sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

A Newsweek em papel acabou

A revista americana Newsweek, na sua edição em papel acabou este mês. Foi agora publicado o último número que como é habitual em casos destes,  é dedicado a um pequeno historial da revista ao longo de oito décadas que durou com exposição nos quiosques.

Por mim, a revista despertou-me a atenção logo no início dos anos setenta. O primeiro número que comprei é mesmo este, sobre a época de "vacas magras" que Marcelo Caetano anunciara, derivada da primeira crise do petróleo, com a guerra no Médio Oriente, entre árabes e judeus.


 A Newsweek era, a par da Time, e nos anos oitenta, da U.S. News & world Report, uma das minhas fontes de informação escrita sobre os assuntos do momento mundial, na perspectiva americana. Ao longo de quatro décadas também as coleccionei e guardei, particularmente os números especiais de fim de ano, com resumo dos acontecimentos.
Ultimamente a revista, sob a direcção de Tina Brown refinou esteticamente ( publicou um número de antologia em 26 de Março de 2012 alusivo à série de tv Mad Men, aproveitando para simular uma edição retro, como os de cá, Sábados e Visões não sabem fazer) e a edição sobre a morte de Steve Jobs é melhor que a da Time ( mas inferior à da Bloomberg Business Week).
Enfim, resta a edição online. Mas não é a mesma coisa pelo que é uma época que começa a acabar, a das revistas e jornais impressos.


3 comentários:

Vivendi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vivendi disse...

E a Time a eleger o OBAMA o homem do ano. A revista pode ainda não ter acabado mas está acabada.

Preparem-se que os EUA tornaram-se em uma BIG BANANA REPUBLIC...

Nada que os portugueses já não estejam por dentro só que as ondas de choque das bananadas americanas ainda serão maiores que esta austeridade à portuguesa.

Floribundus disse...

Karl Popper
tinha razão quando escreveu:
'TV: um perigo para a democracia'

o papel reduzido aos vários usos higiénicos e alimentares

O verdadeiro super-juiz