Páginas

domingo, 11 de outubro de 2015

O húmus da Esquerda é a litania dos pobres

Boa análise de VPV no Público de hoje, sobre o fenómeno que sustenta a esquerda e particularmente o PS.
Quando a esquerda fala dos pobres, muitos dos seus dirigentes pensam no Gambrinus. São eles que lhes permitem lá ir...em carro com motorista.

16 comentários:

zazie disse...

"Pássaros de uma mesma pena".
ehehe

Pode ser jacobinice mas tem um fundo de verdade.

muja disse...

Não acho assim tão boa a análise.

Por um lado escreve muito para se referir ao que Dickens já chamava os filantrópicos telescópicos - que é o que a esmagadora maioria dessa gente é, quando chega a ser alguma coisa.

De resto, a comparação é convenientemente feita com uma igreja em vez de com a Igreja. É que a Igreja, os seus membros e fiéis, efectivamente ainda andam mesmo por aí a fazer um pouquinho que seja por quem vai precisando...


BELIAL disse...

Já não se fazem pobres como antigamente.

Agora, são mal agradecidos.
No rsi, maioria são vadios ou meliantes "com agregado familiar", que fazem casa a quem lhes der borlas ou subsídios.

Quando podem armam barraca e confusão com a respetiva tribo

Infelizmente, não emigram.
Felizmente, também não migram.

josé disse...

É uma análise de direita.

Floribundus disse...

o sapo guterres e o seu mentor falavam muito dos pobrezinhos

do meu longo conhecimento em duas reps
há duas espécies de pobres:

os que trabalham

os que vivem de subsídios ou esmola obrigatória dos contribuintes para amamentação do estado dito social

a composição da ar mostra que o rectângulo será pervertida por suburbanos

há muitas formas de mendicidade

uma delas respeita à + antiga profissão

BELIAL disse...

José:

É uma "imagem".

Uma metáfora... :-)

Antonio Cristovao disse...

O facto relevante é que o PCP e o BE estão disponíveis, para contribuírem para o governo do país.Esse facto é uma boa alteração que também estejam disponíveis pela positiva e não como até aqui pelo bota abaixo, apenas.
Temos que esquecer a recusa de falar com a troika, o tremendismo dos chumbos sucessivos e do 2º resgate, bem como a ausência de ideias positivas na campanha. Finalmente estão disponíveis para o governo, o que trás uma faixa do eleitorado com vontade de resolver problemas.Se apó seis meses de siryzada a coisa piorar, já temso treino; chama-se as "instituições" e põe-se a economia a funcionar.

hajapachorra disse...

Este gajo, como o rosas, o louça, a joana, as mortaguas, sabe lá o que é a pobreza. Só sabe o que é a pobreza quem foi pobre. Quem foi mesmo pobre. A snobeira das Menas Mónicas e das afectadas moças do berloque mete nojo. Como mete nojo o reaccionarismo integral dos remediados do marcelismo primaveril.

José disse...

"Como mete nojo o reaccionarismo integral dos remediados do marcelismo primaveril."

é uma variante do reaccionarismo progressista dos que então resistiam de dois modos: uns, por ambicionarem imitar o Leste maravilhoso dos amanhãs a canta; outros, por se sentirem órfãos após a queda de Salazar.

José disse...

A pobreza verdadeira é a de espírito. Porém, tem uma consolação: de pouco precisa para se sentir remediada.

José disse...

Uma telenovela, um copo de tinto ou branco ( na URSS era mais bebida branca) ou, nos casos sofisticados, de whisky.
O caviar metafórico também serve.

José disse...

os ensinamentos de Marx, Lenine, Estaline ou Mao, servem para esses pobres de espírito mobilarem o vazio mental.

zazie disse...

Os pobres de espírito que falam em nome da verdadeira pobreza que só os verdadeiros pobres conhecem, são uns pascácios que se alimentam disso.

E é por isso que o VPV diz uma verdade- os curas de passeata também precisam desses pobrezinhos que nascem pobrezinhos e ficam arrumados nessa categoria fatídica, com estatuto de pobrezinho, para lhes darem sentido à pregação da recompensa no Alem.

A esquerda faz o mesmo- vive dessa etiquetagem fatídica e eterna para prometerem utopia em tempo nenhum.

E ´mentira que nós nossos dias, aqui, em Portugal, exista gente que viva na extrema miséria porque o famigerado capitalismo dá oportunidade de trabalho e mudança de vida a quem queira trabalhar.

Só o bendito comunismo é que dá a miséria eterna para os outros, já que para os próprios o paraíso é sempre bem terreno e luxuoso.

zazie disse...

Esse "zelo e ódio teológico" de seita é igual, porque se torna uma religião.

É esta a grande verdade e é isto que explica como o fanatismo político é irmão gémeo do fanatismo religioso- como o VPV disse- são "pássaros da mesma pena".

A ideologia de esquerda não é realista, logo nunca poderia mudar a realidade social. Tal como a religião apenas têm doutrina e a essa é que existe a obediência cega.

Que os pobrezinhos e as coisas de coração e a peninha toda e o amorzinho, seja o caldo, é pelo modo que mais enganam

BELIAL disse...

O "dr" soares falava muito, "quando estava entre nós" da preocupação com "as manchas de pobreza".

Apetecia-me acreditar, naquela sinceridade.

Infelizmente...as metáforas são o que são.

zazie disse...

Devia ser quando a criada entornava a sopa.