lisnave.

A verdadeira clivagem entre a direita e a esquerda, ideologicamente, pode fazer-se com este assunto e com o modo como cada um organiza mentalmente as ideias sobre o papel de José Manuel de Mello na sociedade portuguesa.
Pergunte-se ao PCP e ao BE ( e demais extrema-esquerda) o que pensa disso, levando em conta declarações passadas e recentes. Pergunte-se ao PSD, PS e CDS de igual modo e comparem-se os resultados.

6 comentários:

atrida disse...

Não esquecer as suas equívocas palavras sobre "fazer-se a Ibéria".

josé disse...

"O capital não tem pátria."

Belmiro não pensa diferente.

josé disse...

E o "internacionalismo proletário", aliás, também não.

O facto de Cunhal ter levado para Moscovo arquivos da PIDE, só por si, permitem demonstrar essa asserção e a falta de patriotismo ligada à nação.

Wegie disse...

José: Estas a precisar de um aggiornamento. O Komintern já lá vai há muito tempo. A quem obedece esta gente agora?

josé disse...

Ao mesmo dono: a Grande Utopia. No fundo, a loucura da comédia humana.

Wegie disse...

Não está mal visto. Um patrão menos certo do que Estaline. Mas tão mortífero.