Páginas

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Os politólogos e jornalistas que aconselham o Passos

O líder do PSD, Passos Coelho, fez um discurso político numa festa partidária e foi alvo de atenção da komentadoria caseira.
O sentimento geral, agora publicado, é que foi um discurso negativo e até repetitivo e portanto sem interesse algum para se aproveitar como proposta governativa. Este sentimento geral foi logo apresentado em particular pela misteriosa dama do PS, Ana Catarina Mendes, ventríloqua por excelência e detentora de segredos bem guardados desse partido.

Dizer que "a esquerda está a destruir o país e a direita é que terá de salvar o país" é negativo, como afirma um dos politólogos caseiros mais conceituados no meio, António Costa Pinto, um antigo aficionado de Arnaldo Matos, actualmente komentador quase residente da dona Lourença, da tv. O Centro, para estes politólogos encartados pelas tv´s desapareceu de Portugal e só existe a esquerda e a direita. Passos é da direita, naturalmente...

O Público de hoje até se dá ao trabalho de escrever na primeira página, dando depois uma inteira e ainda um editorial ao assunto, interrogando-se politico-partidariamente se este tipo de discurso será o mais adequado a uma estratégia favorável ao PSD...porque o Público é um jornal que tem estas preocupações editoriais permanentes, como lerá quem o lê.
 Ontem, após do tal discurso de Passos Coelho, o Público dava destaque  ao tal aspecto negativo com um título manhoso: "Passos diz que Governo está a levar a economia à estagnação". É o Passos que diz, cuidado, e como é o discurso negativo de sempre é para não levar muito a sério...tal como acontece com as previsões catastróficas de um Medina Carreira, sempre desvalorizadas em prol do optimismo costumeiro que nos tem garantido bancarrotas, alegremente.
Hoje, o tom noticioso é a desvalorização da estratégia de Passos, sempre negativa e portanto prejudicial ao PSD por quem o Público e demais jornais têm muita consideração política e desejam ardentemente que regresse ao poder. Até dão voz destacada ao pequenino duende que fala ao Domingo para as hostes que "querem o poder".  Sem "poder" não se faz nada, nem negócios, nem sinecuras, nem tachos, nem sequer visibilidade. O poder é tudo e com discursos negativos torna-se uma miragem.
A não ser que o tempo venha dar razão aos discursos negativos que pelos vistos e ouvidos apenas falam de factos apresentados pelo INE: estamos a crescer metade do que nos prometeu este Governo do Costa e geringonça atrelada e a perspectiva é de piores resultados futuros, com bancarrota em perspectiva acelerada.

Relativamente a isto, o Público de hoje foi buscar os tais komentadores que assinam como  Costa Pinto, mai-lo conhecido militante do PSD Pedro Marques Lopes que mostra a inteligência na SIC num programa humorístico a debitar inanidades e ainda um tal André Freire, também in illo tempore adepto daquelas agremiações que adoravam Mao e ainda a tal misteriosa Catarina Mendes, que só vista se acredita na transparência sincera do que diz.
É deste painel de excelência que sai o veredicto de polegar para baixo contra Passos: assim não vai lá...e eles obviamente estão ansiosos que Passos vá. Para o poder. O Público também, mai-lo Marques Lopes, o Costa Pinto, o André Freire e tutti quanti.



6 comentários:

foca disse...

Impressionante essa Catarina (parece o nome da moda nos galináceos).

Porque será que ninguém lhe pergunta pelo marido, e o que faz por Timor em hotéis onde não se inibe de convívios com jovens?

Dudu disse...

Qualquer dia o INE vai ser acusado de estar nas mãos da direita.

josé disse...

Esta Mendes et son inefable mari lembram-me sempre a pintura de Magritte "Ceci n´est pas une pipe"...

Josephvs disse...

por falar em pipas :P

https://www.youtube.com/watch?v=baDWH6e0iQU

josé disse...

Publicidade fabulosa...

lidiasantos almeida sousa disse...

CATARINA NÃO SEI QUANTOS É UMA MULHER INTELIGENTE, Pelas poucas vezes que a tenho ouvido. É discreta, precisa e concisa. machismo não obrigada.

Não sou robot mas no deserto de nevada já estão trabalhar nos robot de inteligência artificial, utilizando prisioneiros, utilizando o seu crânio e todas as células que levarão a que um robot dentro de algum tempo entenda e fale, O HOMEM DOMINOU A MÁQUINA MAS NESTE MOMENTO A MAQUINA JÁ DOMINA O HOMEM. É a vida como dizia i8 Guterres nota 18 no IST.