quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

O deputado móvil



João Almeida afirmou hoje que os funcionários públicos que não concordam com maior mobilidade dos trabalhadores do Estado podem negociar a rescisão de contrato.

"Se as pessoas [funcionários públicos] não estiverem disponíveis têm sempre como alternativa a hipótese de negociarem a sua situação contratual", afirmou hoje o deputado democrata-cristão à TSF comentando a proposta do Governo para agilizar a mobilidade na função pública, de forma a transferir trabalhadores de serviços onde há excesso de pessoal para outros com falta de recursos humanos.


Este moçoilo há anos que negociou o seu contrato com o Estado: sempre num partido e a deputar, em Lisboa. Mas tem experiência de mobilidade: em duas legislaturas ( IX e X) foi deputado por Lisboa. Nas duas seguintes, foi pelo Porto.
Querem melhor exemplo de sacrifício para a causa pública da mobilidade do funcionalismo?

2 comentários:

Carlos disse...

Este, e outros palermas, ainda não perceberam que, se há quem esteja a mais neste país é precisamente esta corja de malfeitores que nos tem desgraçado.

AL disse...

E esteve ligado ao futebol profissional, não sabendo se também à construção civil. É um dos coveiros do Belenenses, onde foi foi diretor da claque, depois presidente da direcção, depois fugiu por, diz ele «por considerar que já não faz parte da solução para a situação do clube do Restelo e por não se poder dedicar exclusivamente ao cargo.» Um parlapatão.