terça-feira, 16 de agosto de 2011

Isabel Moreira há oitenta anos atrás

Isabel Moreira, filha de Adriano Moreira em entrevista ao i de hoje, diz coisas extraordinárias. A mais interessante é saber que sendo filha de um conservador que ajudou a fundar o CDS e foi ministro de Salazar, comungando algumas ideias coporativistas do Estado Novo e apoiando activamente a política, não seguiu as pisadas ideológicas do pai. Provavelmente tem do salazarismo e do Estado Novo uma ideia absurda que o pai não conseguiu desfazer. A filha de Adriano Moreira que admira o pai ( "Ele faz análises absolutamente brilhantes do país e da situação do país sobretudo tendo em conta o contexto internacional, que é uma coisa que pouca gente faz. Tentando ser objectiva, tem uma lucidez enorme", diz na entrevista, não entende o que o pai significou e a política que serviu nem a ideologia que abraçou. Apostatou essa herança e quem não sai aos seus...degenera como é bom de ver a contrario.
Eppure:

Não me lembro de não gostar de política por isso não sei como surgiu isso de gostar de política. É verdade que cresci numa casa em que a política esteve sempre presente. Isso foi uma influência determinante mas o facto é que acabei por tirar o curso de Direito e escolhi a área de direito público

Em todas as entrevistas me perguntam ou como é que o meu pai viu a minha entrada nas listas do PS ou como viu a defesa do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Fico espantada por isso causar tanta curiosidade - é um bocadinho sinal de pouca evolução dos tempos. Parece-me tão natural que numa família possam existir diferenças ideológicas que quando fui confrontada com perguntas a esse respeito, fiquei espantadíssima. Isso nunca foi uma questão, é de uma naturalidade avassaladora. O meu pai estava na primeira fila da apresentação do livro sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Faz o que todos os pais normais fazem e eu faço o que todas as filhas normais fazem: apoiamo-nos mutuamente. No fundo temos as mesmas preocupações mas soluções diferentes. É só isso.

Isabel Moreira adoptou o jacobinismo como cartilha militante e por isso, entende a divisão esquerda/ direita mais ou menos assim, quando lhe perguntam algo sobre José Sócrates:

Foi um bom primeiro-ministro, corajoso e que enfrentou imensas dificuldades. Em comparação com Passos Coelho sofreu um duplo padrão em relação à direita.

Para comprovar o destino jacobino, apresenta-se assim:

Há várias coisas que gostava que fossem aprovadas. Qualquer pessoa que me conhece sabe que gostava de ver aprovada a adopção por todas as pessoas e que fosse possível a uma mulher conceber um filho sem necessidade de ter um parceiro, como acontece em Espanha. Mas são batalhas que levam o seu tempo e, a partir do momento em que há uma maioria de direita, há coisas que não vale a pena apresentar como proposta de lei sob pena de inscrever num caminho de vitórias uma derrota.

E apesar de ser formada em Direito, constitucionalista, parece não saber tirar as ilações do que vai observando pelo mundo. Adoptou a cartilha de esquerda mas não percebe que foi essa mesma doutrina que provocou directamente o que observou assim, como um poema turístico:

Mas Havana é um poema. A miséria é horrível, a forma como escondem isso com propaganda é terrível, mas as pessoas, quando se consegue chegar a elas, estar lá o tempo suficiente para ir jantar a casa de um cubano, conhecer a história deles e eles sorrirem apesar da miséria...

Talvez seja mesmo verdade o que afirma no início da entrevista:

"Tenho uma mente de há 80 anos atrás" . Claro, no rescaldo do tempo do jacobinismo puro e duro.

12 comentários:

Wegie disse...

Nada má. Comia-se com batatinhas. Melhor que as mãozinhas de baca...

zazie disse...

O que é que ela não vai conseguir fazer com o dedo?

":O?

josé disse...

Provavelmente é apenas uma filha da mãe porque pensa no tempo antes do pai.

Floribundus disse...

o ps temsido o guarda chuva e sol de muito seminarista, filho de padre, fascista, adepto de Mengel, Eichman, estaline.

em 1971 convivi muito com a Margot na Casa do Brasil da Cité. esta Prof Baiana de direito confessou ter vivido em Madrid nos anos 50 com o 'Adriano'. após o 25 do IV o dito cujo esteve a dar aulas na universidade de Salvador.

Gallagher disse...

Cá para mim, que não sou de intrigas, acho que a mãe da senhora pregou a partida ao pai.

Karocha disse...



AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAH!!!

Wegie disse...

Pois ela é a cara chapada do pai. Este, maçónico e chefe de maçons no ninho maçónico fundado por ele (ISCSP) também foi padrinho duma das filhas do fundador da FRELIMO Eduardo Mondlane.

Wegie disse...

Ptt a Isabelinha é uma espécie de evolução na continuidade á boa maneira.

josé disse...

A Belinha já tem 35. E comprova a teoria da evolução ao contrário: filho de peixe ...iô! Não sabe nadar.

zazie disse...

Até lhe salta a jugular quando pensa no casório homo

http://www.youtube.com/watch?v=S7lMOD_0-wc

lusitânea disse...

Se repararem bem as famílias habituadas ao guarda sol de qualquer poder agiram com inteligência:dividiram-se pelos vários partidos e assim estão sempre sentados na mesa do orçamento.É só isso uma chico-espertice!

Vitor disse...

Os pais não têm culpa das escolha imbecis dos filhos quando estes pensam que já podem "pensar" pela sua cabeça. E este é um bom exemplo disso.
O que ela foi escolher. Logo aquele partido imbecil.

Enguias à Isabel dos Santos