Páginas

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Jornalismo de antanho: os caçadores de gralhas

A revista Observador de 21 de Maio de 1971 trazia três páginas sobre os "revisores", profissionais caçadores de gralhas e erros tipográficos que os jornais empregavam e a quem exigiam o...5º ano liceal, como habilitações. Em Lisboa, sindicalizados, ( sim já havia sindicatos, ao contrário do que os Rosas&Pereira gostam de propalar) nessa altura devia haver cerca de 200 deste caçadores de gralhas.   Isso para além dos caçadores amadores que as editoras empregavam, com o mesmo propósito: eliminar passarocos impressos nocivos na escrita.
Dá que pensar, fazendo a comparação com os tempos que correm...e dá que pensar sobre o tal analfabetismo estatístico de antanho, em paralelo com o analfabetismo real do jornalismo actual em que os erros de todo o tipo são norma nos jornais e rodapés televisivos.


3 comentários:

Floribundus disse...

disse-me um coleccionador que foi retirada uma edição do DN por falta dum t em contas gerais do estado

o actor Rui de Carvalho foi contemplado

criança com tusa também

havia uma empresa de recortes com a qual tive assinatura sobre assuntos de drogas

tornei-me associado dum sindicato em 1957

agora os sindicatos são uma 'nojeira'



Zé Luís disse...

jose, a propósito de revisores, gralhas e Língua Portuguesa, envio-lhe um texto condigno do nosso Estado para sua apreciação, pelo mail do blog.

João José Horta Nobre disse...

Publiquei:

http://www.historiamaximus.blogspot.pt/2013/09/jornalismo-de-antanho-os-cacadores-de.html