Páginas

terça-feira, 18 de setembro de 2012

O problema do Governo

É este, muito bem enunciado por José Vítor Malheiros  no Público de hoje. JVM é uma espécie de Jacques Julliard do nosso jornalismo político. É uma voz de uma Esquerda que compreendo, aceito e recomendo até um certo ponto ( até entrar no jacobinismo).

Tornou-se evidente desde o início deste Governo que a principal questão a lidar, depois de entendidas as medidas concretas a tomar em nome da troika era a da justiça relativa e da equidade na aplicação dos sacrifícios.
O Governo in totum parece que não entendeu isto e já deu vários sinais de continuar a não entender. E no entanto, as manifestações gigantes do fim de semana passado foram por isso mesmo.
Enquanto o Governo não entender isto que é tão simples de entender para uns e tão difícil para outros de interiorizar e agir em conformidade, o destino e caminho de quem governa será apenas um: afastamento em relação aos eleitores. Páram perto, assim.


12 comentários:

zazie disse...

Eu concordo que o principal problema numa crise como esta é e será sempre a liderança ter pés de barro e o exemplo não vir de cima e com justiça.

Até aí, tudo bem.

Dar o salto para a explicação da manif não consigo.

E será sempre um aspecto imprevisível para qualquer tentativa sociológica.

Antes da manif toda a gente dizia que o povo estava apático. Estranhava-se mas era crença que assim estava.

Há uma convocatória, por facebook, com slogans perfeitamente imbecis, convocada por uns palermas e saltam multidões e é o que se pode ver.

Todos com medo porque a única linguagem qe conhecem é esta- a que ameaça o poleiro.

Mani Pulite disse...

Dito por outras palavras mais simples e directas.O Gatuno de Paris e seus cúmplices já deviam estar há muito bem fechados nas jaulas a pão e água e não estão.Tal não se admite.É mesmo o fim da macacada.Os Portugueses querem-nos nas jaulas,olá se não querem!!

zazie disse...

Como é óbvio acredito que as motivações não tenham de ser cópia da convocatória- os números retiram essa leitura.

Mas as petições continuam e os aproveitamentos ainda agora começaram.

E esta é uma linguagem de galvanização, à qual sou incapaz de aderir, por muita razão que paire no ar.

zazie disse...

Acha que querem, Mani Pulite?

Acha que a leitura que se pode retirar da manif é que os portugueses querem justiça pelo passado que ficou impune?

josé disse...

Não querem na sua maioria por uma simples razão: votou no aldrabão e aquando do problema com a licenciatura desculparam-no politicamente e até moralmente.

Portanto, para mim, o motivo principal das manifestações foi um misto de ignorância e indignação acicatada pela noção geral de que os sacrifícios não têm sido para todos.

Se fosse só pelos indignados do costume a manifestação teria quando muito os milhares de apaniguados das ideias fossilizadas do Arménio Carlos e PCP.

zazie disse...

A manif é acompanhada de petição pela demissão do Governo e v. acha que a adesão tem a ver com a justiça por fazer aos anteriores?

zazie disse...

«foi um misto de ignorância e indignação acicatada pela noção geral de que os sacrifícios não têm sido para todos»

Exacto. É a primeira vez que leio algo que diga tudo em tão poucas palavras.

zazie disse...

E sim de acordo. Não fosse a imbecilidade da TSu para a porquinha e era mais uma treta entre eles.

Porque são os mesmos. E até a Fundação Saramago patrocina.

Floribundus disse...

o problema principal que este governo enfrenta é o imobilismo e o conservadorismo da esquerda de passeata.

os picanços e outros já mostraram que querem tudo na mesma
ou seja
os contribuintes que paguem a crise, como pretende o TC.
é este o conceito da equidade

os argumentos são 'conversa para boi dormir'

Karocha disse...

Não foi José!
Eu não sou ignorante e, "Povo de brandos costumes" para mim já era.
Está tudo mal e não é de agora como você e bem tem escrito.
É desde o 25 do A ,mais como eu chamo o "Bloco central rotativo", são sempre os mesmos a roubar e como dizia um comentador novo, todos amarrados pelos pés e postos no Tejo...
E digo mais, vários partidos aproveitaram-se, não foi por eles que a manif foi feita, mas... é Portugal no seu melhor!!!

Mani Pulite disse...

Não responsabilizar os responsáveis é sempre fatal para quem herda a herança.Imaginemos que a Alemanha não tinha feito a desnazificação em 45 e não tinha havido Nuremberga.Onde estaria hoje?Em meados de 2011 houve condições excepcionais para ser feito o processo dos desmandos dos 16 anos do poder socialista em Portugal e nada foi feito.Pelo contrário,tudo foi branqueado e abafado.P.EX.porque foi mantido no cargo um Procurador-Geral indigno e vergonhoso?Um país que abdica da sua memória histórica e um Governo que branqueia todos os crimes só podem ter um Destino.O país fica sem futuro e o Governo o caixote do lixo.Como todos estamos a ver.

zazie disse...

Perdoar aos inimigos é acabar-lhes às mãos

O problema é que nem existem inimigos, por aqui também é mais mercado de trocas.