Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2014

Portugal nos últimos 40 anos: três bancarrotas passaram por aqui

A revista Tabu do jornal Sol de hoje traça em oito páginas a história de Ricardo Salgado e do seu banco de família, BES.

Ponho aqui as últimas quatro para se perceber como atingimos a terceira bancarrota em 40 anos de democracia. O Pinho dos tamancos aparecem em evidência almocreve.


E quatro magníficos protagonistas; o quinto ( Soares dos Santos) mero surfista de ondas políticas. 


Sobre este assunto e estes desgraçados milionários que arruinaram um país gostaria de perguntar a algumas pessoas o que pensam. A Ferraz da Costa e a...Oliveira Costa. Sim, o do BPN, sobre quem recaem  cavilosas acusações de que "encobriu dívidas nas contas oficiais, inflacionou activos e falsificou resultados".
Exactamente o mesmo de que Ricardo Salgado é acusado. Oliveira e Costa ( tal como Jardim Gonçalves) é "um caso de polícia". Este Salgado é apenas um caso de politica.

No artigo diz-se que Ricardo Salgado, "agora perdeu a idoneidade".
Qual o bem mais precioso de um banqu…

Alberto da Ponte e a...indivídua

O gestor da RTP, Alberto da Ponte, afirma na entrevista ao Económico TV que " se houver um indivíduo ou... uma indivídua que seja que seja suficientemente..eh....tenha qualidades de trabalho, tenha determinação, tenha vontade, tenha até paixão por aquilo que  que faz, haverá sempre trabalho para essa pessoa"...

Seja indivíduo ou mesmo "indivídua"...é ver para crer ao minuto 28:55.



A educação parlamentar

RR:

Um incidente parlamentar durante a discussão sobre um pacote legislativo do jogo online envolveu o deputado José Magalhães e a bancada do PSD, com o socialista a dizer "vá chamar palhaço ao seu pai".
O deputado intervinha quando, virando-se para a bancado PSD, afirmou: "Vá chamar palhaço ao seu pai".
Questionado pela agência Lusa, José Magalhães explicou que se tratou de uma resposta a um à parte do deputado do PSD Duarte Marques, que empregou a palavra "palhaçada".
O vice-presidente da bancada parlamentar do PSD, Luís Menezes, pediu a palavra e antes o vice-presidente da Assembleia e deputado comunista António Filipe, que se encontrava a presidir aos trabalhos da Assembleia na ausência da presidente, Assunção Esteves, alertou para a necessidade de manter o "nível elevado".
Luís Menezes disse subscrever as palavras de António Filipe e acusou José Magalhães de "falta de educação".
José Magalhães voltou a intervir afirmando que a acta…

Proença de Carvalho, de novo e sempre.

A imagem é da revista Sábado de hoje.

Mais uma vez, Proença de Carvalho surge dos bastidores de mais um escândalo financeiro, a puxar pelo trunfo da influência fundamental para se manter em sintonia com o sistema.

Isto dura há décadas, praticamente desde 25 de Abril de 1974, com raízes anteriores no caso da herança Sommer.

Como este assunto é repetido, apresento cromos correspondentes. E um pequeno texto antigo sobre o assunto:

O advogado Proença é da Soalheira, no Fundão. Foi funcionário público, incluindo polícia e magistrado do MP, até 1968, altura em que se tornou partner de Salgado Zenha, no caso da herança Sommer. Desde então, advoga em causas ligadas ao poder. Literalmente ou em procuração informal. Em todas as causas importantes deste país pequeno, Proença aparece destacado como advogado, conselheiro, reposteiro político, biombo de políticos ou defensor de vínculos políticos de fama periclitante.
Em todas as crises políticas importantes, recentes ou antigas, derivadas d…

Em vaca sagrada não se mexe...

Expresso online:
Quase 24 horas depois da apresentação do projeto de revisão constitucional dos deputados do PSD eleitos pela Madeira, a direção do partido, pela voz do vice-presidente e deputado José Matos Correia, diz que a discussão é extemporânea porque "não sabemos qual vai ser o futuro do PS". No Parlamento, e na primeira reação da direção, Matos Correia lembra que para fazer a revisão é necessária uma maioria de dois terços, ou seja, é necessário um acordo com o PS que, nesta altura, é impossível porque "nem sequer sabemos o que pensa do assunto um dos candidatos socialistas". O deputado acrescenta, por isso, que a "bola está do lado do PS".
Esta rábula entre os dois partidos "do arco da governação" dura há décadas. De facto, começou logo em 1982 aquando da primeira revisão constitucional. Em 1989 repetiu-se. O PSD e o PS estão perfeitamente sintonizados com a Constituição que temos, socialista e democrática e que até agrada ao PC…

Opiniões de luxo e de lixo

Em Portugal há relativamente pouca gente que vale a pena ouvir. Muito menos ainda para seguir ou ajudar a reflectir.
Porém, há uma certa categoria de indivíduos que merece a pena perder alguns segundos a ouvir ou ler, mais não seja para perceber o que certas elites percebem.

Um deles é Alexandre Soares dos Santos, por uma razão, além do mais: é um dos mais ricos do país, se não mesmo o maior e fez fortuna em actividade privada e relativamente independente do Estado. É um dos que nos resta da antiga linhagem dos empresários portugueses que faziam parte da dúzia de famílias que o Esquerdismo militante considera como "os donos de Portugal", como se estes, caso não trabalhassem e fizessem como esses treteiros marxistas, continuassem donos do que quer que fosse...

Soares dos Santos mais uma vez falou e desta vez para anunciar a mudança da sede da empresa para a Suiça. A razão? Não temos banca capaz.

RR:

"A Jerónimo Martins, dentro de um ou dois anos, deve estar em Genebra. …

Abuso de informação privilegiada no caso BES? Provavelmente prescreve...

O cronista João Miguel Tavares escreveu uma crónica, ontem no Público, sobre o caso BES, onde a dado momento diz assim:

O que o seu  currículo [de Morais Pires, braço direito de Ricardo Salgado]não diz, mas o Ministério Público poderá confirmar, é que Morais Pires é arguido num processo de insider trading a propósito da compra de acções da EDP em Janeiro de 2008.

Crime de "insider trading" de 2008, relativo a acções da EDP no tempo de José Sócrates e Mexia e Cª? O mais certo é estar prescrito, caso esteja a ser investigado.
Vejamos.
Este crime, aqui explicadinho, tem uma moldura penal que no máximo não passa dos três anos de prisão. A prescrição deste tipo ocorre em cinco anos, já passados. No máximo, e caso esteja a ser investigado, com suspensões e interrupções acrescem aos cinco, mais dois e meio e já está. No papo e limpinho, limpinho.

SCUTS: a Administração Fiscal actua ( legalmente) como cobrador do fraque.

Depois de ver este video...



É favor ler isto para perceber melhor o que a RTP não consegue explicar em imagens e texto de reportagem:

Imagine alguém que em 2011 tinha um carro cuja morada no livrete estava registada como sendo em determinado local diverso da residência habitual.
Imagine que empresta esse carro a alguém, durante uns dias, e esse alguém, em Julho de 2011, vai dar uma volta e passa em determinado local que acciona o registo de passagem em portagem sujeita a custo para o utilizador, por conta da Ascendi, uma empresa que logrou umas chorudas PPP´s quase na mesma altura. Custo da passagem: 70 cêntimos.
O utilizador ocasional esquece-se de pagar o custo ( porque o carro não é seu e não tem "dispositivo") e começa a saga em que a Ascendi vai ganhar um balúrdio, apenas por causa da circunstância de o proprietário do veículo não ter alterado a morada no respectivo livrete.

O caso merece atenção porque envolve prescrição de procedimento contra-ordenacional que…

Ricardo Salgado é outro do grupo dos finórios

Observador:

Ricardo Salgado nega que tenha conhecimento, desde 2008, das dívidas escondidas no Grupo Espírito Santo, ao contrário do que diz o ex-contabilista. Olhemos para este diferendo na perspectiva que Hercule Poirot teria, usando as “celulazinhas cinzentas”.


No verão de 2007 rebentou a crise do sub-prime nos EUA, que não afectou directamente os bancos portugueses, não devido a qualquer superior sagacidade dos nossos banqueiros, mas simplesmente porque o sistema bancário português sofria de um enorme défice de recursos, colmatado no exterior, não sobrando fundos para investimentos mais criativos.

Aquela crise provocou estragos profundos no sistema financeiro mundial, tendo levado quase à falência o até então prestigiado banco de investimento Bear Sterns, salvo em Março de 2008. Em Setembro desse mesmo ano não foi possível evitar a falência de outro banco importante, o Lehman Brothers. A partir daí, a crise passou do sistema bancário para a economia, gerando-se a mais grave cris…

Marcello Caetano cavou a sua sepultura política?

Há quem pense, escreva e diga que Marcello Caetano é responsável pela sua própria queda e do regime em que se apoiava.

Perante a crescente onda esquerdista que invadiu Portugal nos anos sessenta, Marcello Caetano contemporizou demais com essas forças deletérias do regime e que acabaram por o derrubar em 1974, tomando as rédeas de um PREC inesperado.

Sendo esta tese apelativa para quem gosta de passar culpas, colocando nas vítimas a responsabilidade pelas ofensas sofridas, torna-se difícil de escrutinar se contextualizada no tempo e no modo.
Há contemporâneos de Marcello- até ministros do seu Governo, como Joaquim Silva Pinto- que preferem essa explicação, eventualmente para não assumirem traições pessoais aos que afeiçoaram e há os que não compreendem - é o meu caso- como é que em poucas semanas de 1974 se passou de uma situação política avessa a uma Esquerda totalitária, para uma outra no mínimo contemporizadora com tal solução política, adoptando a linguagem e até a doutrina dos que…

Que jornal aceitaria publicar uma ficha clínica?

SIC-N:

A ficha clínica de Michael Schumacher foi roubada do hospital de Grenoble, em França, onde o ex-piloto de Fórmula 1 alemão esteve internado durante seis meses.
Segundo a versão "online" do jornal francês Dauphiné Libéré, os advogados suíços da família Schumacher também apresentaram queixa, enquanto o alemão Bild-Zeitung diz que o "vendedor" dos documentos pede 60.000 francos suíços (48.000 euros) aos jornais aos quais já propôs os documentos. 


A pergunta a fazer é: que jornais portugueses aceitariam publicar os dados da ficha clínica?Melhor ainda: que directores de jornais portugueses aceitariam pagar por tal coisa e publicar o conteúdo, justificando-se com o interesse público na notícia?

Havia um jornal que o faria: o extinto 24 Horas dirigido pelo estulto Pedro Tadeu. Por uma razão: fê-lo pelo menos uma vez, com os dados da ficha clínica de um político, para atacar o antigo PGR Souto Moura...
A ficha clínica de Leonor Beleza também foi publicada por…

Francisco Miguel, o comunista ideal: sapateiro tocador de rabecão de amanhãs a cantar

Francisco Miguel foi um comunista da estirpe funcional de um Cunhal. Aprendiz de sapateiro, acabou a tocar o rabecão dos amanhãs a cantar para todo o sempre.

Em 1977 escreveu a sua biografia singela de propaganda ideológica como se tivesse nascido a mamar na teta comunista.  Todo o livro de 180 páginas se passa num exercício de vilipêndio do "fascismo" português e na exaltação das maravilhas comunistas, num delírio expositivo que nem os chineses mais imaginativos conseguiriam reproduzir na altura da revolução cultural.


Em 1935 esteve na URSS e o relato que faz, na primeira pessoa, desse tempo que por lá passou é encantador. Não podia haver lugar algum no mundo que fosse tão maravilhoso quanto Moscovo, em 1935!
 O preâmbulo explicativo é precedido por um breve prefácio da autoria de Margarida Tengarrinha, uma das figuras da Esquerda nacional. 


 Em meia dúzia de páginas consegue descrever as maravilhas da sociedade soviética sem mencionar uma vez sequer o terror estalinist…

Alberto da Ponte, outro finório

 Alberto da Ponte, o da RTP:

Olhando para a política, o presidente da RTP aponta Passos Coelho como o melhor primeiro-ministro desde Sá Carneiro. 

Então... o que é que está a fazer o ex-primeiro ministro, José Sócrates,  na RTP? A mobilar tempo de antena com comentários de propaganda ao que fez e escondendo como nos desgraçou colectivamente? Ou é apenas para assegurar a continuidade do "nunca se sabe"?

Os finórios do PREC

Depois do PREC e desmandos revolucionários,  patrocinados pelo PCP e praticados pelos doentes infantis do comunismo, com o silêncio tácito do Conselho da Revolução, que compreendia estes "excessos", foram publicados alguns livros que se perderam no pó das livraria, relegados agora para alfarrabistas sem critério que os coleccionam para vender a patacos.

Dois desses livros são da autoria de um certo Daniel Proença de Carvalho - Cinco casos de injustiça revolucionária, Edição de Autor, 1976 e de um certo José Miguel de Alarcão Júdice- do voluntarismo na revolução portuguesa, Edição de Autor, 1976.

Do primeiro deles aqui ficam algumas páginas reveladoras do estranho fenómeno de linguagem que se entranhou no léxico corrente.

O primeiro tem a ver com o "saneamento" ( era assim que se designava o afastamento compulsivo de pessoas ligadas ao "fascismo" e que ocupavam ainda cargos no Estado) de um  alto funcionário da Biblioteca Geral da U. Coimbra e a linguagem …

O que tem de ser dito a um Constitucional de Esquerda

Esta entrevista de Nuno Garoupa, ao i de fim-de-semana vale a pena ler porque concentra em meia dúzia de respostas o vademecum da crise que existe com este Tribunal Constitucional.



Mais uma de José Sócrates, o Inenarrável

InVerbis:
O ex-primeiro-ministro José Sócrates garantiu ontem que nunca usou um cartão de crédito do Estado em serviço. "Acontece que, enquanto fui primeiro-ministro, nunca tive nenhum cartão de crédito do Governo. Nunca tive", declarou o ex-governante socialista, citado pela Lusa, numa reação à notícia do Correio da Manhã sobre a investigação do DIAP de Lisboa.
Em causa está um processo que resultou de uma queixa apresentada pela Associação Sindical de Juízes Portugueses, em 2012, sobre o uso de dinheiros públicos no tempo da governação de José Sócrates, entre 2005 e 2011. Um dos pontos-chave da investigação é uma auditoria do Tribunal de Contas, de 2007, que concluiu pelo risco de "discricionariedade" no uso de cartões de crédito.
É sempre a mesma táctica: negar factos, sempre e veementemente, através de meias-verdades que podem ser mentiras completas. São vários os exemplos desta táctica do Inenarrável para justificar condutas ilegais e que merecem rep…

o TC aclarou que não aclarou

Expresso:

O Tribunal Constitucional refere que não pode ser retirada qualquer ilação do indeferimento do pedido de aclaração apresentado pela Assembleia da República, a propósito do acórdão que chumbou três normas do Orçamento do Estado.

Isto está a tornar-se patético. O Tribunal Constitucional recusou aclarar o acórdão de que se fala. Diz que nada há para aclarar e explica que não aclarou porque era claro o que acabou por aclarar.
Agora, perante as consequências da aclaração vêm dizer que não aclarou o que aclarou...

O Governo já declarou que percebeu a aclaração e vai proceder em conformidade. Como o Tribunal nada aclarou não se entende porque vem agora aclarar.

Os media matrix da mentalidade nacional

Ao longo dos últimos 40 anos a evolução mediática em Portugal pautou-se por um fenómeno singular: uma esmagadora maioria de esquerda domina ideologicamente tais media. Por esquerda compreendo aqueles que acreditam nas virtudes salvíficas do socialismo, democrático ou nem isso. Portanto, do PS para a esquerda do espectro político e com grandes fatias de simpatizantes do PSD e até do CDS.

Para percebermos como foi possível este estranho fenómeno na sociedade portuguesa temos que recuar alguns anos antes do 25 de Abril de 1974 e entranharmo-nos nos próprios anos sessenta, após o Maio de 1968 e das crises académicas em Portugal, no ano seguinte e com percursores muito antes disso.

Não obstante tal tarefa ingrata obrigar a mostrar um Alberto Martins a provocar publicamente o então presidente da República, Américo Tomás e ainda mais atrás um Sampaio cenoura sentado a protestar nas balaustradas universitárias, podemos cingir-nos ao período que começou logo em 1974, no início do PREC.
Um do…