Páginas

domingo, 10 de abril de 2016

As personagens-chave da nossa História contemporânea

Esta crónica de João Pereira Coutinho no CM de hoje merece comentário ilustrado.


Portanto, a ideia do ilustre e antigo colunista infame seria ir aos arquivos dos jornais e pespegar uma investigação documental para se perceber melhor quem era quem no final do séc. XX e o que sucedeu entretanto a tais figurões, em termos judiciais.

Ainda não sucedeu grande coisa a não ser a um desgraçado Duarte Lima ou a um patético Isaltino. Os demais personagens da vida pública andam por aí cantando e rindo e a gozar os lautos rendimentos.

No entanto, o resumo destes últimos vinte anos na vida pública nacional poderia muito bem ser feito, de modo profundo e verdadeiramente realista por estas personagens das nossas lendas:



Estes  personagens ( Jorge Coelho, Armando Vara, Dias Loureiro, Penedos e principalmente Proença de Carvalho)  sabem tudo, mas mesmo tudo do que se passou nestes últimos vinte anos com a JAE, o GES, as obras públicas, as PPP´s, o financiamento partidário, os negócios dos últimos anos com as privatizações de empresas públicas de maior relevo ( REN e PT, por exemplo), etc etc.

São eles os detentores dessa sabedoria imensa e desse poder imanente que nenhum magistrado deste país possui.

Por isso os segredos de Portugal estão com eles.  Não necessariamente em qualquer processo judicial. E quanto a crimes é tudo fantasia. Como diziam os responsáveis pela investigação criminal ainda há poucos anos ( Pinto Monteiro e Cândida de Almeida) havia muita fumaça e pouco fogo...

Curiosamente é esse o discurso de tais personagens.

Se me pedissem para eleger um deles como interlocutor e relator da História de Portugal dos últimos 40 anos não tenho dúvidas: Daniel Proença de Carvalho, o Profeta dos tempos que correm desde então para cá.

Tenho escrito inúmeras vezes sobre tal personagem notável. Notável mesmo e genial. Até um dia...

17 comentários:

Victor Nogueira disse...

Pois ... Mas também há o BPN e não só, com uma foto doutros amigos de peito e décadas, um dos quais apontando o horizonte, como se fossem Vasco da Gama ou Henrique, The Navigator.

Floribundus disse...

um dos directores da SLN foi grão-mestre do gol

'-o réu vai falá
-ex-celença eu não tenho nada; não é nada meu; é tudo de amigo meu'

a Mafia tem a fama
alguns têm o proveito

consta que o Panamá é para desviar outros assuntos
de caras sem vergonha

zazie disse...

eheheh curto, grosso e bem ilustrado

lusitânea disse...

O maior segredo do sobado de Lisboa é o nº de africanos que nacionalizam por "afectos" e pagamos obviamente...

josé disse...

O BPN está contemplado. Mas o caso do BCP e da CGD é infinitamente superior...só que mete os apaniguados que andam sempre a falar do BPN.

Enxerguem-se!

JC disse...

Parece que D.P. de Carvalho era inspector da PJ antes do 25-4, e que dirigiu uma investigação contra Champalimaud. Mas entretanto saiu da PJ e foi advogar, surgindo como advogado de defesa do Champalimaud no processo judicial que se seguiu a tal investigação.
De investigador passou a defensor do acusado.
Parece que foi impedido de participar no julgamento mas Champalimaud contratou-o para o departamento juridico da sua cimenteira.
A partir daí a sua "carreira" foi sempre a subir.

altaia disse...

José e se fosses ao oftalmologista estás com a vista defeituosa e aposto que é a do lado direito.

josé disse...

Do lado direito vejo bem. Do esquerdo, menos um bocado porque senão nem conseguiria aguentar...

Floribundus disse...

anda por aqui e por toda aquela parte

seres que utilizam o olho do cu para ler

saiu um pueta da rifa da cul tura

delicioso
ocioso
horroroso

Vivendi disse...

Havia aquela do: "e o Burro sou eu?"

Agora temos: "e o Judeu sou eu?"

Na mouche José.

Maria disse...

A propósito da falta de vergonha na esquerda comunista e socialista, ouvi anteontem e ontem o Gerónimo de Sousa opinar sobre os escândalos em que estão envolvidos governantes e políticos no activo e outra gente importante e bem conhecida nos vários países já citados, todos referenciados nos chamados Panamá Papers. Achou muito mal, como lhe convém e espera que tudo seja investigado e os faltosos punidos. Mas e então não eram os capitalistas os grandes 'armazenadores' de grandes fortunas? E não eram os regimes não comunistas os grandes exploradores dos trabalhadores? O que acha o senhor Gerónimo do facto de o presidente Putin estar implicado neste desvio de muitos milhões para as suas contas off-shore por interposta pessoa??? Através de um amigo, é certo, mas ainda assim o dinheiro é dele ou não?! Sendo aquele país o país de adopção do senhor Gerónimo e o ex-sol da terra dos comunistas, que tem ele a dizer sobre o comportamento altamente capitalista do senhor Putin?

(Abra-se aqui um parentisis para lembrar que devemos duvidar dos escândalos que tenham origem nos Estados Unidos com o propósito de atingir políticos e/ou governantes actuais e pretéritos de quase todos os países do mundo, sejam estes democracias ou não, excepto os dos próprios E.U., naturalmente..., que é, como se sabe, o país cujos políticos enquanto em exercício de funções mais escândalos deste género e de outros de muito maior gravidade protagonizaram, sobretudo num passado recente, sem esquecer os terríveis acontecimentos das últimas décadas despoletados pelos mesmos E.U. e engendrados por políticos no activo, incluíndo presidentes e seus mais chegados conselheiros).
(cont.)

Maria disse...

(Conclusão)

O Dr. Proença de Carvalho é um velhaco e um vendido e uma pessoa falsa. Não o conheço mas pelo que o José tem aqui vindo a descrever sobre o carácter da personagem, não podem restar dúvidas.
Pessoalmente não o suporto por um motivo que considero que só uma pessoa de muito baixo nível, ainda por cima um advogado contratado pela família do assassinado, família de quem era amigo de longos anos, era capaz de defender tão mal um seu cliente que havia sido brutalmente assassinado a tiro no seu escritório da Av. Antº. Aguiar Aguiar pelo seu antigo jardineiro, que estava drogado no momento do acto criminoso - ele próprio o confessou - e mais disse que nem sabia o que estava a fazer na altura em que disparou sobre a sua vítima. Este crime causou estupefacção e repúdio, para dizer o mínimo. O advogado andou embrulhado no caso e este nunca mais andava para a frente. O processo levou alguns anos, com paragens intermédias e sucessivas muito estranhas e suspeitas e passados poucos anos... o processo foi encerrado ficando tudo em águas de bacalhau. O criminoso esteve preso(?) uns dias?, umas semanas?, talvez alguns meses ou nem isso. Nunca mais se soube exactamente o que aconteceu ao assassino nem o que o levou a praticar tão brutal acto (uns anónimos curiosamente muito conhecedores da vida do jardineiro, apareceram a modos que a 'defender' o homem, dizendo que este tinha ficado muito zangado por ter sido despedido tempos antes pelo patrão..., quer dizer, toda a pessoa que é despedida de determinado emprego pega numa arma e vai matar aquele que originou o despedimento..., pois concerteza). Havia uns fulanos muito engraçados, normalmente chegados a partidos da esquerda, que diziam como quem não quer a coisa "ah, mas o patrão foi muito máuzinho em despedir o jardineiro(!!!), como é evidente... A mulher do jardineiro disse posteriormente que "ele (Champallimaud) era terrível, um judeuzinho..." (e por isso merecia ser assassinado, não é verdade?). Quem mandou assassinar o Dr. Manuel Champallimaud? Quem drogou o jardineiro e o mandou ir ter com o ex-patrão (que nem o queria receber, mas "alguém" abriu a porta do escritório para o homem poder disparar à queima-roupa mal a porta se abriu)? Quem lhe forneceu a arma e lhe encomendou o "trabalhinho", depois de ter levado respectiva lavagem cerebral da praxe? Quem lucrou muitos milhões e ainda mais protecção do sistema, nos dois sentidos (do que a imensa que já vinha beneficiando desde poucos anos após o 25/Abril e até hoje), com o facto de todo o processo ter ficado em águas de bacalhau?????? Não é necessário dizer o nome, pois não? Claro que não, foi esse mesmo em que estão a pensar.

Ah, mais um pormenor que não é de somenos, este advogado adora dinheiro e tem-no recebido a rodos desde que exerce advocacia. Certamente já todos repararam nos seus traços fisionómicos. É que neles está escarrapachada a sua ganância por dinheiro, muito dinheiro "they want gold, gold, gold, lots of gold" nas palavras do historiador David Irving, referindo-se a este género de pessoas.

Floribundus disse...

Maria
em 58 habitei num andar dessa casa da Castilho

confirma o que ouvi por ocasião do crime

Floribundus disse...

sem emenda
em 57 habitei no 58

Maria disse...

Tem razão Floribundus, é Castilho e não A.A.A. Vai tudo de memória e às vezes esta prega pequeninas partidas:)

Adelino Ferreira disse...

Ó Maria a maior "partida" foi teres escrito 3 (três!) × "G"erónimo. Jerónimo não deriva de geringonça...

Maria disse...

Adelino Ferreira, tem razão, mas haverá da minha parte alguma desculpa, penso eu de que (parafraseando o outro).
Por um lado leio muita coisa em inglês e ùltimamente sobre a história dos índios norte-americanos e mais precisamente sobre os Apache nas querras que estes travaram contra os norte-americanos, onde o bravo Geronimo foi um dos seus heróis. Eis o motivo de inadvertidamente ter trocado o nome. Foi um lapso, claro, as minhas desculpas ao senhor Jerónimo. Mas não creio que uma grafia alterada apenas na primeira consoante do nome próprio seja grave, afinal de contas ambos significam o mesmo e derivam de São Jerónimo, o que não deixa de ser uma honra para quem o possui desde o dia em que foi baptizado. E este senhor certamente tê-lo-á sido dado o nome que lhe foi dado. Se hoje este acto de forte cariz religioso ainda diz algo ao seu portador, isso é que já é bastante duvidável.