domingo, 31 de outubro de 2010

Ideias com crédito mal-parado

Fernanda Palma, " Professora Catedrática de Direito Penal" escreve hoje no Correio da Manhã sobre as causas de aparecimento de crimes em sociedade imersas em crises económicas.
Numa sociologia de pacotilha embalada em três citações ( Merton, Lagrange e Cantor), alcança o alibi para poder escrever o que lhe interessa ideologicamente:

"É duvidoso, por conseguinte, que uma agravação das penas seja factor determinante para inibir da prática do crime quem vive numa situação de exclusão de oportunidades e de falta de motivações."

Portanto, nada de penas duras que nada adiantam neste caso. O Humanismo é o pai do laxismo e a displicência dos poderes públicos face à criminalidade é uma matriz que já vem de Maio de 68. Por isso é que a Esquerda retórica e folclórica continua a ser a mesma.

Pelo meio do artigo expende esta pérola fantástica de raciocínio lógico que até me aturdiu:

"Em sociedades autocráticas, não há taxas de criminalidade elevadas porque, sem liberdade de imprensa e com privilégios para certas classes, o crime não é visível. "

Fabuloso, para uma professora catedrática de Direito Penal que escreve sobre as coisas que observa, através de autores que cita, neste caso sem ideias próprias, a não ser essa.

6 comentários:

Floribundus disse...

estive na ENS no rescaldo de 68 revolução que, segundo o marketing farmacêutico, serviu apenas os seus interesses ao divulgar a pílula anticoncepcional.
lia o Rouge trotsquista onde Alain Krivine dizia concorrer às eleições burguesas para saber quantos ainda eram adeptos duma causa sem ideias.
um dia, nos tempos do psr, vinha o seu presidente e um fotógrafo a perseguir um juiz na Av da Liberdade. o juíz parou junto de mim quase sem poder respirar. os outros regressaram à base.

lusitânea disse...

No post seguinte dá a ideia do que "roubam" essas humanistas administrações socialistas aos pobres indígenas e não só, porque o mundo é um só, para eles.No tempo da outra senhora não havia esta ladroagem e os perseguidos eram só os adeptos de massacres e de ditaduras do proletariado...
Bons tempos em que se podia passear por qualquer ponto do território nacional a qualquer hora do dia ou da noite em completa segurança.Coisa que o maridinho da senhora nunca vai conseguir...e sem complexas organizações como agora!

Choldra lusitana disse...

Essa Fernandinha tem que se lhe diga.Foi minha professora nos idos 80 (83-84) e ja se lhe conheciam as tendencias fascistoide-esquerdistas.Uma nazi disfarcada de gauche-caviar.O casamento com o traste do marido acentuou ainda mais essas tendencias.Ficam bem um para o outro e para a esquerda que dizem representar.Pena que se tenha aboletado com uma sinecura no Tribunal Constitucional,fazendo frete ao partido que a sustentava.Hoje,o sustento continua nas paginas onde pode discorrer livremente os dislates juridicos de alto coturno filosofico.Uma nodoa!

Mani Pulite disse...

O PEREIRA JÁ CONSEGUIU PAGAR A DIVISÃO BLINDADA DO GOVERNO CIVIL DE LISBOA?OU FOI TUDO A CRÉDITO E ESTÁ MAL PARADO?

joserui disse...

Sem recorrer ao vernáculo, não há melhor descrição para a miséria instalada do que "esquerda folclórica". Diz tudo. -- JRF

100anos disse...

Quando não há vergonha, o mundo é todo nosso.