sexta-feira, 12 de agosto de 2011

As sementes de destruição da economia portuguesa

Pedro dos Santos Guerreiro um dos novos gurus mediáticos escreve hoje no Jornal de Negócios sobre os velhos ricos que Portugal tem e que vivem num mundo de ilusão, este Verão. Escreve assim:

Esta lista dos mais ricos de Portugal é um monumento à decadência do capitalismo português. Ao listar apenas o património, mede-se a opulência. Ao ignorar as dívidas, ocultam-se os caídos. Metade dos magníficos empresários Dr. Jekyll transformam-se à noite em endividados Mr. Hyde. Só não estão executados porque em Portugal há muito respeitinho - e porque uma dívida grande não é um problema do devedor, é um problema do credor.

A semente da destruição está numa elite capitalista sem capital. Em parte porque foi expropriada em 1975 com fracas indemnizações depois. Noutra parte, porque foi recebendo dividendos na Suíça e distribuindo pelas famílias. Depois, porque nunca quis abdicar do controlo de 10 em vez de partilhar 100 (o medo de ter sócios..., sobretudo se forem - credo! - estrangeiros). E finalmente: porque há muitas empresas grandes mal geridas.

Repare-se na afirmação que não é inédita e já a tenho por aqui glosado noutros termos: "A semente da destruição está numa elite capitalista sem capital. Em parte porque foi expropriada em 1975 com fracas indemnizações depois."
Se esta afirmação for inteiramente verdadeira, o que em economia é sempre discutível, ainda mais que no Direito, os fautores da nossa desgraça foram...os comunistas e os socialistas.
A lógica é de tal modo implacável que não vejo porque não se denunciam tal e qual como devem ser.
E os pascácios/as que andam por aqui a semear aleivosias apodando os outros de alarves poderiam muito bem ser os primeiros a aprender- calando-se cheios de uma vergonha que não têm.

4 comentários:

José Domingos disse...

Excelente. Nem mais. Não é só a esquerdalha, do estado social, a culpada, do estado em que estamos.A grande maioria dos gestores portugueses, são mal formados, convencidos, que o trabalhador, que contractou, é um malandro. Alguns, ficaram autenticos negreiros, além de mal formados, mal educados, uns labregos, que só pensam, em roubar o trabalhador e o estado, dinheiro para o mercedes e passar a imagem de um pilar moral da sociadade.

Floribundus disse...

em Abril de 74 tinha umas acções obtidas no rateio das emissões que n-ao consegui vender antes de 25.
passado anos quiseram dar-me uma esmola.
pedi os papeis e forrei uma cagadeira existente numa propriedade fora de portas

trabalhei no marketing duma em presa americana cujo lema era
'vender merda com sabor a merda'

as vendas compreendiam 13 meses,
os custos incluiam 11 meses

as acções desvalorizaram este ano 54%. em vez de tomar uma bica compre 2 acções do millenium. este vale menos que o jerónimo martins.
além das mercearias há as rolhas ...

o mais grave é que falta tecnologia

Camilo disse...

E que tal, a ida do Santana Lopes para a... Santíssima Casa da...

zazie disse...

Desde quando a Santa Casa da Misericórdia é santíssima? se calhar desde que foi laicizada pelo marquês.

Toda a gente tem a mania de dizer este disparate. Até o Daniel Oliveira uma vez teimou comigo que a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa é da "ICAR". E nomeiam provedores por partidos...