Páginas

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Champalimaud, o esquecido

O presidente da República condecorou António Champalimaud a título póstumo, com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito, durante a cerimónia de entrega dos Prémios Champalimaud de Visão 2016.

Entre algumas palavras a malhar no cravo e na ferradura o actual PR lá disse que Champalimaud merecia esta condecoração e a homenagem era justa e tardia ( " a democracia portuguesa nunca reconheceu devidamente a envergadura da sua decisão fundadora". O PR disse que "fez justiça em nome de Portugal."   Cavaco nunca arranjou tempo para tal...apesar de o ter
Grande justiça...


Champalimaud foi efectivamente um dos grandes deste país nos últimos 60 anos, para não dizer mais.

Para perceber tal coisa é preciso ler este livro:


E para entender porque razão ainda não lhe tinha sido feita qualquer justiça é preciso ler isto que se passou logo a seguir ao 25 de Abril de 1974 com os gurus da esquerda que temos, particularmente a do BE:




A história que a Vida Mundial conta é de finais de 1974 e para se compreender melhor quem quiser pode ler aqui a sequência da mesma, em que Champalimaud argumenta com João Martins Pereira a propósito do capitalismo nacional e não só.
Também sobre o mesmo assunto se pode ler aqui. E aqui também.

Escusado será dizer que o BE não mudou uma vírgula do discurso enunciado por aquele JMP,   pelo que a homenagem de ontem foi um murro no estômago dessa esquerda utópica que ainda não desistiu de nos arruinar de vez.


2 comentários:

Floribundus disse...

os cimentos, a siderurgia, etc

foram substuidos por auto-estradas, recuperação urbana e outras monhézices

o Senhor devia ter vergonha e nojo de viver no actual rectângulo

'torpe dejecto do romano império'

pena que a medalha tenha sido distribuido ao nível do bola

foca disse...

A escumalha que coloca nomes de rua a tudo quanto foi comunista acha mal uma medalha póstuma ao maior industrial português de sempre.
Que se há-de fazer?
O país está uma merda porque tem esta escória votante