sexta-feira, 29 de abril de 2011

O conto do vigário

O programa eleitoral do PS é um novo conto do vigário. Mostra aos portugueses o seu vigésimo premiado: o PEV IV. E que não se pôde aplicar porque a malvada oposição subtraiu ao aflito e empenhado governo a possibilidade no último instante, fechando-lhe a porta na cara. Mas o PS precisa de novo fôlego para aplicar esse vigésimo que sendo premiado será pago aos eleitores depois das eleições.

Por isso mesmo só pede uma coisa: que lhe dêem os votinhos necessários e que são de graça, não custando nada a ninguém.

Os crédulos e néscios cairão na esparrela e no fim pagarão a conta do que lhes era prometido como gratuito...

3 comentários:

JC disse...

Como é que alguém pode acreditar que "com o PEC IV é que era" quando depois de um PEC I - que foi dito que nunca seria necessário - veio um PEC II, que depois do PEC II - que, este sim, resolvia os problemas todos - veio o PEC III e que, 3 meses depois do PEC III - este é que era - já nos queriam impingir o PEC IV?

Como é possível acreditar nisto?

Quantas vezes é possível enganar tanta gente?

Será que o embuste e o engano, por serem de tal modo descarados, e ditos por quem era suposto cuidar bem do País, convence a multidão?

JC disse...

Já tenho resposta à minha pergunta.

Tinha-me esquecido da preciosa colaboração da comunicação social na propaganda oficial.

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/tv--media/forum-polemico-na-tsf

zazie disse...

Pois é, mas tenho outros feedbacks que dizem assim: "foi a Grécia, somos nós e mais ainda está para vir".

Portanto, sendo a crise internacional e a zona euro aparar para não ficar em causa.... é a evolução na continuidade o mais seguro.

A viagem da Apolo 11 nos media