Páginas

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

A RTP em PREC

Expresso:

A Comissão de Trabalhadores (CT) da RTP definiu hoje a nomeação da nova administração da empresa como uma "característica trapalhada relvista", declarando também que irá dialogar "sem ilusões" com os novos gestores. 
O antigo presidente da Sociedade Central de Cervejas Alberto da Ponte será o novo presidente do conselho de administração da RTP, de acordo com informação disponível hoje no próprio site da RTP. 
"Não se conhece ao gestor (...) nenhum currículo que o relacione com as áreas da cultura ou da comunicação social. Não se lhe conhece nenhum antecedente em qualquer serviço público, nestas ou noutras áreas", aponta comunicado divulgado pela CT da RTP ao final da tarde.


A RTP e os seus milhentos apaniguados que vivem do serviço público com critérios de nababos do privado, contestam a designação de um administrador, "sem cultura", desligado da "comunicação social".  Os demais colegas dos media do sistema, dos privados mas educados na mesmíssima escola, aproveitam para se desforrar e replicam, em eco, os dichotes para arrasar o novo administrador. Não é da tribo e liga a números e contas. Vem do sector cervejeiro. Disse que Passos Coelho era o melhor primeiro-ministro de sempre. Por isso é indivíduo a abater, porque destoa do discurso destes revolucionários da reacção.

 Os da RTP temem evidentemente a perda de privilégios de aristocratas da cultura televisiva. Temem a perda dos 50 carros de alto luxo para as dezenas de "directores", num arremedo de empresa soviética. Temem perder as datchas de gabinetes, conseguidas no esforço sindical e temem, com razão, serem tratados como trabalhadores por conta de outrém que têm de prestar o serviço de acordo com as competências e qualificações.

A RTP vive ainda em pleno PREC e pós-PREC. O fantasma de um Luís Filipe Costa de voz fanhosa reflecte-se nos programas de um Sandokan, num Espaço 1999.
A RTP nunca saiu do território sagrado da Esquerda. É uma reserva de índios de Esquerda, como sempre foi e que se recusa a aceitar o combóio que lhes atravessa os territórios.





3 comentários:

lusitânea disse...

A RTP África deveria ser passada em horário nobre.Para a maioria sociológica de esquerda ver para nos tem andado a levar...

Floribundus disse...

no fundo o soviete da rtp está a revelar muito cagaço e impotência

Lura do Grilo disse...

É o tempo ressuscitado dos deprimentes desenhos animados do Vasco Granja (da Polónia, Alemanha de Leste, Roménia, Checoslóváquia, etc), o Capitão Kloss, os militares a ajudar o povo e outras patetices.