sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Miró: "quem quer ser milionário?"

Crónica de Vasco Pulido Valente no Público de hoje, sobre os quadros de Miró e outras coisas com interesse.


VPV refere um programa de tv que também costumo ver:  Quem quer ser milionário?, apresentado, aliás muito bem,  por Manuela Moura Guedes.  Há algumas semanas um concorrente nem sabia bem quem era Miró e como escreve VPV, "na oceânica ignorância em que a "geração mais bem preparada de sempre rejubila" tal não suscita qualquer admiração. O nível cultural geral dos concorrentes é muito fraco e espelho do nosso ensino actual, mormente o básico que é uma desgraça nacional. Uma tragédia a que ninguém parece ligar.
Salazar teve o condão de perceber que escrever, ler e contar era essencial para a população, mas não seria preciso muito mais que isso. Agora nem isso e o resto vem por infusão televisiva ou assim.
Há quem pense que afinal não faz mal porque agora sabem-se "outras coisas". Porém, esssas coisas outras não substituem nem melhoram a carência de conhecimentos básicos que é confrangedora.
 O programa, além de entretimento é um espelho do nosso país cultural, actual. Realmente preocupante.

Nota à margem: o Diário de Notícias de hoje nem uma pequena notícia traz sobre o livro ontem lançado, com um ensaio acerca dos saneamentos no jornal, em 1975,  da autoria da direcção do jornal, com o Nóbél a capitanear. Amanhã, vou ver se traz alguma coisa...


2 comentários:

Floribundus disse...

não interessa votar nos políticos eleitos para o executivo
se temos o MºPº e os tribunais (estruturas não eleitas) para governar o rectângulo

a culpa era da troika e da merkel,
agora também é do miró

mural da estória
'no country for all men'

S.T. disse...


A. J. Seguro proclama por um tribunal especial para dirimir questões com investidores estrangeiros .

http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/seguro_quer_tribunal_para_investidores_especiais.html

:)

Dura lex, sed latex