Páginas

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

O ónus da prova do recluso 44





As mentiras têm pernas curtas e até o jornal i de hoje as detectou. O que agora falta fazer à TVI, para se exercer um contraditório que não fizeram,  é remeter ao recluso 44 as perguntas que faltam para que se esclareçam estas galgas e não passem por tolos que aparentemente não se importam de ser, porque o jogo da actual direcção é outro: proteger interesses comuns aos do 44.



De resto quanto à inversão do ónus de prova já no Correio da Manhã um dos cronistas ( e que  poderia ser o director de informação de uma TVI mais isenta, dentro do mesmo quadro situacionista) escrevia assim:

4 comentários:

Floribundus disse...

directamente de Paris XVI para a pildra.

com passagem pela o gabinete de um juiz que se esqueceu de lhe perguntar as razões porque estava ali

por não ter votado nele vingou-se e enjaulou o 'animal feroz'

desesperado com a injustiça
exigiu a presença e actividade dos súbditos

para 'reclamarem no deserto' do 'jamé'

levantou-se uma 'vaga defunta'

Luis Rodrigues disse...

A arguta Edite Estrela está muito excitada porque não percebe onde estão as contradições
http://vaievem.wordpress.com/2015/01/05/contradicao-qual-contradicao/

Luis Rodrigues disse...

Correcção: queria dizer Estrela Serrano.

josé disse...

A Serrano também?

Revelam o que sempre foram: apaniguados do 44 enquanto teve poder.