Páginas

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

O frete da SIC de Balsemão ao recluso 44

O recluso 44 escreveu umas respostas convenientes à sua defesa, perante umas perguntas ajustadas às mesmas apresentadas pela SIC de Balsemão.
As perguntas são um frete ao recluso, completo e redondo, uma obscenidade e as respostas uma tergiversação sobre a essência do assunto que mantém preso José Sócrates, ex-primeiro ministro: corrupção de alto coturno com dezenas de milhões de euros escondidos algures, enquanto foi governante.
A maior parte da entrevista é para vituperar a maldita violação de um segredo que já não o é nem devia ser. Como se fosse possível manter em segredo o que está escarrapachado em peças processuais divulgadas, em sede de recursos de "habeas corpus" e outros... servindo essa violação para usar como arma de arremesso contra o poder judicial. Os idiotas úteis ( como Santana Lopes na mesma SIC, agora às22:15) servem-se do facto para fazerem o habitual coro de virgens...amantes do estado de direito.
Depois, o "perigo de fuga"  que o recluso apresenta agora como sendo uma impossibilidade metafisica, uma vez que até mandou um fax ou email, a pedir para ser ouvido. Isso quando os mandados já estavam emitidos...e  o perigo de fuga é coisa que só se entende depois de ocorrer e sabendo agora que na altura "eles não têm coragem de me prender". Enganou-se porque tiveram mesmo.E fugirá mesmo, no caso de se convencer que ficará preso durante anos...

Assim, as respostas destinam-se a manter a "narrativa" e a sossegar os militantes da sua presunta inocência, como o desmiolado que agora deu em ameaçar o poder judicial.

Nada de novo. Repito o meu prognóstico: dez anos de prisão para o recluso 44 e fim das suas ambições napoleónicas caseiras.
Suspeito que o pior das revelações ainda está para vir...

ADITAMENTO:

Rui Pereira, o autor da reforma de 2007 do CPP, está neste momento na CMTV ( 23:00) a dizer que relativamente ao segredo de justiça não foi violado qualquer bem jurídico, designadamente o mais importante que é o atinente à eficácia da investigação criminal, ou seja o segredo interno. E quanto ao externo idem aspas. E muito menos se violou o outro bem jurídico relacionado com o bom nome do visado pela simples razão de que seria absurdo que tudo se mantivesse em segredo, a esse propósito.
Portanto, em resumo, não tendo sido violados bens jurídicos não há...crime algum.

Tomem, hipócritas. O processo de violação de segredo de justiça é para arquivar.

36 comentários:

foca disse...

Mas aquela coisa dos jornalistas não tem uma comissão de ética como as Ordens?
Ninguém se indigna com esta anormalidade?

Eram estes os gajos que criticaram anos o jornal da Madeira do Jardim?

Isto está a ficar ao nível da Argentina, com assassinato do magistrado que ia emiti uma ordem de detenção da mafiosa lá do sítio (com os mesmos tiques de novo-riquismo do 44!)

JC disse...

É curioso como se permite a este recluso falar de empréstimos de milhões de euros com a maior das normalidades, como se tratassem de empréstimos de algumas centenas de euros para "desenrascar"...

E ainda por cima entregues em dinheiro vivo, metido em envelopes...

Mas alguém acredita que um "amigo" empresta milhões de euros para sustentar um estilo de vida de estrela de cinema? Motorista? almoços e jantares nos mais caros restaurantes franceses? Filhos a estudar em colégios franceses?

Viagens de avião semanais entre Paris e Lisboa em classe executiva?

"Ó Carlos, preciso de mais 20 mil euros emprestados para esta semana. O meu motorista (a quem eu pago o ordenado com o dinheiro que me emprestas) depois vai ter contigo para lhe dares as notas de 500 no envelope, como é habitual, e ele vem de carro entregar-me o dinheiro.
Junta aí na conta que já deve ir em 2, 3 ou 4 milhões de euros que qualquer dia eu pago-te.
Os amigos são para as ocasiões, já sabes pá!
Olha, entretanto paguei os 100 milhões que pedi à CGD com dinheiro que me emprestaste há 15 dias e já comprei aquele Mercedes que te tinha falado"

Mas que palhaçada é esta?

josé disse...

"Mas que palhaçada é esta?"

É a narrativa de um louco. Só isso.

jkt disse...

Não somos nos que temos que acreditar ou não.

O homem tem todo o direito a apresentar a sua versão dos factos. E nem tinha que o fazer publicamente nem em lado nenhum, ele que quis. Se e bom ou mau ele la sabe. Se calhar foi ma ideia, nao sei.

E meio estranho o que ele diz... mas, e sempre alguma coisa e tinha que ser sempre alguma coisa. Ou era alguma coisa ou nada. Temos isto. Vale o que vale.

Se por acaso isto for mentira, podemso questionar a sua equipa de defesa que veio assim com isto, nao me parece la mto bem. Tinha mais opcoes. Ele como EX.PM ate podia ter mtas pessoas com boa vontade a oferecer prendas por reverencia. Isso acontec`ia nas aldeias / acontece que dao galinhas e tal aos medicos so porque cumpriram com o seu dever.

Por acaso lembrei/me do socrates qd estava ver um programa de um tipo que era suspeito de um crime de roubo/homicídio e apanharam o dinheiro quase certinho e um papel a fazer as divisoes a dizer ze, manel, joao com o montante para cadam q coincidia com o montante do roubo.. ele e advogados disseram que e tudo uma confusão q os suspeitos iam iniciar um negocio / empresa e era a contribuição de cada um...

Com tudo e mais alguma coisa, da para rir, tipo eu não aguentava, mas consegue/se dizer com cara seria...

Lembrei / me de quando comentei acerca do júri com o José e ate lhe perguntei o porque de achar que era melhor um trib de juri.

Agora já entendi melhor porque era bem danoso para ele um júri, muito por conta desta historia e este circunstancialismo todo...

E um bocado dificil de acreditar... e preciso mto boa vontade para dar o beneficio da duvida.

Mas, nunca se sabe, existe sempre duvida no ar, mesmo que um bocado so.

jkt disse...

1 pergunta \tenho teclado desc.

é ilicito por ex. oferecer-se coisas a alguem que se sabe que pode vir a ser presidente nao sei de que , e vai ser pessoa importante so para dar graxa, e n pedir
nada concreto e determinado explicitamente, so oferecer as coisas? e n querer nem esperar nada em troca?

tem pessoas q oferecem coisas (jantares, relogioso, televisoes, sei la, dinheiro???) a pessoas ricas e poderosas so porque sim, para cairem em boa graça e mtas vezes sem proposito nenhum.

n tou dizer q é o caso, mas isso existe.

claro q milhoes nao, mas acredito q ng tivesse coragem de n empretar coisas ao socrates, nem algum dinheiro se ele tivesse em dificuldades... afinal ele e ex.pm e parecia mal viver na indigencia...

josé disse...

A resposta a essa questão está aqui, no Código Penal:

Artigo 372.º
Recebimento indevido de vantagem
1 - O funcionário que, no exercício das suas funções ou por causa delas, por si, ou por interposta pessoa, com o seu consentimento ou ratificação, solicitar ou aceitar, para si ou para terceiro, vantagem patrimonial ou não patrimonial, que não lhe seja devida, é punido com pena de prisão até cinco anos ou com pena de multa até 600 dias.
2 - Quem, por si ou por interposta pessoa, com o seu consentimento ou ratificação, der ou prometer a funcionário, ou a terceiro por indicação ou conhecimento daquele, vantagem patrimonial ou não patrimonial, que não lhe seja devida, no exercício das suas funções ou por causa delas, é punido com pena de prisão até três anos ou com pena de multa até 360 dias.
3 - Excluem-se dos números anteriores as condutas socialmente adequadas e conformes aos usos e costumes.

zazie disse...

>
"Ó Carlos, preciso de mais 20 mil euros emprestados para esta semana. O meu motorista (a quem eu pago o ordenado com o dinheiro que me emprestas) depois vai ter contigo para lhe dares as notas de 500 no envelope, como é habitual, e ele vem de carro entregar-me o dinheiro.
Junta aí na conta que já deve ir em 2, 3 ou 4 milhões de euros que qualquer dia eu pago-te.
Os amigos são para as ocasiões, já sabes pá!
Olha, entretanto paguei os 100 milhões que pedi à CGD com dinheiro que me emprestaste há 15 dias e já comprei aquele Mercedes que te tinha falado"

AHAHAHAHAHHA

Esta é que merecia fwd

":O))))))

Camilo Espírito Santo disse...

Também suspeito que o pior está para vir....escutaram o 44 durante mais de um ano....o pior ainda não foi revelado.

jkt disse...

Pois e. Entao se tiver a passar dificuldades, insolvente, nao pode ser ajudado...

Entao o PM se os 5k nao derem para comprar bons fatos, tem que ir mais modesto, nao pode receber nada de ng e podem olha/lo como @esfarrapado, sei la. Ou estar mesmo endividado e n ter dinheiro para ele próprio e ser um PM exPM indigente...

... mas isso se calhar n entra no âmbito , n sei.

luis barreiro disse...

Caro José no subtítulo da notícia do Observador:
-Sócrates volta a quebrar o silêncio. Reitera que o dinheiro vindo do amigo foi um empréstimo. E admite ter ajudado empresas a entrar em Angola, mas muito depois de deixar de ser primeiro-ministro-.
Ainda não li nada sobre ajudas a empresas a entra em Angola, este também recebeu 14 milhões? Não há fumo sem fogo, alguma coisa deve ser.

Maria disse...

O que é de suma importância neste momento (e já vai sendo tarde) é saber-se as vezes que Ricardo Salgado se reuniu com Soares e com Sócrates e os temas debatidos. É deste género de revelações que ambos, principalmente Soares, têm um medo atroz. Este tem-no por receio de que possam ser trazidos à luz do dia os milhentos conluios e inúmeras negociatas secretas havidas entre ele próprio e certamente também Sócrates (por isso ele o defende co unhas e dentes..., mas e quem mais no partido?) - o que vem acontecendo desde há décadas entre o seu partido e o Banco Espírito Santo na pessoa de Salgado - facto que colocaria/colocará o partido socialista próximo do fim. Se assim for... ainda bem. Já não era sem tempo.

O Dr. João Salgado necessita de falar e denunciar urgentemente quem o convenceu a fazer todas as negociatas sujas que o levaram ao estado em que se encontra ele próprio, o seu Banco e o Grupo a este ligado. Lembremo-nos que ele negociava com os mais altos dignitários do País, o que, total ingenuidade sua, o levou a pensar estar a lidar com gente séria, honesta e leal. O império Espírito Santo chegou onde chegou em consequência das manigâncias tortuosas e corrupções mil em que o bando mafioso que governa o nosso País sempre esteve enredado desde o dia em que pisou esta Terra, levando consigo na onda das traficâncias quem estava mais à mão, neste caso Ricardo Salgado, não só mas também porque lhe convinha a personagem em questão sobretudo devido ao 'especial' favor que lhe fora 'graciosamente' concedido pelo 'democrata' Soares ao ser-lhe autorizado o regresso ao País depois de, pelos mesmos esbirros, ter sido criminosamente esbulhado de tudo o que lhe havia pertencido por direito próprio, sendo obrigado a exilar-se face às ameaças de morte sofridas (trama esta, contra o BES e Salgado, gizada muito antes para dela vir a tirar proveito mais tarde, como efectivamente aconteceu - prática esta usual na antiga máfia siciliana copiada à letra pelo maçon Soares e restante gangue), com o apoio tácito dos socialistas e comunistas e com o maldito Soares à proa, isto é, a comandar literalmente as tropas extremistas.

Resumindo. Todos os grandes crimes económicos e o propositado desmembramento dos grandes grupos empresariais, até então sólidos e prósperos, que no anterior regime contribuiam para manter as contas do Estado rigorosa e saudàvelmente equilibradas e nas últimas décadas a economia do País em franco desenvolvimento, pelo contrário neste regime tutelado por gangsters da pior espécie, tudo o que se fez em prol do progresso do País e do bem-estar dos portugueses veio por água abaixo. Tudo o que no Estado Novo foi construído com empenho e devoção foi destruído. Tudo o que então se ergueu com esforço, orgulho e total entrega se desmoronou. O Banco Espírito Santo foi só mais um dentre mil.

BELIAL disse...

Mais uns mesitos e o melro sai.
Cá fora vai criar agitação infernal.

Vai lixar o ps eleitoralmente (e não só),em modo "depois de mim, o dilúvio."

Carlos disse...

"... ambições napoleónicas caseiras."

Pelo culto e obsessão patológica do coiso, na exibição de numa estética forçada e rígida, bem como pelo domínio dos seus opositores através da manipulação dos meios de informação, mais me parece "hitleriana"

Streetwarrior disse...

"em modo "depois de mim, o dilúvio."

ahahaha

Era tão bom....porreiro pah

Luis disse...

Eu recordo-me do circo mediático montado no nosso país e no Brasil por uma tal autarca do norte (do mesmo partido mas caída em desgraça) fugida à justiça. Montou tal campanha a partir do Brasil que diariamente ela ou o seu advogado de lá, ou o seu advogado de cá, apareciam na CS a empastelar toda a investigação. Segundo me recordo, terá sido mesmo um juiz da RG a alertá-la para o mandado e a iminência de detenção.
Imagine-se o circo que seria montado naquele país se o recluso 44 tivesse seguido na viagem marcada para o Brasil. Alguém acredita que este país extraditava tal personagem, com um mandado de detenção internacional? Com tantos amigos por lá (Lula e até a actual presidente), cujas notícias recentes sobre a corrupção da OI referem igualmente alvos como o Lula e o 44?
E se por pressão diplomática (que não acredito porque por terras nossas estariam os seus amigos carbonários a viciar o jogo tal como têm andado a fazer) o Brasil tivesse de o extraditar, dar-lhe-iam possibilidade de sair antes da sua execução, permitindo-lhe a ida para outro país vizinho onde tem igualmente muitos amigos vivos e mortos: a Venezuela. E daqui quem conseguiria a sua extradição?
A investigação (mais uma vez) arrastar-se-ia até ficar reduzida a umas mil perguntas (não 20) que os procuradores gostariam de ver ser-lhe perguntadas mas que por um qualquer prazo imposto por alguém já não seria possível fazê-lo.
E aí regressaria o 44 em ombros porque a demora da investigação não lhe tinha permitido “demonstrar a sua inocência".
Quem sabe, talvez daqui a 6 anos surgiria como virgem ofendida a candidatar-se à presidência; coisa que agora não poderá fazer. Esperemos!

João Rodrigues disse...

A narrativa de Socrates será contraproducente para a sua própria defesa. Sócrates, com estas pseudo-entrevistas, está a dar conhecimento prévio do que constituirá a sua defesa, o que permitirá à investigação e ao MP atacar e desmontar a mesma. Não é por acaso que muitos acusados nem sequer apresentam Contestação por forma a apresentar "os trunfos" em sede de audiência, preferindo aguardar pelo que constituirá a estratégia e provas da acusação.
Perante tudo aquilo que fui ouvindo e lendo ao longo deste tempo, afigura-se-me claro que há determinados dados que, a confirmarem-se, constituirão matéria mais do que suficiente para a condenação. São eles:
1. Se da tal conta do amigo não constam registos de movimentos do próprio mas apenas pagamentos dos imóveis em questão nos autos e os levantamentos em dinheiro investigados, tendo o próprio Sócrates confessado que o amigo lhe "emprestava" esse dinheiro, tenho para mim que tal facto constituirá indício mais do que suficiente para se extrair a conclusão que o amigo era o testa de ferro de sócrates no que respeita à titularidade da conta. É que há aqui um dado adicional que reforça esta conclusão: se o dinheiro foi "legalizado" aquando a sua transferência para portugal por efeito do Regime Excecional de Regularização Tributária que havia sido aprovado pelo próprio Sócrates, o tal amigo não tinha qualquer razão para temer o seu uso e a sua movimentação. Acresce a isto o facto de os alegados empréstimos terem sido materializados por intermédio de levatamentos em numerário que eram posteriormente entregues, através do motorista, em envelopes fechados. Ora, este modus operandi é típico de quem não pretende deixar rasto acerca da identificação do destinatário do dinheiro. Num emrpéstimo normal, não se justificam nem se percebem tais procedimentos, bem pelo contrário, há é sempre o cuidado de registar as transferências para que se possa determinar e comprovar os montantes mutuados.
2. O apartamento de Paris. O argumento da defesa seria, em abstracto, verosímil (que o amigo havia comprado o apartamento e arrendado a Sócrates). No entanto, ao não haver um único comprovativo de pagamento de renda, associado ao facto de haver escutas onde Sócrates aparece a dar instruções acerca das obras a levar a cabo no mesmo e da decoração a realizar, como só faz um proprietário, fazem desabar pela base tal argumento. Acreditar no contrário é que é inaudito.

João Rodrigues disse...

3. As compras dos imóveis da mãe de Sócrates: mais uma vez o argumento da defesa poderia ser defensável se, para além daqueles imóveis, o amigo tivesse adquirido outros. Mas, ao que se sabe, não foi isso que se passou. O amigo comprou exclusiva e precisamente apenas os imóveis da mãe de Sócrates, um por um. Muito menos se percebe que o tenho feito numa óptica de investimento pois porquê precisamente aqueles e não outros? Porque razão alguém que pretende comprar imóveis numa óptica de investimento vai comprar um apartamento antigo no Cacém, por um preço consideravelmente acima do preço de mercado, apartamento esse que fica num ermo e sem que nada o recomendasse? O único fio condutor que explica essas compras tem a ver com o facto de a proprietária de todos esses imóveis ser a mãe de Sócrates. Bem, ainda assim, poderia haver incautos a pensar que ele o fez a pedido de Sócrates por forma a auxiliar a mãe. Mas também este argumento se torna indefensável a partir do momento em que a mãe transferiu o proveito das vendas para o filho.
4. O ponto mais crucial e que ainda não vi ninguém a reflectir sobre o mesmo.
Sócrates alega que o dinheiro que recebeu do amigo eram empréstimos para fazer face a algumas dificuldades financeiras. Ora, importa saber quando é que os imóveis da mãe foram alienados ao amigo e quando é que o produto da venda foi posteriormente transferido para Sócrates. Sabendo estes dados, bastará confrontar os mesmos com os registos dos levantamentos em numerário da conta do amigo (os tais que constituiam os "empréstimos" a Sócrates). Se houve levantamentos consideráveis após Sócrates haver recebido da mãe o valor resultante da venda dos imóveis ao amigo, então aí resultará inequivocamente provado que toda a tese da defesa assenta numa mentira. E, nessa medida, a condenação é certa. Não que não o seja perante os restantes factos que a acusação conseguirá fazer prova, mas porque aqui a defesa perderá toda e qualquer credibilidade.

Floribundus disse...

diziam os copistas medievais
Graecum est, non legitur

vejo-me grego para entender as 'bonecas de trapos' que anda por aí à (há se tivesse feito a prova de portinhol dos profs) deriva

anda no ar um certo cheiro a fim de festa que não consigo identificar
apesar de já ter visto o filme pela enésima vez

andrecruzzzz disse...

tenho quase a certeza de q o coiso teve medo de ir p o Brasil..

Floribundus disse...

corta fitas

A insustentável distância entre Portugal e Espanha

O sucesso da venda do Novo Banco vai depender de quem? Mais uma vez dos bancos espanhóis. Caixa Bank, Santander, BBVA...
A diferença entre Portugal e Espanha é que Portugal arrasta-se e Espanha avança seja qual for o tamanho da queda. Em Portugal tudo estagna. Tudo demora. Portugal tem pés de chumbo.
A classe média espanhola é uma força da natureza. Em Portugal a classe média é para fazer sketchs humorísticos. É olhada de soslaio. É um clube de que ninguém quer fazer parte. Portugal é um país obcecado com classes sociais. Não se fala de outra coisa nas conversas de cafés. Nos artigos dos jornais é um tema recorrente. É sempre um factor de análise da performance dos outros. Está sempre tudo a tentar encontrar motivos para olhar por cima do ombro do vizinho. Perde-se tempo e energia nisto e é como viver na caverna de Platão, só se vê sombras e toma-se as sombras por verdade.

BELIAL disse...

Tretices de tramoieiro megalómano.

BELIAL disse...

O tramoieiro espuma de raiva.

Ainda lhe dá uma coisnha má.
Aquela sanha ensandecida deve repuxar as tensões upa upa.

Tadito, tá mais "pírulas"... :-)

EF disse...

Senhor João Rodrigues: os seus comentários pertinentes e argutos seriam melhor usados se tivessem sido dirigidos directamente a quem investiga este caso. Trazê-los para a praça pública, mesmo que com a melhor das intenções, porá o nosso homem a forjar papéis - a que pomposamente se virá a dar o nome de "documentos" - para sanar as fragilidades do ponto 4. Os cérebros de todos os que apreciam muito o duas vezes quatro devem ajudar a acusação e não devem transmitir ao 88/2 raciocínios, ideias e sugestões que a possam perturbar. Espero que não se amofine com o meu ponto de vista.

zazie disse...

Deve ser do "assédio moral"

eheheheh

josé disse...

A condenação só será certa se os tribunais seguirem as regras da prova indirecta que agora o STJ já tem seguiro nalguns casos, mormente de tráfico de droga ou homicídio.

Do que tenho lido nos jornais, a prova que existe já é suficiente para uma acusação se for complementada com os documentos que haverá no processo.

Fundamental é fazer a transposição entre as adjuducações que o Estado fez e de que Santos Silva foi beneficiário directo ou indirecto, com os milhões que eventualmente cairam na sua conta.

Isso faz-se com a análise de todos os contratos, no período indicado, relativamente ao que santos Silva ganhou pessoalmente. E se não houver correspondência, como efectivamente não deve haver, então das duas uma: ou o dinheiro veio de outro lado e é preciso saber de onde e estará aí uma prova directa; ou então o modo de actuação é consentâneo com a corrupção. O próprio 44 disse que devia favores, "atenções", ao grupo Lena...

josé disse...

Ou seja, a proveniência ilícita do dinheiro naquela conta é um elemento essencial para que se prove, mesmo indirectamente, a corrupção.

A pertença do dinheiro ao 44 parece-me um facto indiscutível e apenas está em causa saber se é todo ou apenas algum e quanto...porém deve presumir-se, pelas regras da experiência comum que é mesmo todo. Não faria sentido outra coisa.

João Rodrigues disse...

EF, em resposta ao seu comentário apenas me apraz referir-lhe que, presentemente, mal estaria a investigação se não tivesse já todos esses dados / provas em seu poder (escutas e prova documental). A defesa, no que concerne a esses pontos, já nada pode fazer. Por isso mesmo é que considero todas estas entrevistas contraproducentes: é que, no futuro, o arguido não vai poder usar outra linha de argumentação em sua defesa sob pena de ser imediatamente confrontado com anteriores (estas) declarações suas a esse respeito.

josé disse...

A defesa é nula. tanto quanto tenho visto. Ainda hoje o advogado Araújo faz uma triste figura no i, numa entrevista.

Esse tipo de defesa só resulta em modo político, demagogica e sem consistência.

É a defesa de um condenado...

EF disse...

João Rodrigues e José: se e quando estiverem dispostos a isso, esclareçam-me. Ao que julgo é em audiência de julgamento que é feita a prova. O que disse (ele...) ou não disse (ele..) vale pouco. O importante é o que irá dizer (ou não...pode sempre calar-se). Os raciocínios que interligam os indícios do MP são tão (ou mais talvez...) críticos que os próprios indícios. Por isso aqueles que amam o digamos, coiso, devem raciocinar em voz baixa ou no local adequado. Ou não ?

EF disse...

Zazie: coincidência ? Já agora convido-a a visitar o sítio ealmobbing.blogspot.pt. Gostava de a ouvir sobre esse flagelo.

foca disse...

Cá para mim a estratégia do monhé e colocar o 44 a dizer tudo e o seu contrário, e quando as coisas ficarem complicadas alegar insanidade.

A conversa do circo mediatico não cola com a realidade.
Se o 44 afinal sabia que ia ser detido, porque razão comprou um bilhete para o Brasil?
A mae que era rica mas afinal é remediada (a tender para o pobre), e vende um apartamento para custear os luxos absurdos do filho.
Um gajo que está a atravessar dificuldades financeiras mas tem chofer para o Mercedes, secretaria, viaja em executiva e paga jantares a torto e a direito em restaurantes de topo.
Quase tudo é desfasado do mundo real.

zazie disse...

O flagelo do "assédio moral"

ehehe

Li lá.

Imagino que seja uma desgraçada a ser perseguida por um padre para se confessar

":O)))))))))

zazie disse...

E não me faça rir mais que já dei umas boas gargalhadas.

Agora, entre amigos, vai ser assim. deixa-te de ideias de assédio moral.

E aqui na blogo serve, que nem uma luva, ao o Morgadinho da Cubata

AHAHAHAHHAHAHA

josé disse...

"José: se e quando estiverem dispostos a isso, esclareçam-me. Ao que julgo é em audiência de julgamento que é feita a prova"

É assim. Porém, não me parece que fique calado...porque vai continuar a narrativa. Suspeito é que o guião está a esgotar a imaginação. O advogado Araújo insiste em defender que o dinheiro é do Silva...

Fraca defesa.

EF disse...

"...serve, que nem uma luva, ao o Morgadinho da Cubata". Coitadinho. Ele também ? É mais grave do eu pensava...
Cumps

jakim disse...

É preciso não esquecer que foi o Chiquinho Cristão Novo quem convidou o 44 para aquela funçanata do Bilderberg, ou lá o que é, que o guindou a nosso-primêro.