sexta-feira, 9 de maio de 2014

Os Irmãos são para as ocasiãos




Correio da Manhã de ontem. Rui Pereira escreve uma pequena crónica sobre um Irmão da Irmandade da Viúva a que também pertence. Para salvar a honra de um convento há muito decrépito e de fachada.
A Maçonaria tornou-se, provavelmentem, um centro de interesses obscuros que se servem de uma capa cor de rosa, debruada a filosofia de algibeira gnóstica, para encobrir a sede do vil metal das prebendas, cargos, privilégios e honrarias. A utilidade da vidinha boa junta-se à agradável sensação de pertença a um clube distinto e misterioso.
No fundo, porém, subjaz apenas o instinto de sobrevivência acima dos outros, numa pretensa elite enformada num sentido de vazio democrático. A Maçonaria não é democrática, apesar de se afirmar como respeitadora desse supremo graal e os valores que defende inquinam a igualdade que se ostenta no artº 50º da Constituição.
A Maçonaria é um antro, se assim for e Rui Pereira, melhor que muitos,  devia saber que assim é.
Portanto esta crónica é uma espécie de branqueamento de algo que não é possível caiar.
O tal Rosado Correia, que é João Alberto Correia, filho do outro e neto de um outro é da Maçonaria. Tem qualificações. Porém, só ocupou aquele lugar porque era da Maçonaria.
É um processo de intenção a quem tudo fez para o nomear? É. Claro que é.
Rui Pereira, maçónico, conta que o nomeou em 2011, por indicação de um Secretário de Estado que tutelava aquele serviço ( Direcção-Geral das Infraestruturas e Equipamentos). Quem era o Secretário de Estado?
Havia três: dois deles são apontados como sendo da Maçonaria- Vasco Franco e Conde Correia. E a outra só não é porque é mulher e a Maçonaria discrimina as mulheres ( apesar de criticar os regimes que o fazem...) e não as admite às cerimónias rituais e nas colunas que sustentam o templo decrépito.
Ora a questão é simples de perceber e de explicar ( o que Rui Pereira não quer fazer): entre vários candidatos ao cargo, todos com qualificações suficientes para tal, quem escolher?
Nem é preciso responder porque não vivemos num mundo de faz-de-conta apesar de parecer que sim e nos quererem fazer crer que não.
O que Rui Pereira devia escrever era isto, apenas, em nome da Verdade e transparência democráticas. O tal valor que a Maçonaria diz respeitar...
Sobre Rui Pereira tenho a acrescentar que é inestimável o serviço público que presta quase todos os dias como comentador da CMTV, porque sabe do que fala e fala como sabe, ensinando e esclarecendo quem quer ouvir. Finalmente, aparece na tv alguém que não desvirtua a realidade judiciária que lhe é dada a comentar. Parabéns e esta é a pancada no cravo. Aqueloutra é mesmo na ferradura porque tem que ser.



68 comentários:

zazie disse...

Esta é uma das maiores porcarias que existe.

Não a suporto. Se quer saber nem suporto sequer a "p**** dos ideais que dizem defender- como essa história da República que sempre foi a maior trampa em toda a parte onde a conseguiram instaurar.

Portanto, se sem ideiais é como se sabe, com eles é como se sabe e mais porcaria em cima, com a intenção de minarem as nacionalidades e a Igreja Católica.

Nunca foi outra coisa, tenha lá as variantes de seitas que tenha.

zazie disse...

Ah. E é mentira que alguma vez tenha sido pura e que depois se tenha corrompido.

Isso também se diz do comunismo.

mujahedin مجاهدين disse...

Há um dissidente israelita chamado Gilad Atzmon que diz que o verdadeiro poder dos judeus é a capacidade de impedirem a discussão acerca do poder deles.

Com estes é mais ou menos a mesma coisa.

josé disse...

Tenho por aqui uma revista Manchete de há quarenta anos em que se fazia um retrato dos 50 judeus mais importantes da época: com os retratos tipo passe e alinhados e com a biografia sumária.

É um artigo elogioso...

Um dia destes publico.

Amélia Saavedra disse...

Mas foram os "aventais" que inventaram a República e a Democracia?! A sério?! Era o que me faltava.... No que toca a estas coisas.. prefiro sempre os originais... estes "aventais" são meras cópias rascas... Ninguém inventa nada... já praticamente tudo foi inventado e não foram de certeza os "aventais"!!

zazie disse...

Foram, pois. Foram mesmo os aventais e a judiaria que fizeram todas as revoluções republicanas e laicas.

Acredite.

Até com o Cromwell a tentaram em Inglaterra.

a democracia não vem ao caso. Até vem dos escaparam sempre às utopias republicanas e laicas.

zazie disse...

A Revolução Francesa foi feita por eles. A russa, idem. O Novo Edem americano, idem.

A nossa, idem- Pelos aventais mais rasca que vinham dos cagotos. A cagotaria da Cabornária.

zazie disse...

Publique, José.

Já não anda online o Dragão para essas coisas.

Floribundus disse...

depois de 25.iv houve católicos e gente do cds

por volta de 90 deu-se a inundação da rataria voraz

o conhecimento é praticamente dentro da mesma loja ou chafarica

como organização é um clube recreativo
entregue a saloios que julgam pertencer a uma sociedade secreta
e brincam aos países

não é a maçonaria que os faz corruptos
os que já eram continuarão a ser

no séc xix eram clubes político-revolucionários

conheci o rosado pai e encontrei-o casualmente na albergaria em Monsaraz

zazie disse...

Pois, não fará mas dá uma forcinha e ajuda.

Um corrupto sem irmandades bem que pode tentar corromper que não tem onde.

ehehehehe

zazie disse...

Aliás, bem que gramava saber o que é um corrupto a solo

eheheheheh

Deve ser um corrupto imaginário.

zazie disse...

Se alguém jura fidelidades a um grupo e trata por irmão qualquer melro que nem é primo, está a base montada para tudo.

Pois se nem entre a própria família (a de sangue- a única que existe) podemos pôr a mão no fogo, quanto mais por malucos a magote mascarados de "ideais".

zazie disse...

Sorry, sô Fluribundus que o Fluribundus é uma simpatia e um homem bonito. E os homens bonitos tendem mais a serem ingénuos.

eheheheheh

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Floribundus disse...

Cara Zazie
fui roubado no Gol por 2 irmãos:

nunes de almeida do tribunal constitucional, que antes do 25.iv conheci a viver mal em Moscavide, roubou-me o manuscrito sobre cisões maçónicas

sá leão ou ladrão da estrada de Benfica roubou-me uma empresa, bateu-me na rua e foi absolvido pela porcaria de magistratura que nos foi imposta

há mais de 10, depois do episódio da reunião maçónica na Basílica da Estrela pelo grupo folclórico dirigido pelo irmmão proprietário do SNS, mandei informar o recem-falecido Cardeal que não devia ler a sério o que não merece importância e expliquei porquê. agradeceu, levou o conhecimento em consideração e esqueceu a desorganização

aquilo é a merda das merdas
há histórias tão ridiculas que me mijo a rir ao pensar nelas

Amélia Saavedra disse...

Peço desculpa pela minha ignorância, mas pensava eu que esta coisa de republicas já era uma ideia com mais de 2 mil anos... idem para a democracia.. já nessa altura existiam os "aventais"?! Pois, às tantas... Eles dizem que sim.. aliás dizem que a sua "vestimenta" já vem do tempo das pirâmides... pena não terem sido todos encarcerados junto com os faraós... Deus me perdoe!

zazie disse...

ehehehehe

Devia publicar essas historietas sob pseudónimo.

A sério.

zazie disse...

Amélia. Ideia é uma coisa, concretização é outra.

A República de Platão até nada tem a ver com a fantasia republicana que vai buscar à república romana até a terminologia.

Quanto a democracia, nem falei nela. Disse até que nada tinha a ver com essa treta das revoluções republicanas patrocinadas pelos illuminati maçónicos

zazie disse...

O momento chave é a Revolução Francesa.

Sempre que essa maltosa fala em ideias republicanos é daí que vêm.

Mas não se ficaram por aí- a revolução russa também os teve e também tinha de ser republicana e laica.

zazie disse...

Até pela etimologia da palavra e sua história e uso se percebe.

Em Inglaterra, a primeira vez que aparecem essas aproximações é mesmo no séc XVII com o Cromwell.

Ora o Cromwell foi colocado no poder graças à mistura de patrocínio de judeus ricos holandeses e de seitas de clubes de onde se forma a maçonaria inglesa.

zazie disse...

Só que os pedreiros já existiam desde a Idade Média. E esses eram os mesmos cagotos que depois são os sans-culottes da revolução francesa

Amélia Saavedra disse...

Certo cara Zazie... já percebi onde quer chegar... e sim creio que a coisa, ou melhor o monstro, começa ai... na guilhotina.. Mas porquê? Porquê? É tudo por não gostarem das monarquias e religiões (cristã)? É só por isso?
Bolas... mas porquê?!

zazie disse...

Tudo isso vem de seitas medievais. São variantes de heresias.

Não é por acaso que todos os principais da Reforma tenham teorizado acerca do ideal da República.

A explicação pode ser simples- quando se quer um ideal novo, ad hoc, tem de se deitar abaixo a tradição.

Ora a tradição era católica e monárquica. O ideal republicano aparece até nas comunas italianas e está na base do Maquiavel.

Mas depois precisava de mais terreno para se espalhar. Por isso é teorizado pelo Hobbes que, de certo modo, é pai do Estado moderno.

Depois isso é desenvolvido com os ideais jacobinos.

Agora os maçons são uma sala pateta que mistura tudo isso, juntamente com lobbies judaicos e protestantes.

Todos eles são internacionalistas e aspiram a uma irmandade mundial.

Como é óbvio, dá para ver quem a cavalga.

zazie disse...

Não gostarem é como quem diz.

Sempre houve adoradores do demo. A maçonaria nem é propriamente ateia. Vem dos gnósticos, das heresias, mistura-se com kabalas e coisas assim.

As orfandades são tramadas. Imagine que v. tinha uma forte necessidade religiosa mas, por motivos que nem sabia conscientemente como, detestava todas as religiões.

Se lhe aparecesse uma macacada parecida mas que nem tinha padralhada e até servia para a combater, podia perfeitamente alinhar nela.

lusitânea disse...

A maçonaria não é só cor-de-rosa.Está como estava o Sócrates em todo o lado...e logo que o psd ganhou quem ocupou a cadeira foi claro um irmão do psd...
É a democracia deles...

zazie disse...

Há quem diga que a guilhotina até começou das brincadeiras dessa malta com a fabricação de dinheiro a partir do ar.

As bolhas da finança estão na base dela.

Depois aparecem as engenharias financeiras, a seguir os esquemas cientóinos e junta-se tudo na Royal Society


Leia o Swift-As viagens de Gulliver que está lá tudo.

Aí e no conto de um tonel

lusitânea disse...

O que interessava é que quem dava a "obra" era maçon e quem a fazia era maçon.O resto são cantigas e cortes dos pensionistas e reformados para colmatar essas roubalheiras todas e outras que exauriram o erário público devidamente "privatizado"...

Amélia Saavedra disse...

Hummmm, muito interessante... talvez isso também explique a proliferação de das crenças tipo New Age... há uma em Portugal que preconiza um mundo melhor (é sempre para melhor...heheheh!!) sem países (imagine - logo o ser humano que até é um animal e ainda para mais territorial).. e, como não podia deixar de ser.. sem classes (isto do gurus não deve entrar na ideia de classes... hehehehehe!)... enfim!!!

zazie disse...

O que é curioso é que o Hobbes até é fruto daquele horror do Cromwell. E esse sim, foi colocado por judeus e queria que a Inglaterra também fosse uma república.

Foi uma primeira experiência de revolução, que depois resultou em pleno em França.

Mas o Cromwell tenta novamente o chefe como uma espécie de monarca político e espiritual e vai buscar a moral à thora. aos 10 mandamentos, sendo claro a dizer que o cristianismo era demasiado frouxo para estar na base de uma moral de Estado

ehehehe

Em França estas coisas pegaram de raiz e, infelizmente, para nossa desgraça, também as comprámos numa estranha mistura.
Porque Portugal nunca deixou de ser católico, por muito que liberais e republicanos o tenham tentado.

Mas entraram e a formiga braca ainda anda por aí. A formiga do carvão dos cagotos.

zazie disse...

O PS é carbúnculo maçónico.

Os outros alinham porque aquilo tem poder maior que os partidos.

Controla o principal- os tribunais, por exemplo. O que devia ser autónomo é minado por estas irmandades.

É a absoluta sabotagem da democracia.

Por isso é que o Rui Pereira é parvo, a querer enganar.

Floribundus disse...

o rui não é o gajo do
'mata que é brasileiro!'

neste rectângulo das falências do
socialismo post-mortem

vive-se a 25^hora de Gheorghiu,
seja a que vem depois da última,
seja a da partida para os 'quintos dos Infernos'

zazie disse...

Agarra, não. Atira. Snippers. Não fez por menos.

Floribundus disse...

Cara Zazie

aceitei a incumbência de executar até *as férias Transmontanas (para me sentir vivo)
uma compilação sobre 'alimentos, medicamentos, venenos'
mera questão de dose

para um Amigo muito especial que se servirá da mesma para integrar uma
publicação sua

depois voltarei a pensar na formar de publicar online parte do meu diário maçónico

para se rebolarem a rir

zazie disse...

Boa. Bem que gostava de ler

eehhehe

mujahedin مجاهدين disse...

Sabotagem da democracia, eheheh.

Há quem diga que a sabotagem é a própria democracia... que é tudo menos o governo do povo.

Mas é realmente o único sistema possível num mundo de individualismo extremo em que ninguém quer "perder direitos" por mais fictícios que sejam, nem está para pensar no depois de amanhã.

Mas a Zazie não sei porque não inclui a democracia aí na galeria de troféus desses artistas...



mujahedin مجاهدين disse...

Em todo o caso, a culpa não pode ser só deles... Numa vigarice há sempre dois vigaristas: o que vigariza e o que é vigarizado...

zazie disse...

Diga-me lá qual foi a democracia que nasceu de uma revolução republicana e eu incluo.

ehehehehe

zazie disse...

A mania da igualdade é uma coisa. A democracia é outra.

Os igualitários nunca instauraram democracias.

mujahedin مجاهدين disse...

A nossa não foi? A da 1a República?

zazie disse...

Como assim? E a monarquia constitucional o que foi?

Quem é que ainda restringiu direito de voto?

zazie disse...

As "democracias" deles são mais assim:

http://www.cocanha.com/gajos-malucos/

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
mujahedin مجاهدين disse...

Tem razão.

Mas assim sendo, a democracia é que criou a república... Eheheh!

zazie disse...

Não diga disparates.

Quem a criou foi a maçonaria que já vinha do Marquês de Pombal.

Foi o jacobinismo e até foram os liberais, veja só.

mujahedin مجاهدين disse...

Então mas qual é o disparate?

A democracia liberal não é produto das luzes tanto como a república o é?

Não veio tudo no saquinho de brindes dessa gente para a Humanidade?

Manuel de Castro disse...

Há a boa maçonaria e a má, embora esta seja de longe a predominante. Até nestas "pequenas" coisas:
http://www.ionline.pt/artigos/dinheiro/deo-despesa-estudos-sobe-166-milhoes-ser-cortada-2015

zazie disse...

Oh. Nesse caso, até tinha vindo tudo do absolutismo régio.

O nazismo veio da República de Weimer, já agora.

A mentira que o Rui Pereira diz é que a maçonaria teve causas nobres que deram esses legados à humanidade- a dita democracia, a abolição da escravatura, o ensino público e o sns.

Ele droga-se.

zazie disse...

Essa cena da boa e da má é o que mais me encanita.

Isso e "a perda de ideais".

O tanas, quanto mais ideais perderem, melhor. Porque de ideais maçónicos está o mundo cheio.

zazie disse...

Ora explique lá, pela sua lógica de querer dizer que a salvação está sempre em regimes totalitários ou absolutistas, como é que o maior absolutismo que tivemos- o da Real Mesa Censória, também foi o mesmo que introduziu o jacobinismo e os da Viúva.

o termo jacobinos é usado a primeira vez em Portugal pelo Pina Manique, que bem os travou.

Mas não chegou. O marquezinho abriu-lhes a porta e infiltrou por cá judiaria e protestantes para dividir e quebrar a Igreja Católica.

zazie disse...

Aquela da República de Weimar e o que ela gerou foi provocação mas foi de propósito.

È bom que se conheça a História para não se esquentar demasiado a cabeça com utopias.

mujahedin مجاهدين disse...

querer dizer que a salvação está sempre em regimes totalitários ou absolutistas

Ah mas isso é apenas uma intenção que V., Zazie, me atribui. Dificilmente me deve ter visto escrever tal coisa.

Mas na realidade até é bom é que puxe isso. Porque eu acho que as pessoas foram convencidas de que a salvação está sempre em regimes ditos não-totalitários ou não-absolutistas. Claro que, aquilo que elas acham não-totalitário não precisa nada de o ser, nem é.

Por exemplo, V. diz muitas vezes que não há melhor que a democracia. E eu digo que isso não pode ser bem assim porque só houve democracia há muito pouco tempo. Portanto a maior parte da história dos homens passou-se sem democracia. Os maiores feitos da humanidade não tiveram nada que ver com isso.

Ora eu penso que nem vivemos em democracia nem a democracia é o melhor sistema. Acho que há coisas que não devem ser sujeitas a mero voto por maioria. O Governo de um Estado é uma delas. Mas também acho que é impossível governar sem apoio popular. E acho que as democracias são, a seguir aos comunismos, os regimes que menos apoio popular têm.

Eu, por exemplo, acho que vivemos num totalitarismo. E agora? Sou maluco?
O que é certo é que me dizem o que posso pensar acerca de uma data de coisas: de vestuário a comida, das mulheres às prácticas sexuais. Das cores de pele e geografias àquilo que pode ou não ser o meu povo. Da literatura à arte à religião. De bandeiras a gestos. Tudo quanto se faz é controlado e policiado. Não se pode ir ao café sem medir rigorosamente a velocidade a que se rola e os mililitros de vinho que se bebeu.

E depois há a História. Há uma que é - e penso que a palavra é adequadíssima - "kosher"; e há outra que é interdita. É proibida. Em muitos países - todos democracias exemplares, curiosamente - dá cadeia pelo mero facto de ser mencionada.

E devo, apesar de tudo isto, pensar que estes regimes são a melhor coisinha desde o pão fatiado? Nah... Eu nem gosto de pão fatiado. Gosto é de broa.





mujahedin مجاهدين disse...

Quanto aos totalitarismos, fascismos e nazismos, faz-me lembrar esta história:

"The Appointment in Samarra"
(as retold by W. Somerset Maugham [1933])
The speaker is Death

There was a merchant in Bagdad who sent his servant to market to buy provisions and in a little while the servant came back, white and trembling, and said, Master, just now when I was in the marketplace I was jostled by a woman in the crowd and when I turned I saw it was Death that jostled me. She looked at me and made a threatening gesture, now, lend me your horse, and I will ride away from this city and avoid my fate. I will go to Samarra and there Death will not find me. The merchant lent him his horse, and the servant mounted it, and he dug his spurs in its flanks and as fast as the horse could gallop he went.

Then the merchant went down to the marketplace and he saw me standing in the crowd and he came to me and said, Why did you make a threating getsture to my servant when you saw him this morning? That was not a threatening gesture, I said, it was only a start of surprise. I was astonished to see him in Bagdad, for I had an appointment with him tonight in Samarra.

Luis disse...

Curioso que RP tenham acusado as dores da maçonaria neste caso. Deve andar a posicionar-se para grão-mestre. De qualquer forma, nunca o vi a insurgir-se quando a CS denuncia casos que envolvem juristas ou professores. Porquê? Ele também é jurista e professor. Então o que é diferente neste caso em que o envolvido é avental?
É que o RP sabe que os seus irmãos maçons estão neste caso enterrados até ao pescoço. É maçon nomeado por um maçon (o próprio RP) e no gabinete daquele o que por demais havia (e continua a haver) são irmãos maçons. Não esquecer que o secretário de Estado era tb maçon e que até a cunhada tinha enfiado no gabinete daquele director-geral. Já para não falar dos juristas que "legitimavam" aqueles ajustes directos. Era e continua a ser uma “grande” família (de interesses). O RP desde há muito que presta serviços ao GOL. Há alguns anos foi no combate à outra obediência. Estão lembrados da história da casa do sino e da Moderna? e dum tal relatório elaborado por um serviço dirigido pelo tal ex-MAI? Relatório esse escrito pelo marido da tal cunhada do tal ex-SE e agora DG de um outro ministério, desta vez da justiça? Uma grande família esta. Claro, grande em interesses defendidos que não são interesses públicos. Aqueles interesses têm no processo outro nome: corrupção.

zazie disse...

Eu disse que a democracia é o menos mau, por não se ter inventado melhor.

Claro que v. nunca escreveu que o totalitarismo é o melhor.

Não escreveu explicitamente. Mas, implicitamente, é essa a sua fezada. Como acaba de o dizer agora.

zazie disse...

Quanto ao passado, passou.

Não tenho pachorra para os ancap precisamente por também se esquecerem que as coisas são históricas e que não vamos agora voltar a nenhuma utopia medieval.


zazie disse...

Mas eu não ando aqui a vender bondades de democracia.

V. é que aproveitou logo o facto da trampa maçonica republicana ter deitado monarquias abaixo para dizer que a democracia é fruto dela.

Como eu lhe lembrei que o voto até foi inventado na monarquia, então vá de fazer demagogia e dizer que foi a democracia que gerou a República.

Não dá.
V. tem essa mania de se esgueirar que nem peixe.

E eu sou mais de marrar em frente.

ehehehehehe

mujahedin مجاهدين disse...

ahahaha!

V. é que tem mãos rotas!

Mas é verdade que quanto mais falam em totalitarismo mais totalitário isto fica.

As pessoas vão a correr para Samarra e não param para pensar que, se calhar, a ameaça no mercado não era uma ameaça e se estão a precipitar para o que tanto querem evitar.

zazie disse...

ehehe

Por acaso é verdade que me irrita quando se escorregam entra as mãos

":O)))))))

zazie disse...

Mas, já que gosta tanto de palrar, conte lá como era a monarquia constitucional e porque é que ela é que patrocinou a República.

Então e nos locais onde havia Império, foi o quê que patrocinou a dita República.

E dela o que é nasceu também, no caso da Rússia, por exemplo, já que não quero causar melindres com as consequências de Weimar.

zazie disse...

Só por curiosidade, conte lá, é peixes de signo?

É que parece mesmo

eheheheheh

mujahedin مجاهدين disse...

Se isso significa ser o meu aniversário em Março, por acaso acertou. :)

Quanto ao resto estou com pressa e tenho que sair.
Fica para amanhã.

zazie disse...

ehehehehe

Sou bruxa.

Divirta-se

":O))))))

JC disse...

Se nasceu em Março pode ser carneiro

zazie disse...

Se fosse tinha espingardeado logo.

É peixe e escorrega que nem enguia

":OP

José** disse...

Uma illustração em estrangeiro : "se acreditamos na republica, como é o meu caso, temos que passar pela maçonaria"

http://lesalonbeige.blogs.com/my_weblog/2014/05/si-lon-croit-dans-la-r%C3%A9publique-il-faut-passer-par-la-franc-ma%C3%A7onnerie.html

Extracto do documentario : "Franc-Maçonnerie : Allégeance Présidentielles 2012" http://youtu.be/xHrMh_TLMFk


Cumprimentos a todos.

mujahedin مجاهدين disse...

JC,

posso, mas só às vezes.

:)

Maria disse...

A propósito deste interessante e deveras útil debate, aproveito para deixar aqui mais uma achega. Trata-se de uma opinião abalizada proferida por um maçon proeminente (isto já diz tudo sobre a veracidade da mesma) que há alguns anos revelou o seguinte sobre a verdadeira participação da maçonaria neste regime e no rumo altamente 'democrático' que a ele se seguiu. Ou melhor, que foi obrigado a seguir.

Peço desculpa de não ter apontado o nome do entrevistado nem o canal em que passou (na altura nem por um segundo me passou pela cabeça que tal teria valido muito a pena), isto já foi há muito tempo, talvez há quatro ou cinco anos ou mesmo mais e não posso assegurar mas tenho ideia de que a personagem em causa ou era o dr. Antº. Arnault ou o dr. Antº. Reis. De resto muitíssima gente tê-la-á visto e dentre esta alguém (quem sabe se o José) lembrar-se-á de certeza do nome do entrevistado e do respectivo canal.

Eis o que ele afirmou:
"Pouco depois da revolução (terá sido durante o P.R.E.C.?) começámos a verificar que a política do país estava a caminhar na direcção errada ou seja, para a direita, é claro que isso não nos agradava, foi então que decidimos intervir para colocar as coisas no seu devido lugar"(*) e disse isto com um sorriso cínico, porém demasiado revelador, como que a querer provar ante os portugueses que a intervenção da sua seita boazinha e purificadora (diabólica e criminosa, digo eu) na política a adoptar pelo sistema daí em diante, seria a correcta, além de que significaria um bem inestimável para o país e para o povo...

Então não foi?, claro que sim e com sobras... Mas era desnecessário salientá-lo já que todos sabemos do que a casa gasta. Basta atentar no magnífico resultado obtido após quarenta anos de tão intenso quão profícuo altruísmo - ele está à vista todos.

(*)As palavras poderão ter sido ligeiramente diferentes (citei de memória) mas a intenção e o significado eram estes, sem tirar nem pôr.

Maria disse...

"... ou seja, para a direita..." esta asserção embora não proferida no discurso estava nele perfeitamente subentendida, de modo que deverá ler-se entre parêntesis.

O TCIC é para acabar...