Páginas

terça-feira, 5 de julho de 2016

Os réditos de António Costa

O Correio da Manhã de ontem publicou estas duas páginas sobre os rendimentos conhecidos de António Costa, em 2014. Como comentador da SIC recebeu mais do que como autarca...e espera-se agora que fique esclarecido que impostos pagou sobre as duas importâncias.

É que o assunto carece de explicações que suscitam dúvidas, por aqui já afloradas...



10 comentários:

Floribundus disse...

o monhé está bem acima de qualquer lei

esta é para contribuintes como nós



foca disse...

Isto é o rendimento declarado
Então e o apartamento na Av. da Liberdade a renda simbólica?
E o estacionamento privativo para ele e para a arrogante da mulher?
E como é que recebendo quase 100000€ da SIC ainda recebe salário completo de presidente da Câmara?

As coisas com este individuo são irreais.
Se isto fosse com o Santana Lopes havia milhares de reportagens

jkt disse...

Com este e todos. Nem vale a pena perder mais tempo, nem é assunto sequer.
É costume, cultura, é assim - é o que é.

jkt disse...

Mais vale ver o que funciona e o que não. Políticos é deixar estar como querem, o povo gosta assim. O povo é que manda... por isso.
Fugas ao fisco, corrupção - fora um ou outro, ninguém quer saber - a comunidade não se sente ofendida - para muitos um sonho fazer o mesmo.
Sempre o disse... não vale a pena estarmos a imitar os outros Países com legislaçãao sobre isto e aquilo.
Não funciona é revogar.
Nunca entendi...
Será que vale mesmo a pena por ex. se gastar tanto dinheiro e meios a investigar o Socrates num assunto que ninguém acha grave?...não. Mesmo que fosse era um acto inútil - porque no fundo... nem se visa punir.
Faz sentido numa comunidade com outra cultura, que sente que o acto é grave, para punir um ou outro eventual infractor...
Quando é prática comum... é só para imitar os outros Países.
Nisso do Sócrates até tinha pessoal a fazer romarias para o "soltarem".... vê-se logo a inutilidade das normas, completamente ineficazes, invalidas - sem sentido por cá.
No meio duma pocilga não se proíbe de chafurdar na lama.

josé disse...

jkt: penso muito nesse assunto que escreve e concluo que é efectivamente assim.

É algo estranho mas que tem a conclusão inevitável: as pessoas em geral não se incomodam com esse género de coisas.

E quando se incomodam é apenas para fazer de conta.

Mas então devemos relevar tudo isso e despenalizar essas condutas ou não as investigar como a Igreja fazia com os padres homosexuais pederastas?

Penso muito nisso e não sei responder.

Floribundus disse...

o problema das igrejas é com elas

os políticos que exploram os contribuintes
devem ser tratados até à crueldade

como fabricantes de leis defendem-se

os nativos do rectângulo gostariam todos de ser nababos

na Áustria senti vergonha de ter nascido nesta merda
arrastão de Carcavelos no tempo do monhé
licenciatura do sr incenheiro

o E,T. agora é tocador de bombo
sou demasiado magricela para ser bombo da festa da foice e marcelo

zazie disse...

José

Também penso nisso e depois aparecem surpresas como no Brasil.

Também não consigo fazer feedback se sempre foi assim- o não se importarem- ou se é mais recente.

Mas, se a corrupção não conta, então, com que justificação se inventam investigações a tretas de crimes de ódio como o caso do PA- ao que parece- acusado por um grupo de malucas de ter incentivado à "discriminação de género"?

Alguém sabe o que isso é e alguém liga- ou liga-se a tudo o que se torna meme e a corrupção não é meme algum nem tem ONG para que lutar contra ela seja uma causa?

Hoje vive-se de causas. A Justiça não é tida nem achada para esta moda. Apenas usada.

zazie disse...

Agora é verdade que o acto em si mesmo contará com forte reprovação por poucos portugueses.

A maioria, tendo a crer que é como dizem- ou gostava de poder fazer o mesmo, ou apenas se aproveita de uns, em detrimento de outros, por tribalite política.

E nisso a esquerda da "superioridade moral" é a mais hipócrita.

zazie disse...

Portanto, nem que seja para lhes esfregar nas fuças esta hipocrisia, merece sempre a pena fazer-lhes a folha.

Com investigação de jeito e leis diferentes- a imitarem o "estrangeiro". Já que sabem imitar para o folclore do politicamente correcto e desse não abrem mão nem abrandam lei.

BELIAL disse...

Costa, "o serpente emplumada" - é uma enguia.

Um inoxidável.

Futruro-lhe radiosa carreira internacional