Páginas

quinta-feira, 2 de junho de 2016

O pragmatismo míope de MRS

Observador:

Em entrevista ao Die Welt, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que não há muitas diferenças entre o programa da maioria PSD/CDS e o actual Governo do PS. "A realidade é o que é", rematou.

Já em 1974, logo a seguir ao golpe de 25 de Abril o mesmo Marcelo Rebelo de Sousa, como jornalista do Expresso não conseguia distinguir diferenças entre o que o PCP fazia e o que deveria ser uma democracia.

O que então escrevia nesse jornal prova-o.

12 comentários:

Floribundus disse...

nunca o levei a sério

votei no beijoqueiro por ser o menor dos males

ainda se enforca na própria língua sem dar por isso

Zephyrus disse...

Ridículo, votei nele por ser o mal menor mas nunca me enganou.

Aliás escrevi-o aqui várias vezes.

O Vieira da Silva quer aumentar a TSU para contratados a prazo. Como se contratar a prazo fosse «pecado». As empresas de turismo balnear contratam a prazo. A agricultura contrata a prazo. As fábricas com encomendas temporárias contratam a prazo. Em inúmeros negócios é normalíssimo contratar a prazo. Não faz sentido nenhum ter empregados sem ter trabalho, é a via rápida para a falência.

Mais. Vieira da Silva quer colocar funcionários do Estado a controlar as contas das 500 maiores empresas do país. Se isto não é uma intromissão grave na liberdade económica do país o que é? Que moral tem o Estado para enveredar por este controlo e por este paternalismo? Nenhuma. A CGD tem um buraco gigante por ter concedido créditos a quem não devia. O Estado é mau pagador e pode demorar longos meses a pagar. A maior parte da dívida do país é pública. Parte da dívida privada foi promovida pelo Estado graças a políticas públicas erradas.

Acho estranho estas coisas não serem denunciadas em horário nobre. E desmascaradas. O PS está a destruir o país e ninguém denuncia. Não é de doidos? Estas políticas vão arrasar a criação de emprego e o investimento. Vão-nos empobrecer ainda mais mas ninguém tem coragem de dizer que o rei vai nu.

Zephyrus disse...

Depois, insiste no aumento do salário mínimo já no próximo ano.

Os nossos colegas da Europa de Leste muito menos endividados, com menos burocracias e regulamentações que nós e a ultrapassar-nos no PIB per capita têm salários mínimos inferiores a 400 euros.

O que não é dito é isto.

1) Temos bens e serviços caríssimos para o país que somos. Rendas de casas, electricidade, água, gás, telecomunicações. Tudo devido à falta de concorrência, taxas, impostos, regulamentações.

2) Um patrão além do SMN paga TSU. Paga seguros. Paga subsídios. Paga compensações e indemnizações. Na realidade um empregado com o SMN custa bem mais de 800 euros ao final do mês.

Há dias soube isto.

Um familiar com um negócio numa praia contratou um empregado por 4 meses. Mandou a contabilidade fazer o contrato e a contabilista diz-lhe então isto: se a caixa facturar mais de 135 euros num dia, o empregado nesse dia tem direito a receber um extra de 10 euros, lei de 2010. Ora no Verão isso representaria 900 euros de despesa extra... mas no Inverno a caixa factura 0 euros meses a fio! Dá vontade de investir em Portugal com estas leis comunistas desconectadas da realidade?

Zephyrus disse...

Ninguém diz estas coisas em horário nobre e nas rádios. Ninguém faz capas de jornais com estes dados. Isto são factos. Não são ideologias nem sonhos nem utopias.

Floribundus disse...

já nem querem que os touros possam investir nos espectáculos

provavelmente doram os últimos

diz-se que a Sra Merkel obrigou o beijoqueiro a ir ao beija-mão

veio de lá com orelhas mais compridas

pensei que a entrevista ao 'Mundo'
era do césarzinho

'cheguei, vi e lixei esta bosta'

Floribundus disse...

Corrière
Dalla storia del Pci pubblicata dal famoso dirigente del partito nel 1978 emergono alcune osservazioni
sui contrasti tra il pensatore sardo e i suoi compagni in prigione. «Gramsci non accettava l’esasperato egualitarismo che regolava i rapporti tra i comunisti nei collettivi carcerari. Consapevole dell’importanza dell’opera che andava compiendo, difendeva gelosamente le condizioni che gli permettevano di portare avanti il suo lavoro»

jbp disse...

Estive quase para votar nele devido ao tal "voto útil". Felizmente não votei nele e sinto grande alívio ao não tê-lo feito. Provoca-me náuseas. Um PR pimba é tudo aquilo que Portugal não precisa.

lusitânea disse...

Como já li por aí mais do que uma vez que certas cabeças afinal confessaram que percebiam daquilo como um calceteiro eu optei pelo Tino de Rãs...pelo menos é genuíno...

Floribundus disse...

o beijoceiro deve ter em atenção

a ascenção do Alternative für Deutschland

as críticas do ministro Schäuble
á Comissão da UE

e às do BCE

o resto é folclore das tias de Cascais

josé disse...

O tipo não é pimba. É talvez pior que isso: rendido à Esquerda, desde sempre que se conhece, mas com uma raiz que o desmente. E nessa contradição balança sempre, embora até agora tenha sido sempre para aquele lado canhoto.

Ainda tive esperança de alguma redenção quando vi que escolheu discursar na noite da eleição na Escola da FDUL. E depois quando escolheu ir ao Vaticano apresentar-se para receber a benção papal.

Mas o que se prova dia a dia é que estas pequenas manifestações das raizes contam pouco para o desígnio que se propôs: uma quadratura de um círculo impossível.

Floribundus disse...

José
tem razão

além disso é , ao contrário do anterior, um enjaulado da cidade
e um cagarolas

faz-me lembrar a expressão de Jô Soares
'está todo o mundo enrolando'

abriu a caça ao coelho,
mas o monhé é que tem mixomatose

Floribundus disse...

destruído por VPV