quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Outra notícia que vale mais mil discursos


Notícias ao minuto:

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) recebeu do Estado 9,07 milhões de euros de subvenções em 2012. Este montante coloca o organismo desportivo entre as dez entidades que mais beneficiaram naquele ano.
Do total recebido, 8,8 milhões foram diretamente para pagar a dívida fiscal de clubes, caso que ficou conhecido como ‘Totonegócio’.
Nesta lista apresentada pelo i, a Cruz Vermelha foi quem mais benefícios recebeu, cerca e 15 milhões de euros. Segue-se a Escola Nacional de Bombeiros com pouco mais de 14 milhões de euros. O pódio fica completo com a Associação Jardins de Escola João de Deus, que arrecadou cerca de nove milhões.
Da lista da Inspeção-Geral de Finanças (IGF) faz ainda parte a Cáritas Diocesana de Coimbra, com nove milhões , a Autoridade Florestal Nacional, cerca de oito milhões, e a Mota-Engil, que fecha o top tem com pouco mais de oito milhões em subvenções.
No total, as subvenções comunicadas em 2012 custaram 2.241 milhões de euros, cerca de 1,35% do produto interno bruto (PIB) nacional.


Comentários para quê? São artistas portugueses e continuam na chuchadeira.

2 comentários:

JC disse...

Isso não é quase 1/3 do défice público?

Manuel de Castro disse...

José, não sei se deveremos meter os clubes de futebol e a Mota Engil no mesmo saco onde estão os bombeiros, cáritas, jardins escolas, etc.. Mas é ilustrativo do mau gasto crónico de dinheiros públicos.

Carros de música corrida