Páginas

terça-feira, 29 de agosto de 2017

O politicamente correcto é mais uma moda importada...

O Diabo de hoje:






Esta tendência em contrariar a realidade em prol do que parece ideologicamente adequado, tem raízes exteriores, como quase tudo, em Portugal.
O episódio com um tal Cabrita, um doido com provas dadas é apenas um reflexo disso:




9 comentários:

zazie disse...

Pois é importada- Vem da Escola de Frankfurt e em Inglaterra é uma praga nas empresas.

zazie disse...

É coisa prot, como diz o PA e tem razão.
E começou por causa de outras tretas de narizes no pós-guerra.

Há-de ser por isso que na Goldman Sachs a praga é lei e com meetings semanais e conferências a torto e a direito pela porcaria do lobby d@s LBg@xxcois@s

zazie disse...

Mas nem começou em França ou Itália. Foi na Alemanha e com o Habermas e Adorno, entre outros.
Tudo pencudos. A coisa era para minar e castrar, mais que facilitar, como diz o artigo.

Adelino Ferreira disse...

As atitudes que o secretário de estado tomou e as que não tomou para ajudar a alta finança, num governo de salazar/caetano,estaria ainda hoje na prisao a cumprir a respectiva.

Oremos
https://youtu.be/H0-HwBKDyNo

foca disse...

Olha o Cabrita da censura, já nem me lembrava destes tiques anteriores.

Mas parece que é lá de casa, que a companheira faz o mesmo pelo domínio do mar, onde está ministra na quota Segurista (o que em si é revelador, depois da forma como o Tómonhe tratou o Tozé)

Floribundus disse...

já não sei se cabrita é o ou a
talvez as 2 coisas para ser politicamente correcto

MFL disse-lhe há anos
'não vale o dinheiro que ganha'

na geringonça
'todo o burro come palla'

há 100 anos os meus familiares escreviam MATTOS
depois perderam um T.
agradeço a quem o encontrar

Sergio Gonçalves disse...

Não sei se o Afonso de Albuquerque está seguro ali em Belém. Com um presidente da República empenhado em apagar a história do país e a câmara entregue a fascistas do progresso não sei não. Lembrem-se da história dos jardins da Praça do Império.

Floribundus disse...

judeus deFrankfurt
walter benjamin
teodoro, um adorno por parte da mãe
e vários outros marxistas
fizeram o que puderam

Herr Adolf deixou escapar muitos

Maria disse...


Excelente e esclarecedor e corajoso, o artigo de Hugo Navarro. No alvo. Por este andar e se não se travar a tempo esta onda do polìticamente correcto verdadeiramente abjecto mas que tem o aplauso e enche de júbilo e orgulho a esquerda progressista pelos estragos que tem vindo a provocar nos países cujos governos dominam, onda que já vai de vento em pôpa em todas as áreas da sociedade nos países dito 'democráticos'. Se estas populações não se revoltarem o quanto antes e já vai sendo tarde, vão ter um lindo enterro. Ai vão, vão.