Páginas

sábado, 5 de março de 2016

A gente que "existia para participar"...

Lendo a história do IPE, sumariada neste artigo do Expresso de 8 de Julho de 1989 poderemos entender como a nossa Economia funcionou depois do PREC de há quarenta anos.



Em 22 de Dezembro de 1978 O Jornal mostrava uma publicidade a esta holding de empresas públicas. Pode perguntar-se para que serviria esta publicidade...




Se as empresas nacionalizadas e as participadas pelo Estado estavam nessa situação em que existiam para participar nas bancarrotas sucessivas e descalabros económicos permanentes,  Ferraz da Costa lembrava  em1.3.1986 no Semanário.



A "banca" não se incluía nesse universo de ipe´s que existiam para participar. E para recordar a petite histoire do BES, agora que o seu mentor anda por aí a justificar-se, em livro a preceito, este pequeno artigo daquele número do Expresso ajuda.




 No final dos anos oitenta o panorama era este:


 E a seguir apareceu o "cavaquismo" em força. Oportunamente lá iremos como já fomos há algum tempo, mas vale sempre a pena recordar porque é que somos o país mais atrasado da Europa: sempre por causa da Esquerda. Pelo PCP nunca teríamos saído do universo IPE, mas com gestores à maneira soviética. Pelo BE que então andava disseminado em partidos de extrema muito menos. Pelo PS, saímos, mas a muito custo, depois de se terem convencido que afinal lá fora não havia alternativa e porque lhes continuava a render lugares nos pequenos ipe´s que foram aparecendo, incluindo o principal lugar de formação, a madrassa ISCTE.

Quem é que ganhava com esta Economia de terceiro mundo? Estes figurões, por exemplo. Suas famílias alargadas por supuesto e mai-los descendentes políticos sempre amarrados às participações.
Muito participaram estes gajos...até o pobre Camões, o pau-mandado do Sócrates, participou através do advogado Proença, outro participante de grande vulto.


Teremos o que merecemos? 

8 comentários:

Kaiser Soze disse...

(um gajo à espera do José emocionado com o regresso da sua pivô favorita e nada...)

josé disse...

É outra participante...

Floribundus disse...

o anão também mudou de muletas com andas

ou estou enganado ou desapareceu parte do entusiasmo da parte dos 'asnóes'

já estou habituado ao entusiasmo urinário

* constava que o general de aviário detestava Ferraz quando pr

* o bes devia ter um pouco mais de vergonha na cara

* a lista dos vampiros está incompleta

porque não cabiam num jornal

* s dúvida futura é a dívida

a esquerda divide o rectângulo ao meio
nada a fazer

'foi tudo para o Maneta'

José Domingos disse...

Continuo a achar estranho, o Santander, estar em todas, parece que adivinham.
Quem será quem, no Santander?

skeptikos disse...

«A TVI é uma participada da Media Capital cujo accionista maioritário com 95% é o grupo Prisa com ligações ao PSOE, partido irmão do PS; o 6.º maior accionista do Grupo Prisa é o Santander»
http://impertinencias.blogspot.pt/2015/12/pro-memoria-279-banif-o-presente-de.html

josé disse...

A traição à Pátria ainda é crime?

E quem são os actuais miguéis de vasconcelos?

A Uria Menendez é de que país?

Floribundus disse...

Blasfémias

Quem ainda não está convencido da necessidade de terminar a vida a chatos indesejáveis que gemem em vez de grandolar, tem agora Adão e Silva na televisão pública, uma forma humana de assistência ao suicídio sem custos para o utilizador.

* sucialismo dos anões

* um patrão falou do perigo do biscate de Maria Luís

Luís Bonifácio disse...

O IPE tinha um administrador que, saía TODOS os dias do Procópio de gatas, às 4 da manhã, tamanha era a bebedeira!