Páginas

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Um novo RERT!

ECONÓMICO:

Regime excepcional de regularização de dívidas prevê perdão de juros e custas para que contribuintes que paguem dívidas ao fisco e à Segurança Social até 20 de Dezembro.
O novo plano extraordinário regularização de dívidas ao fisco e à Segurança Social prevê o pagamento integral das suas dívidas de natureza fiscal e contributiva até a próximo dia 20 de Dezembro, permitindo que empresas e particulares evitem as consequências da falta de cumprimento, nomeadamente penhoras. Os contribuintes que optarem pelo pagamento total das suas dívidas, já detectadas ou auto denunciadas voluntariamente, serão dispensados de pagar juros de mora pelo atraso no pagamento e juros compensatório, ficando ainda dispensados de pagar custas devidas no processo de contra-ordenação. Já ao nível das coimas contarão com reduções substanciais.

Portanto, um novo RERT, desta feita para os pequeninos...e grandinhos também. ( 8,5 milhões de euros é para os grandes...)
Estes RERT´s já na sua quarta edição ( desde 2005...) configuram-se como dantes as amnistias penais. O efeito é semelhante: apagavam-se os crimes de alguns, perdoavam-se penas de outros e em pouco tempo aumentava a criminalidade, num efeito paradoxal.

2 comentários:

Floribundus disse...

tentar espremer os contribuintes até ao último cêntimo

cuidado que a vaca marra de olhos abertos

espera-se a reforma do estado ainda este milénio

hajapachorra disse...

O mais engraçado é o mundo ali descrito ter por epicentro o DL, propriedade de 'fascistas', bem representativos do regime. Aliás um dos próceres da coisa, jornalista, poeta, contista, repentista e tudo, era filho de um dos donos. Não é possível perceber o regime actual sem querer entender que ele é filho do anterior. Grande parte dos esquerdistas de que o José fala eram filhos, sobrinhos, enteados, bastardos de 'fascistas' das corporações, da assembleia nacional, do governo.