Páginas

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

É apenas o Estado de Direito, pá!

Os "jornais de referência" de hoje são alheios aos problemas do "pasquim" Correio da Manhã a quem cortaram o pio, através de uma decisão judicial que implica uma censura efectiva. Segundo tudo indica e alguns especialistas já o disseram ( Costa Andrade, Rui Pereira, Jónatas Machado, Iolanda Brito, só para citar os de direito) a decisão é ilegal e inconstitucional.
 Um acto de censura deste calibre deveria fazer acordar o jornalismo nacional porque como diz a história do tempo da IIGG e atribuído a um alemão: "primeiro vieram buscar os comunistas..."

Aparentemente ninguém se incomoda.

 O DN nem quer saber do assunto porque Proença de Carvalho vela por trás da cortina e não perdoa deslizes.
O JN é do amigo Camões e não se vai ralar por coisa tão pouca e insignificante que envolve alguém que está inocente.
O Público (Pedro Sales Dias) trata o caso como um mero fait-divers enquanto Belmiro continuar a pagar ( "Defesa de Sócrates queria obrigar o CM a pagar 350 mil euros por  notícia").
O i ( Pedro Rainho) prefere tratar de outros temas do processo e ao mesmo tempo trata o caso do CM como mero assunto jornalístico próximo do fait-divers, tal como o Público.

Portanto, para esta "imprensa de referência"  ( de quê, afinal?) o Costa é que conta e o resto são tretas. Charlie foi em Janeiro e já vai há muito tempo...

Resta o visado Correio da Manhã:

E o assunto principal que está em jogo continua a ser este, estranhamento ignorado pela tal "imprensa de referência" ( referência de quê, afinal?)



O assunto, tal como em 2009, continua a ser o Estado de Direito. O jornalismo de referência ( de quê, afinal?) parece prescindir disso e prefere "o Costa"...

22 comentários:

Floribundus disse...

monhés à solta neste social-fascismo

já fede horrorosamente
vem aí muita merda

Manuel disse...

Já comprei a edição de hoje. É um muito módico contributo para uma republiqueta mais arejada, mas se muitos contribuírem. Força Charlie, isto é Correio da Manhã.

zazie disse...

Ah, mas há mais enojado com o CM do que com a censura ao CM.

Acredite. Dizem que dá mau aspecto e assim. E até há quem diga que é a sua sebenta.

Manuel disse...

A mim, não me enoja nada. Compro-o e levo-o na mão bem à vista aproveitando para esfregá-lo no focinho dos querem perpetuar sistemas corruptos, pessoas desonestas e prácticas políticas enviesadas, que sendo muito vantajosas para uns poucos, são danosas para a generalidade dos portugueses.

josé disse...

O Correio da Manhã pouco me interessa como jornal. Folheio e o que leio geralmente não me informa por aí além, como gostaria de ser informado.
É mesmo um pasquim no bom sentido do termo, ou seja, sem a conotação pejorativa do meio difamatório que lhe anda associado.

O jornal, além disso, informa mesmo sobre os fait-divers dos homicídios dos assaltos e da criminalidade violenta e não violenta da sociedade em que vivemos e ainda mais os desastres todos.
É um bom espelho dessa sociedade porque aquilo que informa raramente se revela falso ou desajustado da realidade.

O problema para mim é que não me interessa nada saber dos casos de polícia e desastres que acontecem por esse país fora.

Reconheço no entanto que o factor curiosidade de espreitas que muitos são é essencial para o sucesso do jornal.

Quando há um acidente na auto-estrada há pessoas que querem ver e outras que preferem não o fazer, por saberem o que é.

O CM dirige-se a quem quer ver.

Tal como as tv´s. As tv´s, com os seus concursos e cantorias e noticiários estrepitosos não são melhores que o CM.

josé disse...

Para mim o modelo de jornal é o Diário Popular dos anos sessenta e primeiros anos de setenta.

Tenho um exemplar scaneado totalmente e um dia destes publico todas as páginas, com o suplemento para se poder ver como era.

josé disse...

Além disso, no noticiário do fait-divers o Jornal de Notícias é muito superior, em tudo, até na sobriedade.

O resto, ou seja a política, no CM é quase nula e no JN é a do Camões. Uma vergonha.

Ricciardi disse...

Eu não concebo que se possa dar liberdade de publicar matérias em segredo de justica, matérias essas obtidas pela circunstância óbvia do próprio jornal ser Assistente no processo.
.
Concordo, porém, que é do interesse público a publicação de matérias do foro pessoal do Sócrates, uma vez que o processo judicial se alimenta de sinais exteriores de riqueza ou manifestações de riqueza.
.
Também não concordo com o alegado direita de imagem do Sócrates, se as matérias publicadas fizerem meras insinuações e não apresente factos.
.
Ora, o CM apresentou factos. Viveu em Paris, teve despesas de 28 mil euros por mês etc e publicar o q parecem ser excessos parece-me bem.
.
Contudo, não pode intuir e difamar o CM sem provar. Quer dizer, pode mostar o tipo de vida do Sócrates mas não pode acusar que a massa para esse tipo de vida lhe veio de corrupção.
.
Sócrates justificou a casa de Paris. E pareceu-me válida a explicação. Cabe a quem acha o contrário demonstrar.
.
Nas transcrições da sábado houve uma frase de Sócrates q retive. Ele disse ao MP e ao juiz que não o iam 'apanhar noutra'. Ele quis dizer que não explicava mais nada ao mp e ao juiz , excepto se o acusarem e levarem a julgamento, porque percebeu q explicação que ele deu para usar a casa de Paris do amigo foi usada de má fé. Preferindo, pois, guardar as justificações para quem use da boa fé e no momento em que puder defender-se sem restrições, isto é, em tribunal.
.
Portanto, Desconfio muito q um tribunal venha a dizer que o CM pode publicar matérias que ele próprio obtém por ser Assistente. Seria um convite ao crime.
Eu próprio faria vida dessa prerrogativa. Pedia que me constituissem assistente e vendia o segredo de justiça a jornais.
.
O Tribunal deve decidir pelo bom senso. Não publicar matérias em segredo de justica que o CM teve acesso por ser assistente, mas permitir que possam publicar as matérias que devêm dos méritos de investigação particular.
.
A minha opinião é outra. Com este exemplo, acho que os jornais deviam ser proibidos por lei de serem constituídos assistentes de processos judiciais. Porque é incompatível o segredo de justiça com a liberdade de imprensa.
.
Rb

Ricciardi disse...

Retorno ao que sempre afirmei. A investigação devia ter focado atenção nos negócios com o estado e escalpeliza-los ao milímetro. Ebpor aí apanhar distorções. No preço, na concorrência, na qualidade, na oportunidade. E a partir dessas distorções ir à procura de eventuais benefícios.
.
Este método tinha outra vantagem. Punha o mundo empresarial que gravita e vive em negócios com o estado em alerta. Porque? Porque se provamos que um dos negócios tem preços anormais ou que são investimentos sem utilidade ou oportunidade, em suma, contratos leoninos, os contratos podem ser anulados. Se esses empresários tiverem a noção que se meterem a pata na poca vão à falência, provavelmente não entratarao em negociatas tão facilmente.
.
De outro modo, se começam uma investigação a escalpelizar movimentos e transferências dão ao adversário tempo e método para arranjarem justificações.
.
Começaram pelo fim.
.
Tanto assim é que, ao que consta, o MP provavelmente vai esquecer os indícios que motivaram a prisao preventiva do Sócrates e irá fazer acusação com base num negócio que descobriram à posteriori. O Vale do Lobo. O que levanta a questão da legitimidade em o terem prendido naquela altura.
.
Se não tivessem sido precipitados, mais uns meses a investigar negócios concretos e fariam uma investigação como deve ser. Sem macula.
.
É que o que tenho lido é tudo muito bonito mas...
.
... mas só vejo dizerem que um e outro trasferiu massa para o Carlos e depois fazem o passe de mágica e dizem 'porém acreditamos que o destino destes movimentos era o ex-pm'. Acreditam. E nao saem disto.
.
Outra coisa. Uma das acusações é sobre eventual ganho com obras realizadas na venezuela, angola e argrlia. Alegadamente o JS terá feito bons ofícios nos seus conhecimentos internacionais para beneficiar estas empresas portuguesas e com isso terá ganho alguma massa. Eu pergunto: isto é crime?
.
Rb

Ricciardi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Floribundus disse...

uma psiquiatra, mulher de colega e Amigo, disse-me conhecer raras pessoas que só falavam do que conheciam

para ela os fala-barato eram normalmente seus clientes no hospital

depois do 25.iv surgiram sábios por todos os lados
parece uma repetição da erupção do Krakatoa

com muita alegria vejo-me cada vez mais reduzido à minha ínfima insignificância

'porreiro, pázinho!'

Alberto Sampaio disse...

Nada é crime quando se trata de socrates!
O problema com socrates é toda a gente saber que é um criminoso, mas demasiado esperto para se deixar apanhar. Ou seja, o problema não é saber-se se é criminoso, porque é, o problema é provar. Até poderá não se provar, mas não deixa de ser um criminoso, nojento e repulsivo. Ainda bem que há quem acredite na sua inocência

Alberto Sampaio disse...

O socrates, como se sabe, já queria calar o cm em 2009. Aliás como calou a tvi. Isto, por um primeiro ministro. O canalha !

Floribundus disse...

sobre a tomada de posse dum cargo no governo do 44
pela juiza flor bela ver
blog Estado Sentido
http://estadosentido.blogs.sapo.pt/

José disse...

Sobre essa notícia do CM de hoje talvez seja melhor nao tirar conclusões precipitadas.

Apache disse...

«Os "jornais de referência" de hoje são alheios aos problemas do "pasquim" Correio da Manhã a quem cortaram o pio…»
Como seria previsível se não fossemos ingénuos, José. Que esta censura prévia é inconstitucional, poucos duvidarão, mas quando tilinta do vil metal que rato se interroga sobre constituições? O Correio da Manhã é, de longe, o jornal que mais vende e qualquer ataque ao “pasquim” é um “subsídio” aos “micropasquins” concorrentes.

Vasco Coelho disse...

Sócrates vai ser "apanhado" precisamente como se "apanhou" Al Capone - pelos impostos, porque afinal só a morte e os impostos nos são garantidos.

José disse...

Huummm...o Isaltino só foi por aí, mas no caso de Sócrates a coisa é mais complexa e intrincada. A corrupção já salta aos olhos de quem quer ver.
E a prova indirecta vai acabar com os delilles& araújo. Não estão habituados porque são tarimbeiros da aldrabice legal.

zazie disse...

Agora mesmo os jurados em Espanha consideraram os pais daquela menina chinesa como culpados da sua morte.

Não havia uma única prova directa.

zazie disse...

Acho que bastava que 5 votassem contra para não serem culpados. 5 votos contra e 7 a favor.

Para quem diz que alguém só pode ir a tribunal com provas visíveis, está aqui a resposta.

José disse...

É claro que isto vai ser o baile habitual. O processo neste momento já tem mais de 55 volumes. Daqui para a frente é a somar em progressão e rapidamente atingirá os 150 volumes.
Com a produção intensiva e chicaneira destes advogados poderá chegar aos 300 volumes...com as fotocópias a duplicar.

Quem paga? Em parte, os arguidos, se tiveram com quê.

O arguido José Sócrates neste momento que rendimentos terá? Parece, segundo notícias, que o pagamento das casas da ex-mulher cessou a partir da sua prisão o que prova de quem realmente eram os imóveis...ou quem efectivamente os pagou.

José Sócrates neste momento está na sua casa, legitimada por esses estratagemas bacocos.

TrapDoor Coir disse...

Calculo que esta jogada do Pinto de Sousa seja aquilo a que se chama "perigo de perturbação do inquérito", não?