Páginas

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

O patético relatório sobre o incêndio de Pedrógão


Público de hoje que mostra à saciedade a patetice desta ministra Constança: toda a gente que tinha obrigação de proteger as pessoas e bens, dependentes do ministério desta fulana, andava "às cegas", sem coordenação e sem sentido exacto do que deveria fazer. Assim morreram 65 pessoas. A ministra sacode a água do capote para os seus dependentes hierárquicos e até manda fazer mais inquéritos para se apurar o que aconteceu...
Ainda não sabe porque só sabe com relatórios. A realidade vivida, para este tipo de pessoas não existe a não ser através de relatórios. Sem eles, a realidade é inexistente.A essência da realidade para estas jacobinadas de trazer por casa é sempre observada através dos relatórios. Foram educados assim, sempre fizeram o trabalho assim e não é agora que vão mudar.
Na educação, na saúde e na segurança o problema é este e não vejo quem o queira discutir. Começam logo por questionar como será possível conhecer os factos, sem relatórios...e como a resposta irá sempre para além da simplicidade que entendem através dos relatórios, nada haverá a fazer, até porque são autosuficientes na própria estupidez.
A partir do momento em que recebem o relatório é este que passa a assumir o lugar da realidade. Patético é expressão fraca, para este fenómeno. O ISCTE que explique...




Crónica de Eduardo Dâmaso no CM de hoje, sobre o mesmo "fenómeno extremo" da patetice elevada a cargo ministerial.

 
O efeito que tal provoca, seguindo o velho ditado ridendo castigat mores.



4 comentários:

aguerreiro disse...

Volto a repetir : ministra, (externa aos factos), marrequinha, chorona e muito mentirosa, (só não tem que se saiba Maria no nome). Uma perfeita mulher a dias a dar desculpas criativas quando entorna a caldeirada na toalha de mesa e tomba a caneca do verde tinto para melhor compor o ramalhete do centro da mesa!

zazie disse...

São "autosuficientes na própria estupidez", pois

Lamas disse...

Eu sempre fiquei à espera que no final da conferência de imprensa, as senhora nomeasse os nomes dos demitidos, isto para já não falar na sua própria demissão.
Esperei sentado.
Como diz o povo "Quem não tem vergonha, todo o mundo é seu".
A senhora até virou arrogante q.b.
O que ninguém lhe tira é aquele ar de mulher a dias poucochinha.

Maria disse...

"O que ninguém lhe tira é aquele ar de mulher a dias poucochinha." (Lamas)

Ahahahahahah...