quinta-feira, 8 de novembro de 2012

O problema da Esquerda portuguesa com a História

O problema da Esquerda com a história e a memória de Salazar fica aqui bem explicadinho neste escrito publicado no jornal i de hoje.

Durante grande parte do séc. XX a Esquerda foi ditadura. No Leste, no oriente chinês e no sudoeste asiático; em Cuba e noutros locais do planeta. Ditadura sanguinária em muitos casos, com milhões de mortos na contabilidade do terror, com semelhança apenas no regime nazi.
A Esquerda portuguesa com destaque para o partido comunista apoiou quase sempre os regimes de ditadura de leste. A Esquerda "democrática" do PS não apoiou e demarcou-se em devido tempo, mas apoiou sempre os comunistas portugueses que subserviam aqueles regimes, com a excepção de alguns meses no Verão de 1975, muito por causa da própria sobrevivência política e eventualmente até física.Que ninguém duvide que se o PCP tivesse ganho em 25 de Novembro as prisões em massa dos "reaccionários" seriam algo que depressa fariam esquecer as prisões "fassistas", Tarrafal incluído.
Aqueles factos históricos são sistematicamente obliterados em escritos do género supra. Para além de outro com significado particular para nós, portugueses.
De 1968 a 1974 Portugal foi salazarista? Não, certamente. Então o que foi? Um país com uma guerra no exterior das províncias que administrava desde há mais de quinhentos anos. As "colónias" como lhes chamam os esquerdistas em geral. Estes apoiavam activamente os inimigos do país e que nos guerreavam, em nome de um internacionalismo proletário, de uma solidariedade entre povos comunistas.
O Portugal de final dos anos sessenta, neste contexto, teria possibilidade em se tornar uma democracia de tipo ocidental e de caminho restaurar liberdades abolidas décadas antes, como a de associação, reunião e manifestação?
Talvez e alguns tentaram-no. Marcelo Caetano tentou-o. Será justo apelidarem-no como ainda fazem hoje os esquerdistas em geral, de "fassista"?
Não sendo uma democracia, Portugal tinha as instituições mais próximas de uma ditadura, como fora no pós-guerra com Salazar.
Mas... a partir de 1968, ainda em vida de Salazar, mas sem o exercício do poder por este, houve um esforço em prol de maior democraticidade no país, o que aliás é consensualmente aceite.
Então quem é que sistematicamente desvirtua este panorama confundindo e misturando regimes que já eram substancialmente diversos, mesmo que com características semelhantes?
A Esquerda, em geral. Incluindo a "democrática".
E no entanto, nessa mesma época, no mundo da Esquerda, os regimes políticos eram muito, mas mesmo muito mais ditatoriais e brutais que jamais o Portugal de Salazar o foi.
Como é que se resolve este problema da Esquerda com o comunismo e a ditadura em geral?
Não resolve. Esconde-se a questão, mente-se às pessoas e critica-se um regime, como o de Salazar que nem sequer tinha comparação em brutalidade e repressão como o de uma RDA para não ir mais longe, até à China de Mao, paraíso dos mrpps cá do sítio.Ou da Albânia, outro sol na terra.
A Esquerda de cá pretendia por outro lado, substituir o regime de Salazar por um regime desse tipo, fazendo crer às pessoas, como ainda continuam a fazê-lo que seriam originais e que o seu socialismo seria sempre de rosto humano e diferente daqueles que nunca foi diverso do que era em nenhum lugar do mundo.
Tais factos eram conhecidos nessa época, nos anos sessenta, como eram nos setenta e décadas seguintes. Tais verdades, como punhos, não foram suficientes para desmobilizar politicamente os eleitores comunistas. Pessoas com um módico de inteligência continuam nos dias de hoje a defender as mesmas receitas económicas, tendo por base as mesmíssimas doutrinas e princípios programáticos e até tácticas de subversão.

A esquerda "democrática" por seu lado sempre andou em tandem oposicionista com a "não democrática", tirando uma ou outra táctica de conveniência.
Como a táctica de conveniência muda na altura em que assumem o poder, a Esquerda não democrática vocifera então contra a traição da Esquerda democrática que defende uma coisa no discurso e pratica outra quando está no governo. Tem sido isto há décadas para cá e sempre que se anuncia uma ofensiva da "reacção", como se a "reacção" ainda fosse a que foi apeada em 25 de Abril de 74, lá vem a unidade de Esquerda nas greves, na contestação e na táctica comum para conquistar o poder.
É nesta tensão dialética que as duas esquerdas se mantêm na liça política. Uma, a genuína e detentora da patente de Esquerda, comunista e a outra miscigenada e democratizada através do engavetamento do socialismo, sempre na corda bamba do ser e do não-ser. Assumindo as regras do jogo democrático que aqueloutra detesta secretamente, embadeira valores como o das regras do jogo do mercado livre e dão água pela barba aos genuínos que se sentem sempre defraudados nas expectativas.
É esse o problema insolúvel da esquerda.

63 comentários:

Floribundus disse...

Einstein perguntava qual é o lado esquerdo? depende da posição do observador. se este estiver nas bancadas do pública a esquerda é direita.

os socialistas têm todos a mesma base ideológica. os meios são diferentes para um fim comum: a opressão-repressão. o homem novo como o Frankenstein de autora cujo nome agora não me ocorre.

estou areler Roman de la Russie insolite de Vladimir Fédorovski, um homem próximo de Gorbachev. vale adquirir o conhecimento factual de quem viveu naquele inferno.

tem valor diferente dos testemunhos de quem combateu o regime

os sociais-fascistas do pcp matariam milhares de portugueses se tem vencido no 25 novembro. de certeza não estava aqui. quando vejo aquela canalha na assembleia sinto profundo nojo por aqueles bípedes. o mesmos pelos socialistas. nenhuma outra atitude mais decente para além do sentimento de comiseração. pago impostos para ser obrigado a aturar aquela récua.

N disse...

José então voçê é um juiz e fala no numero de vitimas do nazismo?

Mas como é que sabe quantos foram se é proibido investigar?

E Hitler matou quem afinal?A nata nativa da sociedade como os comunas fizeram ou matou não-nativos que eram inimigos a sabotar a sua nação,logo legítima defesa?

E os regimes democraticos?

2 bombas atómicas,os unicos a lançar a mesma...

O genocidio dos Servios...

Isso não conta para as estatisticas,ou quando é a ditadura dos burros(democracia) não se chama ditadura porque se pode ir votar?

Não fosse o Hitler e o comunismo tinha entrado em toda a Europa ocidental adentro...

Memória curta por quem enfrentou o comunismo vindo de leste e o capitalismo vindo do oeste,tudo claro comandado por judeus de avental.

Hitler foi um heroi Europeu,como foi Alexandre,Leónidas e César.

Hoje anda tudo feito escravo a trabalhar para pagar juros usurários de dinheiro criado a partido do nada do federal reserve,enquanto são chipados sem saberem e levam com mijo e merda da canalha política,mas como podem ir votar acham que isto não é ditadura.

zazie disse...

Quem é este imbecil do José Neves?

V.s dizem que basta que os fósseis morram e eles replicam-se todos os dias.

mujahedin مجاهدين disse...

Seja ou não proibido investigar, não é, por exemplo, proibido investigar a morte em massa de ucranianos nos anos 30. Anos, não, que foi só um.

Morreram pelo menos tantos quantos se diz que morreram nos campos Nazis. E isto é apenas um episódio. Sabe Deus quantos perderam a vida durante a existência da União Soviética...

O duplo critério é flagrante. É tão evidente que é quase ridículo. Mas tem-se muito respeitinho... O último que me lembro de confrontar a comunistagem directamente foi o Paulo Portas num debate em que disse ao Jerónimo que lhe indicasse um único país onde as ideias dele estivessem em práctica e que fosse livre, próspero e justo... O outro balbuciou uns sons e passou adiante...

Ninguém enfrenta publicamente essa gente e eles vão recrutando com papas e bolos e avantes. E, já se sabe, quanto pior, melhor para eles e mais eficaz a propaganda.

AL disse...

POVO UNIDO, O JORNAL PÚBLICO, ÓRGÂO NOTICIOSO DA ESQUERDA DA BANCARROTA EM PORTUGAL, NEM PARA PAPEL HIGIÈNICO SERVE:

josé disse...

O nazismo já interessa a muito poucos. O comunismo ainda interessa a muitos. Demais e que até têm assento nos parlamentos democráticos.

Mas não deixam que os nazis se sentem ao lado...

Arnatron disse...

José ...
Os meus parabéns! ...
Artigo muito bem escrito ...
Mas dou-lhe um conselho de Amigo ...
Quando atravessar a rua ...
Tome cuidado ...
Senão ainda o passam a ferro ...
Ou outra com a mesma finalidade ...
A de ...
Essa malta não perdoa ...
Ou lhe fazem o que a mim me fizeram ...
Espetaram-me o pé ...
Tive sorte foi na unha ...
Mas ela partiu-se ...
E andei com dores mais de dois anos ...
Fique em Paz!

lusitânea disse...

Extrema-direita(?) proibida na nossa gloriosa constituição.A tal que dá para tudo.E que devidamente "interpretada" depois daquela descolonização virtuosa do "fuja quem puder" e sem bens dá para agora salvarem o planeta inteiro e novamente por nossa conta.
Um país transformado em paraíso de criminosos e devidamente "nacionalizados"."CRIME AINDA SEM CASTIGO"...e que transformou os Portugueses escravos da "diferença"...

lusitânea disse...

Só a traidores poderia passar pela cabeça nacionalizarem a eito pelo planeta fora.E claro pobrezinhos.Para nos enriquecerem...como aliás se está vendo...

José Domingos disse...

Estes democratas, da ue, são como o mário soares, democracia, só se forem eles a mandar.
Não se pode sair da bovinidade, que o diga o Pedro Varela, preso politico em Espanha, por publicar livros, que não interessavam ao status.
Democratas, pois.........

mujahedin مجاهدين disse...

O nazismo já interessa a muito poucos

Interessa-lhes a eles e interessar-lhes-á sempre, por permitir branquear-lhes as ignomínias face à populaça...

Os nossos, à falta de algo sequer remotamente parecido com isso, pegam no EN. Mas a estratégia é todavia a mesma...

josé disse...

nazi, tal como pedofilia ou mais uma ou outra palavra maldita são os anátemas do nosso tempo.

Quem ousar pronunciar qualquer coisa que se lhes aparente leva com o epíteto e fica derreado socialmente.

É o poder das palavras que os comunistas sempre conheceram.

zazie disse...

É verdade, José. Reparei agora que o seu arquivo não funciona.

E nem dá para usar links dos posts mais antigos porque vem sempre ter à primeira página.

Floriano Mongo disse...

José,

Alguns querem q se reconheça que o capitalismo também faz as suas vítimas. Essa visão não é mais que uma deseducação histórica e moral.

Não, eu não reconheço que o “capitalismo também faz as suas vítimas” — não no mesmo texto em que critico as violências da esquerda. Porque não são coisas comparáveis; porque não pretendo que as falhas — e são muitas — do capitalismo sejam usadas por um sistema que transformou a morte em massa numa forma de realizar uma utopia supostamente humanista.

Diga-se do fascismo (ou dos fascismos, com as suas variantes locais) o que quiserem: mas ele jamais se pretendeu ser um novo humanismo. O horror fascista jamais escondeu o seu carácter discriminatório, violento, assassino e já foi devidamente satanizado pela história. Então não caio nesse truque.

Apesar dos milhões de mortos o marxismo permanece como um alucinógeno cultural.
O seu resultado mede-se em crânios.

Floribundus disse...

Amigo
Frankenstein ou o novo Prometeu de Mary Shelley, mulher do poeta
este e keats têm museu na praça de Espanha em Roma. quem sobe a escadaria , no prédio de esquina do lado direito-3º andar sem elevador

josé disse...

Zazie:

Comigo funciona. Clico no título e vou directo para lá.

zazie disse...

No índice?

Estranho. Pode ser do Opera e de umas bugigangas que tenho.

Vou experimentar com o chrome.

Mas, aqui, nos mais recentes funciona. Nos antigos é que não consigo

zazie disse...

Não dá, José. Em 2003- primeiro mês, post com a pequena história do MP, clica-se e vem-se ter aqui- à primeira página.

Só consegui ir até Lá às arrecuas, como dantes. Mas depois só funciona o link do mês inteiro. Em clicando, de todas as formas, no post, vem sempre ter de novo aqui- ao início.

zazie disse...

Só começam a funcionar a partir do "manga de alpaca" de Janeiro de 2004.

josé disse...

Tem razão. Nos primeiros acontece isso. Não sei porque razão.

josé disse...

por que razão...

zazie disse...

Também são poucos. No meu, os mais antigos até estão bloqueados no Google

foca disse...

José
Sei que o assunto vem a despropósito neste post, mas sabendo do seu amor pela Ana Lourenço, já teve o prazer de assistir à "entrevista" dela à Isabel Jonet? Onde refere sem se rir um estudo que associa a pobreza e a fome ao aumento do consumo de Nestum?

zazie disse...

A propósito dessa parvoeira e ainda mais da reacção a ela, quem escreveu, desta vez, um post certeiro foi a HM- o dos pandeiretas.

(basta retirar o último parágrafo com o frete à Mossad) tudo o mais está delicioso de certeiro

Karocha disse...

José e zazie

Consigo ir ao arquivo todo.
Quanto à Jonet,sem comentários...

mujahedin مجاهدين disse...

Pois a mim acontece-me o mesmo que à Zazie!

José, veja lá o que se passa! Por via das dúvidas amanhã vou copiar isto tudo, que isto não se pode perder!

mujahedin مجاهدين disse...

É tal e qual como ela diz. O primeiro que dá é este:

http://portadaloja.blogspot.co.uk/2004/01/o-mangadalpaca-deixa-agora-um-excerto.html

zazie disse...

Claro que acontece mas o José há-de ter mais que fazer que descobrir o motivo pelo qual não se chega directamente a meia dúzia de posts de 2003 e 2004.

Se eu não dissesse ninguém sabia

":OP

Foi para passar a informação ao do napoleão de hospício que ia ficar completamente baralhado com as tretas que o PA inventou.

mujahedin مجاهدين disse...

Ela - salvo seja - que é, de facto, uma senhora!

mujahedin مجاهدين disse...

Não, mas não pode ser! Tem que descobrir! Hoje não consigo que não estou em condições, mas amanhã salvo tudo e envio ao José e conservo do meu lado também.

zazie disse...

Deixa-te de cabalas, Mujah. Estão lá os textos todos.

No meu também não consigo e ainda é pior, ficam bloqueados no google a dizerem que é site perigoso

ahahaha

É por serem coisas muito antigas e o índice lá vai ficando marado com o tempo.

zazie disse...

Tão querido, um terrorista mujahedin a chamar-me senhora de forma tão respeitosa

ahahaha

zazie disse...

ò pá, nunca fizeste um blogue?

o José vai aos bastidores e copia se achar que é isso.

Nem é. Eu vi e o link que aparece nesses posts é apenas http://portadaloja.blogspot.com

Qualquer treta. Mas estão lá e eu acedi a todos indo às arrecuas.

Karocha disse...

Comigo não, exemplo :

- http://portadaloja.blogspot.pt/2009/12/as-vozes-do-dono.html

zazie disse...

"não estou em condições"

eehhehehe

zazie disse...

Karocha: isso é de 2009... nós dissemos que não se acede a uns tantos de 2004 e 2003

Karocha disse...

http://portadaloja.blogspot.pt/2003_11_01_archive.html

zazie disse...

Sim, e como é que chega lá? é no rodapé, pelo índice ou vai a uns mais recentes e depois chega ao mês.

Eu também copio o mês. Mas agora tente a ligação de um post desses a ver se não vem ter á primeira página

zazie disse...

Basta escrever http://portadaloja.blogspot.pt (seguido do ano) que abrem todos os posts desse ano. Mas depois, em 2003 e parte de 2004, tente clicar na hiperligação ou no título de um deles a ver se não vem parar ao inicio.

experimente aqui:

http://portadaloja.blogspot.pt/2003

Karocha disse...

Zazie

O geral de Novembro de 2003 tem o link certo, os individuas têm o link errado.

hajapachorra disse...

Mas com um quilhão de demónios, porque quereis aceder a palimpsestos de 2004?! Isto é pior que a Pide; um dia qualquer ainda me vêm acusar de não ter chamado filho da puta ao foragido de lutécia quando havia mister.

zazie disse...

ehehehe

Ja expliquei. Foi para esclarecer um sujeito brasileiro que ficava com informação toda estropiada, indo atrás do que o Arroja escreveu acerca do nosso MP.

zazie disse...

Limitei-me a deixar o link na janelinha de comentários. E ele até agradeceu e gsotou.

É verdade, se alguém quer informação simples e credível acerca destas coisas é melhor vir ao Porta da Loja que ir à wikipédia.

josé disse...

Zazie:
Qual foi esse link que mencionou? Foi sobre a pequena história do MP?

Ando agora a preparar outra pequena história que vem dos anos sessenta e chegou a 82...

zazie disse...

Foi pois.

Quando tiver mais eu passo ao bacano.

é incrível como as pessoas falam de tudo o que não sabem como se fossem peritas na matéria.

E depois veio logo a mongalhada atrás a fazer coro, que o grande problema em Portugal era a existência de MP quando a polícia podia perfeitamente fazer esse trabalho (ignorância tamanha que nem a representação de menores ou deficientes ou sem serem donos das suas capacidades mentais, interessa).

E lá acrescentaram o bordão da moda, espalhado desde o caso Casa Pia, que é o MP quem viola o segredo de justiça.

Não dá... Nem comentei. Lembrei-me de largar o seu link.

josé disse...

O Arroja é um caso perdido.

zazie disse...

O MP, "o cancro da justiça em Portugal"


ahahaha

Há quem não se enxergue.

No outro dia era as questões filosóficas levantadas por kant acerca da Metafísica- o problema da imortalidade da Alma e de Deus- e vá logo de acrescentar que aquilo era paleio parvo porque Deus nunca foi um problema.

ahahahaha

Não estou a contar por trás, aos anos que já lhe tentei explicar o que são "problemas ou questões filosóficas" mas nem liga, nem quer saber.

josé disse...

Já nem leio.

josé disse...

O Arroja tem um problema psicológico grave: não escuta ou lê os outros.

zazie disse...

Poi é. E ér pena. Porque às vezes tem mesmo boas intuições.

Mas tem sempre de aplicar a cama de procusto a tudo para vender a sua historieta.

josé disse...

Tem aquelas ideias feitas há anos e não lhes toca. Ou antes, toca sempre as mesmas.

Não tem qualquer credibilidade, desse modo.

zazie disse...

Pois não. Lá há-de tomar isso por algo próximo de humilhação.

Mas eu até acho que escuta. Vai escutando. E por isso até me cita, passados anos (se a coisa for ao encontro do que ele até anda a magicar)

Do que ele é incapaz é de dialogar no momento.

josé disse...

E é isso mesmo: é pena. Cheguei a comprar o livro dele, o paraláxia ou coisa que o valha. Não, é Cataláxia.

Ahahaha!

zazie disse...

Aquilo em termos de raciocínio é sempre como o josé uma vez disse- como quem vai olhando para os gráficos da bolsa.

E isso é rápido, atira-se com um palpite sem precisar de ser trabalhado.

Às vezes o palpite até é bom palpite. Mas o palpite está sempre inserido noutro palpite maior que nem toma por hipótese, nem testa como hipótese e nem aprofunda- é a Verdade a vender. E tem de adaptar tudo de modo a caber nela.

zazie disse...

ahahahahaha

Karocha disse...

Eu ás vezes passo pelo Arroja e vejo lá a zazie com uma paciência de santa.
O meu rapaz , penso que foi em 2008 passou-se com ele!!!

zazie disse...

Paciência de santinha é coisa que não tenho.

Mas gosto de conversar por lá com um grupinho simpático que se foi formando.

E repito, ele às vezes tem mesmo boas intuições. O problema é o modo como as estraga depois.

Karocha disse...

Tem toda a razão,zazie dai o meu rapaz se ter passado...

Unknown disse...

Para além da quantidade de disparates contidos neste texto, a cereja em cima do bolo é quando escreve "as "olónias" como lhe chamam os esquerdistas em geral". Os perigosos "esquerdistas" que diziam "colónias" eram, por exemplo, os EUA, a Inglaterra, a Alemanha, a França, etc. E por causa dessa estupidez de "provincias ultramarinas", Portugal sofreu, na Assembleia Geral da ONU, o maior vexame que um país pode sofrer. Quando Rui Patrício, ao tempo ministro dos negócios estrangeiros, subiu à tribuna da AG da ONU para defender a posição de Portugal em relação às "províncias do ultramar, a Assembleia, em bloco, com excepção da África do Sul e creio que da então Rodésia racista, abandonou a sala, deixando o indivíduo a falar para as paredes! Não há memória de outro vexame desta envergadura. Claro, a Assembleia Geral da ONU era composta, na totalidade, por "perigosos esquerdista" . Claro que a asneira é livre! Mas não é preciso exagerar!

Unknown disse...

O meu comentário, identificado como de "unknown", tem uma cara:
Chamo-me Carlos Brighton, e não vi como podia identificar-me!

josé disse...

Carlos Brighton:

V. não percebe que a palavra "colónias" era termo que não se usava antes do 25 de Abril?

As províncias ultramarinas eram colónias? E daí?

O uso dos termos modifica o conceito das coisas e a palavra colónias, no nosso caso tinha uma consonância pejorativa, derivada da luta anti-colonial.

Por acaso acha que a antiga URSS tinha colónias ou eram apenas regiões da grande Rússia?

Se os ingleses e franceses e outros chamavam colónias aos seus territórios de além-mar, é lá com eles.

Nós também chegamos a chamar tal coisa mas numa época em que o termo não tinha o significado pejorativo que depois lhe deram.

Por isso bem fez o regime de Salazar/ Caetano em mudar a designação.

mujahedin مجاهدين disse...

Ah pois... a AG da ONU... Constituída nessa altura já por maioria de países que eram satélites da URRS. Esquerdistas? Que ideia...

Curiosamente, a AG da ONU foi o mesmo orgão no qual Portugal sempre defendeu com sucesso o caso da Índia Portuguesa contra a União Indiana do "pacifista" Nehru que, afinal, sempre teve que recorrer à agressão armada cobarde (nem uma declaração de guerra).

Naturalmente, isto foi antes da vaga de "independências" (leia-se, transição de dependência das ex-potências europeias para dependência da URRS) de ex-colónias africanas e sul-asiáticas.

Mas isto é que já não convém nada lembrar...

mujahedin مجاهدين disse...

URRS = URSS