quarta-feira, 13 de julho de 2011

jockeys

Sapo:

Em dois anos, quatro administradores dos Correios de Portugal (CTT) percorreram, nos carros de serviço, o número total de quilómetros previstos para quatro anos. A despesa extraordinária será paga pela empresa.

A notícia é avançada pelo jornal i, que indica que a derrapagem na quilometragem dos três Audi e um Mercedes vai custar à empresa, do qual o Estado é o maior accionista, 76 300 euros, mas 12 900 do que estava previsto.

Segundo fonte citada pelo jornal, o valor da derrapagem será pago pelos CTT e não pelos administradores, contrariando as normas internas que indicam que quando um funcionário ultrapassa a quilometragem permitida do seu carro de serviço, responsabiliza-se pelo pagamento dos quilómetros em excesso.


Os administradores visados são autênticas bestas de carga postal em vez de jockeys dos cavalinhos rompantes. As viagens de carroça motorizada pela tecnologia alemã, substituindo os jericos de outrora são um fardo para esta gente. Aliviem-no!

CTT:

Dirigentes
Presidente: Dr. Estanislau José Mata Costa
Eleição: Assembleia Geral de 28/04/2008

Vice-Presidente: Eng. Pedro Amadeu de Albuquerque Santos Coelho
Eleição: Assembleia Geral de 28/04/2008

Vogal: Dr. Marcos Afonso Vaz Baptista
Eleição: Assembleia Geral de 28/04/2008

Vogal: Eng. Carlos Jesus Dias Alves
Eleição: Assembleia Geral de 28/04/2008

Vogal: Dr. Duarte Nuno Lopes Reis Araújo
Eleição: Assembleia Geral de 28/04/2008


Natureza / Denominação
A sociedade adopta a forma de sociedade anónima e a denominação CTT – Correios de Portugal, S.A., abreviadamente CTT, S.A.

Missão / Objecto
O objecto social dos CTT – Correios de Portugal, S.A., consiste em:
a) Assegurar o estabelecimento, gestão e exploração das infra-estruturas e do serviço público de correios;
b) O exercício de quaisquer actividades que sejam complementares, subsidiárias ou acessórias das referidas na alínea anterior, bem como de comercialização de bens ou de prestação de serviços por conta própria ou de terceiros, desde que convenientes ou compatíveis com a normal exploração da rede pública de correios, designadamente a prestação de serviços da sociedade de informação, redes e serviços de comunicações electrónicas, incluindo recursos e serviços conexos.

1 comentário:

Floribundus disse...

vou verificar se entregam a correspondência num audi ou num mercedes

'é fartar vilanagem'