Páginas

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Como a esquerda portuguesa viu a vitória de Reagan em 1980

Em 11.11.1980, o Jornal, em edição especial por causa das eleições presidenciais de cá e um certo Mário Dionísio até escrevia numa página inteira um artigo sobre "como votar", cá.

Lá fora, nos EUA Reagan tinha ganho e o jornal publicava esta primeira página compungida que aludia à vitória dos falcões na Casa Branca...


Na semana seguinte, tentava explicar como foi possível tal coisa e os efeitos previsíveis...


Nessa altura ainda existia um jornal que não afinava pelo mesmo diapasão, o Tempo...que era mais claro na mensagem:



4 comentários:

Floribundus disse...

o cóboi tirou o escalpe à urss

a comunicação xuxa perdeu mais uma eleição
a nível internacional e local

a sic-monhé foi atropelada e saíu muito maltratada do sns

o politicamente correcto
conheceu a porta traseira

'o preto' hussein bem se esforçou pela vitória dos republicanos em toda a linha

o 'gang' vai e não volta

a Europa terá que engolir Putin e muito mais

não conseguem acertar nos sanitários

foca disse...

A fazer fá no jornalixo português, 90% da população está hoje com um melão digno do Entrocamento.
Curiosamente os discursos nos telejornais estão a kms de distância de tudo o que diziam ontem.
Esta corja (incluindo as altas figuras do Estado) mudam de cassete À velocidade da luz, até o tómonhé (logo depois de ouvir o Holand a contorcer a coluna 180º)

foca disse...

Melhor mesmo só o PCP, que vem perder o verniz todo e mostrar que as eleições só são úteis quando lhes dão jeito, além de insinuar que os pobres diabos brancos que votaram no Trump deviam ser eleitores de segunda e não contar tanto como os ricos e letrados da California e Nova Iorque.

Aquela malta não entende que a população que vota neles por cá são esses mesmos pobres iletrados.
Não há limite para a arrogância dos imbecis

Floribundus disse...

sou obrigado a respeitar leis que mudam com a mesma velocidade da mutação genética dos microorganismos

como contribuinte tenho o direito a emitir a apreciação do modo como o meu dinheiro e o dos restantes sacrificados é aplicado

o caso da perseguição a Pedro Dias é uma pálida amostra do estado da classe dirigente

300 homens fortemente armados não encontram alguém que se entrega voluntariamente passado um mês

'estrampara-se'
tal como a comunicação xuxial

dava vontade de rir não fora a 'vil tristeza' que assola o mundo