segunda-feira, 15 de agosto de 2011

O Muro de protecção antifascista foi uma vergonha



No dia 13 de Agosto, o muro de Berlim, derrubado em Novembro de 1989, faria 50 anos. Num artigo publicado num suplemente de jornal desta semana ( NS´) escreve-se que "Um em cada cinco alemães que vivem no que foi a antiga RDA afirma numa recente sondagem da revista alemã Super Illu, compreender o porquê do muro. "

Os comunistas portugueses, estou certo, fazem parte do coro desse quinto de entrevistados porque sempre compreenderam o porquê do muro: um "muro de protecção antifascista". O muro de Berlim numa extensão de quatro dezenas de quilómetros, foi sempre um muro comunista e segundo a sondagem, os restantes quatro quintos consideram pura e simplesmente que foi um crime.
Os comunistas portugueses, antifassistas profissionais, nunca quiseram assumir a cumplicidade nesse crime contra a Humanidade.

17 comentários:

zazie disse...

Mas a percentagem dos alemães que "compreendem" o muro é demasiado grande.

Os boches são estranhos.

lusitânea disse...

Os que estão descontentes foram os que perderam o tacho.Sim porque por lá não aproveitaram toda a gente.E a primeira coisa que fizeram foi despachar os internacionalistas africanos que lá havia e eram dezenas de milhar, com uma indemnização paga aos respectivos países.Por outro lado é no leste que existe maior % dos chamados neonazis.Tal como na Rússia.Por cá é que o internacionalismo é imposto e nem sequer estão no governo.Porque se estivessem havia milhares em África em cubatas como os cubanos...

lusitânea disse...

Felizmente que ajudei a cair o muro.Estive lá antes e depois.Por cá é que a frouxidão de determinados democratas mais preocupados com as roubalheiras do que no resto é que permite sermos o "recuo" da ex-URSS com todo o folclore anexo!

Wegie disse...

Uma dúvida que sempre tive foi esta: Se o muro só tinha 40 km os RDA's não podiam dar a volta para fugirem? Assim mais ou menos como a malta em vez de atravessar a fronteira em Vilar Formoso, atravessá-la em nas Termas de Monfortinho?

zazie disse...

ehehehehe

Pareces eu com essas perguntas básicas.

Wegie disse...

Pois. Vai-se a ver com mais atenção e o "crime contra a Humanidade" não passou duma boa peça de propaganda para os dois lados da Guerra Fria para enganar os papalvos e os burros pomposos. Equivalente a um muro entre Elvas e Badajoz. Uma anedota.

Wegie disse...

José,

Em vez de perderes tempo e feitio com proselitismo fanado talvez fosse útil fazeres um post sobre esta senhora:

Patrícia Acioli, juíza em Niterói, conhecida pela coragem na condenação dos assassinos da PM, os bandidos dos esquadrões da morte brasileiros.
Executada à porta da sua casa, na sexta-feira, quando voltava do trabalho.
Um grupo de encapuçados disparou 21 tiros contra a magistrada. As cápsulas eram de um calibre usado habitualmente pela polícia.
Patrícia não tinha protecção especial. Segundo um primo, ouvido no local, tinha-lhe sido retirada há quatro anos, apesar de continuadas ameaças de morte.
O presidente do Supremo Tribunal disse que não tinha conhecimento das ameaças e que um inquérito decorreria célere.

Um exemplo para a magistratura portuguesa.

Wegie disse...

Esclarecimento. A juiza foi um exemplo não o que lhe aconteceu.

zazie disse...

Mas ó maluquito: estive a confirmar e o muro dava volta a Berlim. Só podiam fugir se mudassem de nacionalidade...

":O?

Wegie disse...

Zazie,

Dava a volta a Berlim Ocidental que estava encravado em plena RDA. E o resto da fronteira RDA/RFA?

zazie disse...

hummm... não sei. É como a ponte Mostar, também podiam dar a volta, né?

JC disse...

Wegie:

Aconselho a leitura do livro "O Muro de Berlim", de Fredrick Taylor, da Tinta da China Ediçoes.

Alem de se tratar um livro muito bem escrito sobre o que se passou na Alemanha apos o final da Segunda Guerra Mundial, com a divisao de Berlim em 4 sectores - frances, britanico, sovietico e norte americano - tem um mapa que mostra onde se situava o muro.

Formava uma especie de circulo, que rodeava os 3 sectores dos aliados, e barrava a passagem quer para o sector sovietico quer para a RDA.

Berlim Ocidental estava, assim, completamente cercado de forma que ninguem podia la entrar.

JC disse...

Mais facil ainda:
Vais a wikipedia.
Por vezes esqueço-me desta cena das novas tecnologias.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Muro_de_Berlim

Wegie disse...

JC,

Conheço bem a geografia do muro e sei que Berlim Ocidental estava cercado. A minha questão é se os cidadãos da RDA poderiam atravessar outro ponto da fronteira para o Ocidente. Não seja burro.

hajapachorra disse...

Na verdade o 'muro de Berlim' não tinha 40 km mas mais de 1.300 km: era o innerdeutsche Grenze que impedia as 'infiltrações fascistas' da república federal, com muros, aço, arame farpado, descargas eléctricas, fortificações e ninhos de metralhadoras. Nessa cortina de ferro foram assassinadas cerca de 1.100 pessoas, sobretudo depois de se tornar oficial na dita república democrática a ordem para disparar, Schiessbefehl.

Wegie disse...

Já me informei sobre o assunto. Então é assim:

Por mais de 28 anos, o Muro de Berlim foi o símbolo da divisão das duas Alemanhas. A fortaleza se estendia por 155 km e separava Berlim Ocidental de Berlim Oriental. Muito maior era a fronteira interalemã, isto é, entre a República Federal da Alemanha (RFA) e a República Democrática Alemã (RDA), de regime comunista. Ela somava 1.400 km, indo da baía de Lübeck, no norte, até Hof, no sul, na fronteira com a Checoslováquia. Somente na região metropolitana de Berlim, o Muro tinha mais de 43 km de comprimento. Ao longo de seu percurso na cidade ele interrompia oito linhas de trens urbanos, quatro de metrô e 193 ruas e avenidas. Em sua extensão, o "gigante de concreto" atravessava 24 km de rios e cruzava 30 km de bosques.

A fronteira de Berlim, cujas instalações incluíam o muro, era controlada 24 horas por dia. Soldados armados, em mais de 300 torres de observação, vigiavam constantemente para evitar fugas a Berlim Ocidental. A área da fronteira tinha 100 metros de largura, com diversos tipos de obstáculos. Esse território era conhecido como "faixa da morte".

Muitos tentaram atravessar o muro apesar do perigo de vida. Nos 28 anos que o Muro ficou de pé, houve 5.075 fugas bem-sucedidas. Os estratagemas usados foram os mais diversos: túneis através da cidade, veículos pequenos que passassem debaixo das traves, caminhões pesados para arrebentar os obstáculos, barcos, ultraleves, balões e aviões improvisados. Também houve quem fugisse de trem, ou simplesmente confiasse em documentos falsificados e veículos preparados para esconder pessoas, obtidos graças à ajuda de grupos da RFA que se dedicavam a organizar a fuga de alemães do Leste.

O Muro de Berlim, propriamente dito, tinha mais de 100 km e até 4,20m de altura em alguns trechos. Uma segunda fortificação foi construída posteriormente. Ao seu redor foi demarcada uma faixa de segurança, também conhecida como faixa da morte, que chegava a ter cem metros de largura. Ali se encontravam cerca de 300 torres de vigilância, 20 bunkers (instalações antiaéreas subterrâneas), 260 canis e inúmeros postes com holofotes. Os soldados receberam ordem de atirar e impedir qualquer fuga "usando todos os recursos disponíveis".

Karocha disse...

Conheci um casal Alemão, que tinham um Restaurante, reformaram-se e venderam o dito.
Vieram para Portugal e compraram uma vivenda em Santa cruz, ela cozinhava divinamente bem!
Um dia, nos almoços que fazia vi um pulso queimado e, perguntei-lhe se tinha sido a cozinhar, quando me contou eu já tinha lágrimas nos olhos, deve ter sido um pavor, ela era da RDA e resolveu fugir.
Tinha uns amigos que entravam e saiam de carro entre as duas Alemanhas, prepararam a fuga, ela ia na parte de baixo do carro, a certa altura o medo era tanto, se fosse apanhada eram mortos, a mão falhou e quando arranjou sitio, era o tubo de escape.
Casou anos depois com um Alemão e, espero que continue feliz em Santa Cruz.