Páginas

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Salazar, anos sessenta

A biografía política que Filipe Ribeiro de Menezes fez de Salazar, em 2009, dá algumas pistas para se entender o Portugal de Salazar durante os anos sessenta, ou seja os da guerra no Ultramar e o começo do desenvolvimento português que se seguiu, com Marcello Caetano.

O livro de FRM procura uma distanciação objectiva que não se lê nos Rosas&Pereira mas ainda assim cai no erro de julgar por escrito o tempo de Salazar sem o ter vivido ( FRM nasceu precisamente em 1969, o que lhe retira o sopro da vida da época), mostrando ao mesmo tempo alguns dos clichés que os Rosas&Pereira aproveitam para refazer a História portuguesa.
Aqui ficam oito páginas de leitura interessante.

4 comentários:

Floribundus disse...

adoro factos históricos. história, interpretação dos ditos, tem geralmente pouco a ver com os mesmos. qualquer bicho-careta faz de conta que percebe. para mim existe a dúvida sistemática quando se fazem considerações ou juízos.

não conheço o livro, mas vivi intensamente a época. fiz serviço militar aos 34 reinspecionado pelo pai do horta de Sintra. só cheguei a tenente da companhia de saúde porque fiz 40 anos. imaginem 6 anos de angústia familiar.

posso dizer que esta porcaria sem nome é 'milhentas' vezes pior

Floribundus disse...

com 95 anos faleceu ontem o gen. Silvino Silvério Marques.
não li 'os dias da vergonha'.

ficaram a receber dos contribuintes 250 oficiais generais ...
e ficámos muito muito bem servidos

josé disse...

Não sabia e vou relembrar aos esquecidos algo que o mesmo escreveu...

João José Horta Nobre disse...

Publiquei:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2013/10/salazar-anos-sessenta.html

Contacto: historiamaximus@hotmail.com