Páginas

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

PS, PSD e Justiça

Eduardo Dâmaso, um dos poucos jornalistas portugueses que poderia escrever na brasileira Veja, sobre assuntos judiciários, tem este crónica desconcertante na revista Sábado de hoje:

Em súmula diz que Paulo Rangel devia estar calado porque o PSD é igual ao PS sempre que o tema seja a divisão de poderes e o seu equilíbrio com o poder judicial. A explicação para tal entendimento vai buscá-la à sempiterna apetência dos partidos pela mecânica quântica dos financiamentos ocultos dos partidos. O paradoxo do gato que está vivo e morto ao mesmo tempo é o modus vivendi desta gente político-partidária.

Ora não me parece que seja tanto assim e muito menos que os dois partidos se assemelhem nessas mecânicas misteriosas de recolha de fundos que originam depois enriquecimentos súbitos e escandalosos de algumas personagens de bastidores ou mesmo de ribalta.

Vejamos: o caso Relvas é semelhante ao caso Vara, na essência desse mecanismo oculto de enriquecimento pessoal?
O caso Filipe Menezes é idêntico ao de Judas de Cascais?  E daí? As investigações criminais que se iniciam nestes casos são de geometria variável conforme os senhores que detêm o poder político de momento?
A resposta afirmativa a tal questão colocava em dúvida, automaticamente, a ideia e princípio legal de igualdade de todos perante a lei e o princípio da separação de poderes sofreria um abalo mais grave do que as tremideiras ocasionais que são inevitáveis em assuntos que assentam em terrenos de alta sensibilidade sísmica.

A História pregressa demonstra que os casos evidenciados em que ocorreram interferências directas ou indirectas do poder político do momento, nas instâncias judiciárias e mesmo judiciais,  sucederam quando era governo o partido Socialista.
Nem mesmo quando Cavaco foi PM e nos anos em que se sucederam vários escândalos envolvendo ministros e ajudantes desses governos, a actuação dos mesmos se assemelha ao que sucedeu com os do PS. Nem mesmo no caso Leonor Beleza, ou Isaltino ou mesmo de Oliveira e Costa. Nada se assemelha ao que o PS ( porque é mesmo o PS que o faz, com os seus dirigentes de topo que não têm qualquer vergonha por isso) tem feito no campo da Justiça, sempre que um dos seus é entalado e o partido fica em xeque e perigo. O exemplo mais directo é o de Mário Soares e o que disse depois do caso Casa Pia, mas apenas largos meses depois...

Tal fenómeno tem mais de vinte anos e já vem do tempo do fax de Macau. Ora anote-se este recorte do jornal Independente de 14 de Julho de 1999:


Algum partido político tem um caso semelhante a este, a não ser o PS e Mário Soares em concreto? É ociosa a pergunta.

Mas há mais e o caso da Casa Pia, logo que foi preso Paulo Pedroso é mesmo exemplar das desfaçatez do PS e dos seus dirigentes máximos enquanto durou o opróbrio do detido que foi conduzido em ombros nas escadas da AR quando foi libertado...

O que sucedeu ao PGR Souto Moura por causa desse caso? Foi vilipendiado pelos anões e silva desse quadrante, sem qualquer pejo ou vergonha e não há qualquer dúvida que o quiseram substituir antes de acabar o mandato.





Isto aconteceu há cerca de dez anos...e de lá para cá quem governou? O PS, até 2011...

Provará isso que afinal foi apenas tentativa e nada mais, de interferência do poder político no judiciário e judicial, na medida em que o referido processo chegou ao fim com condenações? Prova, como disse Carlos Cruz, que eventualmente foram condenados os bois que se atiram ao rio para salvar a manada,  das piranhas...mas a história deste caso ficou nos arquivos dos blogs e de alguns media, já esquecidos. Talvez um dia...

Vejamos o que se passou logo a seguir...com o PGR Pinto Monteiro, escolhido eventualmente por Proença de Carvalho e apresentado ao então primeiro-ministro José Sócrates que o indicou ao PR.

A imagem mais emblemática desse período é esta de 7 de Setembro de 2009, pouco antes das eleições desse ano e quando ainda não se sabia nada do processo Face Oculta, com excepção destes intervenientes e de outros que figuravam no processo como suspeitos. Esses sabiam tudo o que precisavam de saber e que só veio a conhecer-se publicamente algum tempo depois. Uma das páginas mais negras da Justiça portuguesa das últimas décadas...


 Antes disso havia notícias destas...



Depois tomou-se conhecimento deste escândalo, sem consequência alguma para os intervenientes. Dois procuradores do caso Freeport, por causa de umas perguntitas no final do despacho de arquivamento foram alvo de processo disciplinar. Neste caso, foi o que se sabe, porque havia um "beirão honesto"  que "não tinha medo de ninguém"...


Indícios dos factos?








O assunto mereceu comentários avulsos por aí fora. Nos media, como foi?  Será preciso lembrar  o clima de protecção mediática do antigo PM, conseguido à custa de manobras que agora são conhecidas?

O que Paulo Rangel sintetizou tem a ver com isto e outras coisas. E é inquestionável que o ambiente judiciário que se vive hoje em dia não tem qualquer semelhança com o vivido até 2011. E isso é um facto objectivo que não carece de demonstração, para além da memória dos factos.

13 comentários:

Floribundus disse...

PORRA, MEU!
'deste-lhe em cheio, porque se desses de lado, estava morto'

este artigo merecia ser publicado

por causa de Macau quiseram limpar o Irmão Ricardo
foram cenas tristes

aragonez disse...

Este texto TEM DE SER CONHECIDO por tanta gente quanto a possível.
Um país seria merecedor disso!

Floribundus disse...

com igual coerência, lógica perfeita e fina ironia

prepare-se para os acontecimentos que vão ocorrer depois da libertação do 44

inocente vítima duma quadrilha que vai levar abundantes tiros nas nalgas

os subservientes já deram o tiro de partida para a maratona

os naturais do rectângulo mostra dificuldade em entender a ironia
na melhor das hipóteses entendem parcialmente o sarcasmo

josé disse...

Os acontecimentos serão pouco significativos, acho...

Este meco tem 10 anos para cumprir. No mínimo e segundo a minha aposta já antiga.

Neo disse...

Acontecimentos ou festejos?
Foi uma explosão de alegria entre a jornaleirada.
O único que não me parece eufórico com a soltura do presidiário é o Costa :)

Espero que acerte no 10. Ahaha!

Maria disse...

Este Costa, por todas as pechas que lhe podem ser imputadas como político, devia ter vergonha de ter açambarcado o lugar de secretário geral ao Seguro e, pior um pouco, de estar a aprestar-se para vir a ser futuro primeiro ministro (God forbid!) de Portugal. Mas claro que vergonha ele não tem nenhuma nem sabe o que este nobre sentimento significa. Depois da cegada que ele representou aquando da 'libertação'(facto que nunca deveria ter ocorrido) do queridinho(dele) Pedroso na A. de República, qualquer outro homem que tivesse um pingo de decência e alguma dignidade tinha desaparecido do mapa para sempre. Ele e todos os outros presentes no acto repugnante - Ferro, Alegre, A.Santos, V.da Silva, etc. etc. - um infamante e vergonhoso show-off visto por todo um país abismado com tão degradante espectáculo, todos eles abraçando e beijando repenicadamente o pedófilo compulsivo Pedroso (segundo palavras sinceras dos jovens que o testemunharam em tribunal e ficou provado por especialistas que eles não mentiram), que a despeito deste escândalo, o maior e mais abjecto a que o nosso País já assistiu na sua longa História, ainda tem/têm o desplante de continuar na política activa e a aparecer por tudo quanto é sítio a botar discursatas hipócritas e cínicas como se fossem os mais impolutos cidadãos e os políticos mais honestos e patriotas de todas as democracias do mundo, fazendo-o sem o menor pudor ou constrangimento. E andam estes aventesmas desde há quarenta anos com a maior desfaçatez a chamar democracia a 'isto' sem que um raio irrompa dos Céus e os atinja em cheio fulminando-os a todos.

Este regime, introduzido no País pela maldita maçonaria, só nos trouxe tragédias, crimes, corrupção, redes de pedofilia e de tráfico de tudo o que há de pior e de mais violento ao cimo da Terra. Nós vivemos sob um sistema sòmente comparável à actividade desenvolvida no sub-mundo do autêntico crime organizado. Qualquer comparação entre o bando mafioso* que governa o nosso País desde há quatro décadas e os gânguesteres que proliferavam na Chicago dos anos vinte e trinta não é pura coincidência, é, antes, a cópia aprimorada tirada a papel químico.

*(com as recentíssimas e honrosíssimas excepções que devem ser assinaladas)

BELIAL disse...

Gostei.
Fez-se a costumeira justiça.

Acorram muitos ao seu aniversário dominical.

Ofereçam-lhe um megafone.
Dos grandes.
Ele merece.

BELIAL disse...

A face do desenjaulado, ao sair da "ramona" - resplandecia doçura cândida.

Prontinho para mimos, afectos e cafunés.

Floribundus disse...

o José terá razão se o mânfio não se pirar para a pesca da lula

não estarei cá para ver o desfecho

passou quase 10 meses de férias a 'trabalhar para o bronze'

lidiasantos almeida sousa disse...

PORQUE SÓ DÁ COMO EXEMPLOS OS DOIS PASQUINS UM DO COMENDADOR PAULO FERNANDES ANTIGO PATRÃO DO PASSOS COELHO E A QUEM AGORA FOI DADO UM GRANDE TAXO NA EDP DO PARTIDO COMUNISTA CHINÊS E OUTRO DO ANGOLANO ALVARO SOBRINHO ENTERRADO ATÉ AO PESCOÇO NAS TRAFULHICES DO BESA?

josé disse...

Porque os exemplos do Camões do JN e do Proença que manda no DN são demasiado tristes e lamentáveis...

Isso sem falar no Francisquinho que já não tem maiores cretinos para colocar na direcção dos seus media do que os que já lá estão.

lidiasantos almeida sousa disse...

alto ai senhor dom José. o jn . o dn - a tsf e outros não são do Proença. são do angolano mosquito e do genro do CAVACO que assim papou a TSF para juntar ás outras rádios porque sonha ser o IMPERADOR DA RÁDIO EM PORTUGAL, apesar da mísera reforma do sogro, E o que dizer do pavilhão Atlântico que os governo dos PÊS - Pedro e Paulo lhe venderam mais barato que o preço oferecido pelo COVÕES ou comem todos ou não há moralidade

lidiasantos almeida sousa disse...

Já agora falando de vendas de favor sem concurso - venda directa o que diz o senhor - uma pessoa tão justa e exigente - da venda do OCEANÁRIO. sem concurso e quase em segredo ao HOMEM MAIS PODEROSO EM PORTUGAL E QUE MANDA NO PRESIDENTE, NO GOVERNO EM TODOS. O SOARES DOS SANTOS, também conhecido por SS?
o SS tem de responder na justiça num processo, O que faz o SS? , demite-se de Administrador e nomeia para o seu cargo o filho PATETA, O PEDRO.

SS tem um problema o filho rebelde o José - que disse logo quando jovem não quero ser merceeiro, vou para BIOLOGIA Aqui chegados há que arranjar uma forma do ZÉ ser feliz. Exige aos PÊS e ao CAVACO que lhe dêem a concessão do OCEANÁRIO, para o ZÉ estudar as ALFORRECAS ( o PASSOS É COMO UMA ALFORRECA segundo o celebre João Gonçalves do PORTUGAL DOS PEQUENINOS), pois as ALFORRECAS segundo o Zé estão em fase de extinção. O ZÉ que não quer ser merceeiro, mas é esperto. disse logo ao SS vou transformar isto numa FUNDAÇÃO ainda vou ficar isento de impostoS e pode ser que venha algum dos fundo europeus., pois o OCEANÁRIO é considerado um dos melhores do mundo.

Espero que me ajude a desvendar este mistério. Dar em concessão durante muitos anos, uma preciosidade por verba inferior ás receitas das entradas do publico português e estrangeiro.´É OBRA UM FILANTROPO QUE LEVOU A SEDE SOCIAL DO SEU NEGOCIO PARA A HOLANDA PARA NÃO PAGAR IMPOSTOS EM PORTUGAL e ainda levou a FORTUNA DA FAMÍLIA e quando interrogado por um jornalista atrevido , respondeu: o que quer QUE EU PONHA EM RISCO A FORTUNA DA MINHA FAMÍLIA?