Páginas

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Pescanova e o jornalismo CM: o bom que saiu mal

O Correio da Manhã tem hoje um título manhoso que desmerece o de ontem: "peixe espanhol no buraco da caixa". E em subtítulo, "unidade de produção de pregados já originou 23,8 milhões de prejuízo à CGD".

Estas noticias, sendo verdadeiras, deveriam contextualizar melhor o que se passou com este assunto. No interior, em duas páginas, dá-se conta de que a "Acuinova, unidade de aquicultura da Pesacanova em Morra: em conjunto com a Pescanova Portugal é responsável por uma exposição de 36,1 milhões  de euros e uma imparidade registada de 23,8 milhões". 
Conta-se depois que essa unidade de criação de rodovalho em aquicultura, a maior do mundo, teve problemas em 2013 por deficiências técnicas na concepção do projecto de  captação de água do mar. Não sei se foi assim ou não mas leio que este projecto foi apadrinhado pelo então primeiro-ministro José Sócrates que o considerou um dos projectos PIN, supostamente de elevado potencial de interesse nacional. Também não sei se assim foi e quem deu essa indicação ao governo da altura.

Relativamente ao dinheiro em causa, alguns milhões, serão uma gota de água salgada no mar das dívidas da Pescanova que no início de 2013 entrou em processo de insolvência, o qual foi estancado em 2015 com um acordo de credores. Meses antes, o principal responsável e accionista da empresa galega, o snr Fernandes Sousa vendeu metade das acções, sem dizer nada a ninguém e acabou condenado em 2014 devido ao colapso da empresa. Uma justiça célere, em Espanha e um exemplo do que por aqui não temos...

Os negócios da Pescanova em todo o mundo, ainda em 2011 eram considerados rentáveis, com perspectivas de futuro radioso...e portanto o que o CM faz hoje é uma notícia com um conteúdo manhoso porque associa a dívida da CGD a negócios manhosos do tempo de José Sócrates, sem haver fundamento claro.
Este tipo de jornalismo acaba por desacreditar o bom que foi a notícia de ontem. Saiu mal, hoje.

15 comentários:

Floribundus disse...

anda 'desmaziada' gente a pescar no meu bolso

a esquerda há muito que tomou conta do pouco que me resta

o rectângulo e saldo de fim de estação

o monhé anda mais amarelo
e o beijoqueiro vai ouvir os ratos pingados

Rilhafoles era mais bem frequentado

JReis disse...

José, aqui discordo da sua ideia. Isso porque acompanhei o processo vergonhoso de insolvência da Pescanova através do Faro de Vigo que gosto de ler regularmente. Essa empresa emitia facturas fictícias de outras empresas do mesmo grupo para obter créditos e empréstimos fraudulentos junto de bancos. O Sr. Sousa que refere é descendente de Portugueses, jánão recordo se pela parte da mãe ou do pai fundador da Pescanova. Portanto a noticia do CM poderá fazer algum nexo no sentido em que questiona a concessão de financiamento a uma empresa que por trás da cortina toda a gente sabia quais as suas práticas. Na Galiza creio que o escândalo da banca é idêntico ao nosso, a banca Galega chegou a financiar a compra de uma Ilha que agora não recordo o nome e até um veleiro de milhões foi comprado com recurso a financiamento da banca Galega. Depois de uma forte guerra em várias assembleias de accionistas nomeadamente com o accionista salvo erro Estrella Damn (sim a cervjeira era accionista da Pescanova) lá chegaram a acordo para salvar a empresa mas com grande injecção de capital. Mas a catástrofe da Pescanova não serviu de nada para aprender pois recentemente já lá meteram uma ex ministra de um anterior governo Espanhol...
José, CGD e Pescanova do passado é de desconfiar e talvez a noticia do CM não esteja suficientemente elaborada para aqueles que não acompanharam e não dispõem de suficiente informação.

josé disse...

"talvez a noticia do CM não esteja suficientemente elaborada para aqueles que não acompanharam e não dispõem de suficiente informação."

Foi isso mesmo que escrevi. E mais: que em 2011 a Pescanova ainda era uma empresa de sucesso...pelo que no tempo do Sócrates era coisa que o indivíduo adorava por causa do "investimento estrangeiro".

Quanto ao processo que levou à insolvência da Pescanova, claro que deve haver muito a contar, mas principalmente a bancos espanhóis.

A Galiza é exemplo de alguns negócios de sucesso como o grupo Inditex e outros e só me interrogo porque razão o Norte de POrtugal não foi capaz de fazer o mesmo quando tínhamos know how mais antigo no capítulo dos têxteis.

josé disse...

Os lucros da Pescanova em 2011 estão aí no link que deixei.

JReis disse...

As contas estavam todas marteladas, descobriu-se isso numa fase alongada do processo de insolvência/recuperação. A Pescanova tresanda e o CM não elaborou o suficiente para enquadrar.

JC disse...

O negócio da Pescanova em Mira tresanda a peixe que "fode", como se diz na minha terra.

Inicialmente apontado pelo "Senhor Ingenheiro" como um grande investimento em Portugal, na ordem dos 200 ME, que iria gerar 200 postos de trabalho:

http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/pescanova_tem_luz_verde_para_investir_200_milhoes_de_euros_em_portugal.html

veio a representar, afinal, um calote de 300 ME para três bancos portugueses, a CGD, o BES e o BPI:

https://www.publico.pt/economia/noticia/banca-portuguesa-fica-com-fabrica-da-pescanova-em-mira-1638302?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+PublicoEconomia+%28Publico.pt+-+Economia%29

O "investimento" da Pescanova em Portugal foi feito com dinheiro emprestado pela banca portuguesa.
Rico investimento "estrangeiro".

josé disse...

"O "investimento" da Pescanova em Portugal foi feito com dinheiro emprestado pela banca portuguesa.
Rico investimento "estrangeiro"."

Pois foi. O Inginheiro só fez destes negócios, mas neste caso haverá que lhe dar o benefício da dúvida da estupidez, acompanhado que estava pelo Pinho dos tamancos.

É preciso não esquecer que o BES era accionista da Pescanova, segundo consta. E o Pinho estava lá para assegurar os negócios do "investimento estrangeiro".

Era isto que o jornalismo deveria investigar.

As contas marteladas da Pescanova apareceram quando? Logo em 2007? Mas as do BES não estavam igualmente marteladas, já em altura posterior?

O Pinho deve ter grande responsabilidade no cartório neste fiasco...

josé disse...

Este assunto resolvia-se em dois tempos de meia dúzia de perguntas num inquérito parlamentar. Caso houvesse vontade e as Mortágua fossem coerentes.

Floribundus disse...

do que infelizmente ouvi

os inquéritos são todos para lamentar

incluindo os do MP

a banca é a nau catarineta

se levasse esta merda a sério já estava na 5ª das tabuletas

porque basta de churrasco

João Diogo disse...

Jose , neste caso o JReis tem toda a razao e o CM tambem. As contas de 2011 nao so nao foram auditadas , tal como em 2009 quando o processo arrancou nao existiu nenhuma auditoria interna por parte da CGD para os emprestimos. Como sabemos que nao existiram auditorias ? Palavra do "Inginheiru" em plena SIC onde falava do projecto e das acçoes de "expeditamento" tomadas na CGD. So nao sabia quem nao queria...

josé disse...

Vejamos: estamos a falar, aqui, de um empréstimo concedido à Pescanova no âmbito do "investimento estrangeiro", em tempo anterior a 2007.

Nada mais.

J H P disse...

Bom dia,

Em relação à aquacultura em Mira, professora de créditos firmados no tema de faculdade do Norte disse-me que estava mal planeada de raíz.
Não me lembro do pormenor, e para não falar de cor, digo apenas que terá sido algo como "peixes de clima tropical a viver em clima temperado". Conclusão, terá mudado o tempo e os peixes boiaram todos.

josé disse...

O rodovalho é de clima tropical?

Mesmo que assim fosse, a Pescanova é uma empresa com créditos firmados nas artes da pesca e do pescado. Dezenas de anos de experiência será que não foram suficientes para aprenderem o básico? Quantos estudos (não) terão feito?

Custa-me a crer que o erro fosse tão básico.

J H P disse...

O exemplo era só para dizer que terá havido um erro de planeamento grosseiro relacionado com a espécie e as condições necessárias para a sua sobrevivência (o qual já não me recordo ao certo.

De qualquer forma, aqui está uma notícia relacionada (ainda que pouco informativa):

https://www.dinheirovivo.pt/empresas/pescanova-em-mira-a-sorte-nao-e-mesmo-amiga-do-pregado/

"Segundo a imprensa espanhola, as mortes dos peixes ficaram a dever-se a uma falha na extração de água; situação que a Sacyr comenta dizendo, apenas, que ainda faltavam “alguns acabamentos” na obra. - Veja mais em: https://www.dinheirovivo.pt/empresas/pescanova-em-mira-a-sorte-nao-e-mesmo-amiga-do-pregado/#sthash.vsorzMMC.dpuf"

JReis disse...

Últimas noticias da (Nueva) Pescanova : http://www.lavozdegalicia.es/noticia/economia/2016/06/21/pescanova-devuelve-esperanza-9000-accionistas-atrapados/0003_201606G21P34991.htm

E foi isto que basicamente a CGD financiou.