domingo, 26 de fevereiro de 2012

Os curadores da viúva

Na revista Domingo do Correio da Manhã de hoje, numa entrevista a José Manuel Anes, maçónico notório ( "serei maçon até morrer"), este declara algo muito esclarecedor sobre a maçonaria e o interesse especial da viúva em colocar os seus órfãos de poder em diversas instituições públicas:

Correio da Manhã: porque se encontram tantos maçons nos serviços de Segurança?

José Manuel Anes: "É uma maneira de cuidar de um sector muito importante. Se eu for livre e quando sair de casa e me for apontada uma arma, de nada me vale a liberdade."

4 comentários:

muja disse...

Sobretudo se quem lhe apontar a arma, for alguém determinado a obter justiça a qualquer preço...

Floribundus disse...

este pertence à viúva com burka para esconder o 'armamento'.
o homenzinho pensa que a segurança se obtém apenas pela repressão.
pouco ou nada contam os factores sociais de progresso e desenvolvimento físico e intelectual.
'assim não vamos lá', como sempre pensei, sobretudo depois de 25.iv

há milhões de diagnósticos,
mas falta a terapêutica adequada

muja disse...

Faltará talvez mais, vontade em a aplicar...

Streetwarrior disse...

"" Se eu for livre e quando sair de casa e me for apontada uma arma...""

Desde que a Arma esteja ao serviço e controlada pelos " Bons valores morais " o regabofe pode continuar.
Já quando a Arma passa para o " outro lado das trevas " deixa de haver " segurança "

Como eu o percebo....