Páginas

quarta-feira, 4 de março de 2015

Ferro para Bava...

Granadeiro acabou de chamar mentiroso a Zeinal Bava. Disse no Parlamento que o mesmo sabia do empréstimo à Rioforte.
 "Sobre a aplicação, que cresceu para perto de 900 milhões de euros pouco tempo antes do colapso do Grupo Espírito Santo (GES) e do BES, em julho de 2014, Granadeiro acredita que Zeinal Bava sabia das operações de financiamento à Rioforte e forma esta convicção a partir das declarações de Luís Pacheco de Melo numa reunião da comissão executiva da PT realizada a 10 de julho de 2014. Tinha conhecimento, pelo menos, afirmou."

Uma dose de ferro...só faz bem ao esquecido Bava. E uma estocada destas é bem metida.

Na foto abaixo ( imagem da Tabu de 27.6.2014)  figuram os quatro mosqueteiros que afundaram as empresas onde passaram. O Mexia não afundou? Não. A empresa foi vendida, com ele incluido...
Uma parte da nossa elite empresarial, surgida nos últimos anos, está aqui bem representada.




2 comentários:

BELIAL disse...

Em tudo isto, é mais o Melo que (a) parece o bombo da festa.

O "babush" foi mais enguia: omite, mas não sugere - não acusa, não se lembra.

Pairavaq, qual entidade (tute)lar.

Tudo não passou de demasiada segmentação de funções internas e - eventuais - hiatos de comunicação, não obstante a grande confiança que tinham uns nos outros. E no "sanctus sanctorum" BES...

"Confiança": padroeira do capitalismo. E da bancarrota.


Floribundus disse...

'gente fina é outra louça'

não precisam de ferros no morrilho ou cachaço
deviam levar meia estocada