quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

José Sócrates: notícias frescas

O Correio da Manhã de hoje brindou o antigo primeiro-ministro com esta notícia de primeira página.

Lendo no interior percebe-se a razão da notícia: José Sócrates processou o jornal por motivos que se adivinha estarem relacionados com as notícias deste diário a propósito do seu séjour à Paris, com o fito prè-anunciado de estudar "filosofia", na escola Sciences Po. Ainda hoje não se sabe ao certo que "filosofia" José Sócrates anda a estudar, porque os cursos nessa escola são confusos e alguns tipo ISCTE. Não obstante, o jornal desencantou umas cachas aqui há uns meses, com umas fotos do "refugiado" em Paris, a fazer "jogging" e a andar pelo Quartier Latin, perto do sítio onde tinha morada que aliás já não terá  parce qu´il...a  déménagé para local ignoto mas não para baixo de uma ponte do Sena, certamente.
Não se conseguiu saber quanto custava a morada, mas o jornal adiantou que por menos de 15 mil euros, por mês, José Sócrates não fazia essa vidinha em Paris. Vai daí noticiou acrescentando o que aliás se sabia: José Sócrates não tinha rendimentos próprios para tal e quanto a poupanças conhecidas e domiciliadas em bancos nacionais, passíveis de declaração ao Fisco e ao Constitucional, nicles. Breve: Sócrates, para o jornal e não só, anda a vender cabritos em Paris sem ter cabras que se lhe conheçam. Mas agora diz quem serão: bancos.
A notícia é legítima e relevante? Olá se é! Sócrates continua a dar umas fugidinhas por cá, jantarando com amigos políticos e aparentemente ( o mesmo jornal o escreveu) a tentar influenciar o curso dos acontecimentos políticos actuais, dando instruções aos seus antigos parceiros pensadores. Sócrates não se afastou da política portuguesa, continua a manobrar na sombra e por isso mesmo, merece as luzes da ribalta.
Tantou bastou, pelos vistos, para que o dito cujo instaurasse uma acção cível de indemnização ao jornal, para se ressarcir dos eventuais prejuízos, porventura à imagem impoluta que deixou por cá.
O jornal de hoje dá conta que Sócrates justificou nessa acção os seus rendimentos adequados à vida de luxo em Paris ( os apaniguados dizem que não é nada de luxo porque o dito até anda com um carrito vulgar, no caso um Mini de 25 mil euros). Quanto às jantaradas pouco se sabe, a não ser uma célebre em que terá pago a conta a muita gente, assim a modos de liberalidade de rico.
Como é que Sócrates justificou os proventos para pagamentos de despesas avulsas em Paris? Fácil: "ajuda de familiares". Onde é que já ouvi isto? E mais: "empréstimo bancário" contraído. Quanto? O jornal não diz e nem diz quem paga os juros e capital do empréstimo pelo que se deve presumir que sejam os familiares também.
Que familiares tem Sócrates assim tão esportuladores e beneméritos de sobrinhos desvalidos? Conhecemos todos um, pelo menos: o tio do Freeport, pai de um especialista em artes marciais. Será este o filantropo?
Os apaniguados do costume ( Lello e companhia muito limitada) disseram que a benemerência ao aflito    viria da mãezinha, muito rica e endinheirada, segundo eles que são tão amigos do seu amigo. Por mim estou em crer que não. Se fosse, não teria havido aquela história da conta conjunta para levantar uma ninharia que não dá para pagar meia dúzia de meses na capital das luzes.
Continua por isso o mistério e o Correio da Manhã, aliás muito bem, noticia que pretende ver esclarecido no tal processo como é que foi esse tal empréstimo...

Estas notícias não vêm nas televisões, podem estar certos. Mas vêm depois aquelas sobre o congresso antecipado do PS e um tal Silva Pereira a falar alto.


16 comentários:

Capitalista Facista disse...

Nao foi esse filosofo que disse que pagar dividas é ideia de crianca ?

foca disse...

Uma coisa pelo menos ficamos a saber.
Para este ex-PM viver à grande em Paris com a ajuda de familiares e empréstimos bancários é uma coisa normal.
Não admira que tenha feito o mesmo no país!

JPRibeiro disse...

Quem pode emprestar dinheiro a uma pessoa que não tem fortuna nem rendimentos próprios.
O BES?
Ah!

josé disse...

Empenhou um pelo das barbas...ahahaha!

Esta já tem mesmo barbas.

Floribundus disse...

ditado
'uns comem os figos, aos outros rebenta a boca'.

lusitânea disse...

Sempre houve capitalistas que reconheceram os serviços prestados e que suportaram os caídos em desgraça em Paris
Até porque o exilado pelos vistos continua a ser útil...

miguel disse...

"No caso de Sócrates, sabe-se que o ex-primeiro-ministro, após as habituais saudações e depois de dar conta a Ricciardi de que já teria tentado falar com Ricardo [presume--se que se trata de Ricardo Salgado, presidente do BES], lhe pediu para que não se esquecessem do amigo que está em Paris"
CM

Pediu emprestado a um "amigo".

josé disse...

Seria bom conhecer os motivos reais de tal amizade espúria.

Motivos reais...não os aparentes ou simulados.

Será que a nossa dívida tem a ver com o assunto? As PPP e essas coisas?

Floribundus disse...

os mesmos continuam a sacar até ao fim do filão.
quando acabar a mama a geração futura que fique na 'dependura'.

estarão a salvo nos paraísos fiscais.

o emigrante prepara-se para ser eleito PR
os palermas vão eleger o fugitivo. a rataria vai voltar mais voraz depois deste jejum

o problema português não é essencialmente financeiro. não é possível 'refundilhar' o estado cataléptico em regime corporativo alcunhado de democrático

adeus soberania, está na 'hora di bai'.

hajapachorra disse...

Temo que seja um empréstimo. Sobre favores ainda por prestar.
Dizei-me vós outros entendidos em tributos: as avenças não se declaram? Diz meia verdade quando fala de bancos.

Floriano Mongo disse...

ESTÁ JUSTIFICADO


««« Sócrates justifica luxo com empréstimo»»»




José Sócrates, pai do Portugal-Maravilha,ensinando que assim como para os países, as dívidas dos privados também não são para ser pagas.

Floriano Mongo disse...



É MUITA INVEJA!


««« Sócrates justifica luxo com empréstimo»»»



José Sócrates, revelando que só gente muito invejosa é que não reconhece o sacrifício de um primeiro-ministro milionário que é condenado a viver no luxo através de empréstimos.

Vivendi disse...

Com tanta dúvida no ar sobre a proveniência dos rendimentos de Sócrates após este ter promovido o maior endividamento de sempre em Portugal o que se deveria ter sido feito se estivéssemos num país normal? Justiça era a palavra.
Mas como estamos onde estamos ficamos apenas:
- sem saber porque o tribunal constitucional nada tem a dizer se é constitucional atirar um país para a bancarrota;
- sem saber porque não são investigadas todas as irregularidades encontradas pelo tribunal de contas;
- sem saber porque há tribunais que não querem julgar (CASO 'TAGUSPARK' FOI EVITADO POR TRÊS TRIBUNAIS);

Um verdadeiro Estado de Direito só funciona quando o exemplo vem de cima. E como tal os tribunais em Portugal valem o que valem, ou seja, nada, pior ainda os tribunais mais do que representarem os seus cidadãos são apenas mais uma despesa acrescida às várias despesas para ir mantendo este "Estado Indireito".

Vivendi disse...

Já que nada se pode esperar deste "Estado Indireito" tomei a liberdade de recorrer a quem pode funcionar como última instância de reserva moral de uma sociedade, o tribunal do povo.

Aqui ficam alguns vereditos encontrados on-line:

"Só lamento que o Eng. não tenha ficado mais 6 meses no governo para os portugueses ficarem a saber o que é um País na bancarrota. Estava na Argentina quando se deu a bancarrota foi muito engraçado foram dias muito felizes."

"Familiares!!!! Não tinha conhecimento que o José Sócrates é familiar de todos os portugueses."

"Além de viver à custa de familiares, pergunto: Se não tem dinheiro, como é que vai pagar ao banco? Agora é que é caso para dizer: "Sapatos de verniz com as solas rotas"!"

"Deve ter pedido dinheiro ao Bpn."

"Já roubaste...enches-te com o dinheiro dos Portugueses...agora por favor não gozes mais com isto... já chega os que estamos a passar. Não sei como estes gajos dormem a noite sabendo que há pessoas com fome devido a eles!"

"Não tinha conta poupança, ficava na miséria. JORNALISTAS descobriram,383Milhoes,numa conta de Família. Foi a trabalhar. Divida de 2001 para 2009,passou de 61% de PIB para 116%.ALGEUEM USURPOU ESSA MASSA. Tugas fáceis ENGANAR"

"Mim engana que eu gosto, ele que fique eternamente em Paris estudando a sua filosofia, pois por aqui não precisamos de mais filosofia."

"Claro que sim... São os meus familiares, e os de toda a gente que pagam este bandido/ ladrão."

"Finalmente a confissão do Sócrates! Claro que pediu dinheiro aos Bancos, ou melhor, exigiu-lhes dinheiro como contrapartida dos negócios pouco claros que patrocinou aos amigalhaços..."

"Também tem o empréstimo do apartamento. Tem dois filhos a estudar. É muito empréstimo junto. É fazer as contas. Já parece o Campos ex-obras públicas, que era o pai que o ajudava. Não acredito."

"Mas que banco é que ia emprestar dinheiro a um individuo para ir beber vinho de 600 euros para os restaurantes mais caros de Paris? Não conheço esse tipo de empréstimo. Conta outra."

"Há gente a matar-se por causa do estado em que este indivíduo e sua quadrilha maçónica deixaram o País. Quadrilha que continua lá, ou não fosse Relvas outro destacado membro da seita."

"E os bónus das PPP(s) Freeport); Cova da Beira; Tagus Park; Fundações e outras situações análogas? Durante 6 anos houve tempo para encher o saco. Agora paga povo..."

"Roubam-nos e ainda por cima nos chamam parvos. Se calhar somos mesmo, estamos permanentemente a ser roubados e ainda por cima curvamos a espinha para agradecer.
Não há ninguém em Paris que parta o nariz ao Pinóquio?"

"Já vi que o Sócrates não perdeu a sua maior característica...continua mentiroso."

"Como é que é possível este gatuno, que nos encravou a todos, viver à grande e à francesa com o nosso dinheiro??? Ninguém abre um inquérito à fortuna desta gente?"

"Acredito que tenha pedido dinheiro ao banco, só que as pessoas não são assim tão otárias como ele julga."

"Só fica bem agora os familiares ajudarem, pois ele os ajudou quando pode...."

"Do que é que estão à espera para mostrar ao exterior de que a corrupção não é aceite neste país? De que é que estão à espera para prender este gajo?"

"Para os mais crentes Um abraço do amigo."

Kaiser Soze disse...

"anda a vender cabritos em Paris sem ter cabras que se lhe conheçam"

Se isto é um ditado popular não o conhecia mas vou passar a usá-lo.

(ainda que, em calão popular, pelo menos aqui no norte, "matar cabritos" significa prostituição)

josé disse...

Quem cabritos vende e cabras não tem de algum lado lhe vêm...

Este é o ditado popular.

O apelo populista a Salazar