quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Um filme sobre o comunismo real: Milada, na Netflix

 No canal Netflix que não possuo e por isso não vejo, estará em visionamento um filme importante sobre o que era o comunismo real, contado por uma protagonista do mesmo. 
 O filme  estreou em Novembro na República Checa e é sobre Milada. Milada é  uma heroína Checa que foi presa pelos nazis e enviada para um campo de concentração. Libertada no fim da guerra foi presa novamente pelos comunistas, torturada e condenada à morte. Foi enforcada em Julho de  1950.

A filha só recebeu as cartas que Milada lhe escreveu, e à família, em 1990,  depois da queda do comunismo. 

Para mostrar às Ritas Rato e Raquéis Varela que inundam os écrans das tv´s a fazerem propaganda de um comunismo cuja essência é o que se mostra no filme: o totalitarismo apenas comparável ao nazismo, mas eventualmente pior que este, porque perdura no tempo e ainda tem muitos adeptos em Portugal.  

Talvez agora, com o novo presidente da RTP, haja alguém que se lembre de o mostrar a um público mais vasto, mesmo que o PCP faça tudo para o censurar. 

46 comentários:

Floribundus disse...

para a escumalha social-fascista
todos os outros são FACISTAS

Maria disse...

Que alguém consiga obter urgentemente este filme para o José (se for do seu agrado) o publicar aqui. Senão que o coloquem no youtube ou noutro sítio qualquer, desde que os interessados o consigam ver. Como se constata, trata-se de um documento verídico extraordinário valor por revelar algo do que ainda está/va no segredo dos deuses.

Mais um prego no caixão das mentiras que envolvem a 2ª. Guerra Mundial e simultâneamente o destapar de acontecimentos cruéis que lhe sucederam, que se prolongaram por tempo demasiado.

joserui disse...

É muito pior… são psicopatas. Essa tal Milada foi condenada à morte pelos comunistas porque teve contacto com os nazis e eventualmente por osmose, tornou-se num deles, porque como bons psicopatas desconfiam de tudo e de todos. Nada ilustra melhor esse facto que a troca de prisioneiros dos alemães com os russos… incluindo o líder do partido comunista alemão e a sua mulher — destino imediato, Sibéria. A mulher sobreviveu e contou a história. Os russos foram integrados numa divisão SS ou coisa que o valha. Foi mais ou menos assim.
Nas mãos dos comunistas ninguém está a salvo.

josé disse...

Não preciso de o colocar aqui. Basta subscrever a Netflix, para o ver, até no computador. E parece que durante um mês é grátis...

josé disse...

O problema é que essas realidades foram quase sempre escondidas pelos media.

Ando a compilar uns textos sobre isso e vejo claramente a matriz: por cá, sabia-se mas era tudo filtrado pela linguagem usada.

Tal como hoje.

josé disse...

É por isso que digo que a Censura teve um papel terrível nesse fenómeno: circundava tudo com um cordão sanitário, com medo de contaminação.

Assim, a informação real e eficaz não passou, nunca.

Miguel D disse...

José,
A censura pode explicar parte, mas não explica tudo.
Veja o caso da Venezuela. Destroem o país mais rico da América do Sul ‘a vista de todos, mas os camaradas continuam convictamente a defender que esse é o caminho. A culpa é dos sabotadores.
A explicação estará na censura, mas também na rendição moral absolutamente abjecta das elites não-comunistas no pos 25/4.

josé disse...

Eu comparo Portugal com um país europeu como a França em que a informação nesse aspecto era mais livre.

A Venezuela é o terceiro-mundo.

josé disse...

Quem defende o chavismo-madurismo é a mesma gente que defende o Lula como sendo apenas judiciável pelo povo.

O comunismo em Portugal, ainda hoje, goza do prestígio de ser representado por um partido "sério"...o que é uma tragédia que só foi possível porque durante os últimos 50 anos não foi possível dizer abertamente o que o comunismo é na realidade.

Quem o diz claramente é ostracizado como radical e isso desqualifica qualquer argumento.

A razão de tal tem de ir buscar-se ao tempo anterior ao 25 de Abril de 74 e à Censura.

Maria disse...

Obrigada pela dica, José. Vou pedir a um dos meus filhos, aquele que percebe destas coisas, para subscrever o tal Netflix.

Miguel D disse...

Não sei se o comunismo terá em França a respeitabilidade que tem em Portugal.
Mas o marxismo e o esquerdismo em geral até me parecem mais generalizados.
A força moral dos comunistas parece-me claramente posterior ao 25/4, mas construída retrospectivamente a partir daquela data através do mito da resistência anti-fascista.
O que era o PCP na véspera do golpe? Uma pequena organização (uns dois mil militantes, segundo um artigo recente), continuamente ameaçado pela DGS e com reduzidíssimos recursos materiais. Mas era organizado e muito disciplinado no meio do circo chen em que se tornou a vida pública em Portugal.

josé disse...

O PCF em França volatilizou-se. E esteve no poder, em 1936, com o Front Populaire. O neo-marxismo actual, seguido pelo Mélenchon nada tem a ver com o PCF tradicional.

Não há na Europa qualquer exemplo igual ao nosso. E isso tem que ver com o PCP que sobreviveu à queda do Muro, com todo o arsenal ideológico e até iconográfico que tinha antes.

O PCP basicamente é o mesmo de 1936. Estalinismo incluído. E tal se deve à complacência de que sempre gozou em Portugal. E que é incompreensível.

joserui disse...

Eu por acaso entendo o que o José quer dizer, mas começo a mudar de opinião. A censura não me parece a causa de nada… com ou sem censura há uma superioridade moral inacreditável. Não me parece que o comunismo discutido livremente, com a quantidade de comunistas que vieram a popular toda a vida portuguesa, fosse solução.
O exemplo da Venezuela é bom, porque a questão não é se é terceiro-mundo, mas sim acontecer à frente de toda a gente. Qual foi o comunista português que não soube da Primavera de Praga em tempo útil? Nenhum. Abalou-os minimamente? Zero. Pelo contrário. Aquilo era gente que merecia ser esmagada pelos tanques soviéticos — eram no mínimo revanchistas, mais provavelmente fassistas! Ou os que morreram a tentar fugir da RDA… qual o comuna que não sabia daquilo? Com jeitinho contam a história ao contrário — magotes de povo a tentar saltar para dentro da RDA. É gente sem emenda.

joserui disse...

E quanto à complacência, hoje mais uma vez: Estou num local com a TV ligada sem som e lá está uma das representantes da extrema-esquerda mais abjecta. É constante. O tempo de antena que essa gente goza é verdadeiramente incompreensível numa sociedade moderna.

josé disse...

E porque gozam de tanto tempo de antena?

Quem são os mestres da informação televisiva em Portugal?

São os que aprenderam nas madrassas que os comunistas fundaram ideologicamente. Os Expressos e Visões que vieram do O Jornal e daquele da verdade a que tinham direito.

Tudo tem essa matriz, sem excepção.

Se percorrerem a informação escrita dos últimos 50 anos não encontram um único artigo escrito em português que se compare com os que então havia todos os dias em França a denunciar o comunismo.

Mesmo quando caiu o muro, a reportagem que o Público fez na época é "plastificada". Nada do que aconteceu por cá, com a denúncia da PIDE e que foi sempre um cavalo de batalha para os comunistas.

Quem é que em Portugal conhece a polícia política da RDA e os seus métodos?

E quem é que ouviu falar na Cheka, no seu tempo?

josé disse...

Porque é que no último 25 de Novembro nem se falou na data?

josé disse...

A ignorância atávica destes imbecis como um Adelino Faria ou José Alberto Carvalho ou Judite de Sousa ( que foi comunista) é arrasadora.

O que esperar desta gente? Ou de um palerma finório como um Sérgio Figueiredo?

Para perceber isso basta perguntar a cada um deles o que pensa de Cunhal. E de Salazar.

josé disse...

Isto de há uma dúzia de anos para cá refinou ainda mais porque a ignorância é promovida a valor e com o advento da geringonça ainda piorou mais.

josé disse...

Eu próprio fico espantado aqui como sou quem tenho esta opinião e não vejo quem sequer pense como eu.


Gostava de perceber porquê...qual a verdadeira razão desta complacência com um dos maiores embustes históricos de sempre.

joserui disse...

Por outro lado, esse tempo de antena verdadeiramente desproporcionado, não se reflecte em votos. É certo que não há direita e quando toca a reunir, é ver quem bate mais no peito de tão esquerda e antifassista que é e sempre foi… mas apesar de tudo, a extrema-esquerda mais abjecta e os comunas têm uma expressão nas urnas que parece contrariar um "amplo apoio" da sociedade.
É como se fizessem parte da mobília. Aquele pechiché que se herdou… a vantagem do pechiché é que não abre a boca.

Carlos Diniz disse...

Eu tenho o filme em suporte digital. Quem o pretender deixe aqui o seu endereço electrónico.

josé disse...

"Por outro lado, esse tempo de antena verdadeiramente desproporcionado, não se reflecte em votos. "

Reflecte sim. É por isso que a Esquerda em Portugal é über alles.

O PCP é apenas um familiar inconveniente mas ainda assim um familiar, para quem vota na esquerda.

francisco disse...

«Red pill» para quem quiser pensar um pouco sobre assuntos escondidos:

Concílio Vaticano II, Lumen Gentium ponto 14:

14. Os fiéis católicos; a necessidade da Igreja

O sagrado Concílio volta-se primeiramente para os fiéis católicos. Fundado na Escritura e Tradição, ensina que esta Igreja, peregrina sobre a terra, é necessária para a salvação. Com efeito, só Cristo é mediador e caminho de salvação e Ele torna-Se-nos presente no Seu corpo, que é a Igreja; ao inculcar expressamente a necessidade da fé e do Baptismo (cfr. Mc. 16,16; Jo. 3,15), confirmou simultaneamente a necessidade da Igreja, para a qual os homens entram pela porta do Baptismo. Pelo que, não se poderiam salvar aqueles que, não ignorando ter sido a Igreja católica fundada por Deus, por meio de Jesus Cristo, como necessária, contudo, ou não querem entrar nela ou nela não querem perseverar.



São plenamente incorporados à sociedade que é a Igreja aqueles que, tendo o Espírito de Cristo, aceitam toda a sua organização e os meios de salvação nela instituídos, e que, pelos laços da profissão da fé, dós sacramentos, do governo eclesiástico e da comunhão, se unem, na sua estrutura visível, com Cristo, que a governa por meio do Sumo Pontífice e dos Bispos. Não se salva, porém, embora incorporado à Igreja, quem não persevera na caridade: permanecendo na Igreja pelo «corpo», não está nela com o coração (26). Lembrem-se, porém, todos os filhos da Igreja que a sua sublime condição não é devida aos méritos pessoais, mas sim à especial graça de Cristo; se a ela não corresponderem com os pensamentos, palavras e acções, bem longe de se salvarem, serão antes mais severamente julgados (27).


Catecismo:

388. O que é a caridade?

A caridade é a virtude teologal pela qual amamos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos por amor de Deus.

Jesus faz dela o mandamento novo, a plenitude da lei.

A caridade é «o vínculo da perfeição» (Col 3,14) e o fundamento das outras virtudes, que ela anima, inspira e ordena: sem ela «não sou nada» e «nada me aproveita» (1 Cor 13,1-3).



1822. A caridade é a virtude teologal pela qual amamos a Deus sobre todas as coisas por Ele mesmo, e ao próximo como a nós mesmos, por amor de Deus.

francisco disse...

As notas de rodapé 26 e 27 são as seguintes:

26. Cfr. S. Agostinho, Bapt. c. Donat. V, 28, 39: PL 43, 197: «C'erte manifestum est, id quod dicitur, in Ecclesia intus et foris, in corde, non in corpore cogitandum». Cfr. ib., III, 19, 26: col. 152; V, 18, 24: col. 189; In Io. Tr. 61, 2: PL 35, 1800, etc. etc.

27. Cfr. Lc. 12, 48: « Omni autem, cui multum datum est, multum quaeretur ab eo». Cfr. Mt. 5, 19-20; 7, 21-22; 25, 41-46; Tg. 2,14. 


As passagens do Evangelho indicadas na nota de rodapé 27, que se referem a que no caso de não correspondermos com os pensamentos, palavras e acções à graça de Cristo bem longe de nos salvarmos seremos mais severamente julgados, são as seguintes:



(Lc. 12, 48) "A quem muito foi dado, muito será exigido; e a quem muito foi confiado, muito será pedido."



(Mt 5, 19-20) "Portanto, se alguém violar um destes preceitos mais pequenos, e ensinar assim aos homens, será o menor no Reino do Céu. Mas aquele que os praticar e ensinar, esse será grande no Reino do Céu. Porque Eu vos digo: Se a vossa justiça não superar a dos doutores da Lei e dos fariseus, não entrareis no Reino do Céu."



(Mt 7, 21-22) "Nem todo o que me diz: ‘Senhor, Senhor’ entrará no Reino do Céu, mas sim aquele que faz a vontade de meu Pai que está no Céu. Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não foi em teu nome que profetizámos, em teu nome que expulsámos os demónios e em teu nome que fizemos muitos milagres?"



(Mt 25, 41-46) "Em seguida dirá aos da esquerda: ‘Afastai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, que está preparado para o diabo e para os seus anjos! Porque tive fome e não me destes de comer, tive sede e não me destes de beber, era peregrino e não me recolhestes, estava nu e não me vestistes, doente e na prisão e não fostes visitar-me.’ Por sua vez, eles perguntarão: ‘Quando foi que te vimos com fome, ou com sede, ou peregrino, ou nu, ou doente, ou na prisão, e não te socorremos?’ Ele responderá, então: ‘Em verdade vos digo: Sempre que deixastes de fazer isto a um destes pequeninos, foi a mim que o deixastes de fazer.’ Estes irão para o suplício eterno, e os justos, para a vida eterna."



(Tg. 2,14) "De que aproveita, irmãos, que alguém diga que tem fé, se não tiver obras de fé? Acaso essa fé poderá salvá-lo?"



josé disse...

Essas verdades teologais andam muito esquecidas, mas fui educado nelas e vejo que deveriam ser mais divulgadas, até nas igrejas.

A Religião Católica é isso.

francisco disse...

Pois é José, eu e outros que não fomos educados com estas verdades quando tomamos contacto com elas também chegamos à conclusão: é isto, o que a Igreja ensinou sempre em todos os tempos e lugares.

A grande questão é porque estando estas verdades no Concilio Vaticano II, no código de direito canónico, enciclicas e catecismo porque nos dão ideia que não é isto ou que isto nem sequer existe?

Parece vir tudo do desejo da igualdade que não suporta qualquer tipo de autoridade, seja ela do sacerdote, bispo, Papa, ou até mesmo Deus.
Coloca-se o amor no lugar de Deus para lhe retirar autoridade, Cristo deixa de ser Rei para lhe retirar autoridade e tudo fica em paz e amor connosco no centro de tudo.

A quem queira pensar um pouco nisto e procurar o que está certo ou errado digo: venham para a casa que é vossa e não vos deixeis seduzir por facilitismos que não têm nenhum fundamento.

Para quem acredita, "Em Portugal conservar-se-á sempre o dogma da Fé", isto também é para vós, e é também convosco que se realizará. O nosso país foi fundado sobre a Cruz e com o olhar no Reino, não o vamos deixar perder-se por uma qualquer sedução. Os nossos antepassados, nós e os nossos filhos valem mais do que a sedução de um igualitarismo e facilitismo.

"Porque dormis? Levantai-vos e orai, para que não entreis em tentação" (Lc 22, 46).

Desculpe José por falar em temas que fogem um pouco à postagem mas de certa forma está ligado pois parece que o motivo de estar escondido vem de certa forma da mesma origem. E obrigado pela sugestão do filme que parece uma excelente ideia ver.

Adelino Ferreira disse...

Excelente post

Floribundus disse...

sempre considerei o social-fascismo como patologia social

essa escumalha reproduz sons idênticos
à vibração do esfincter anal

Floribundus disse...



A SiB, a polícia secreta checoslovaca, famosa pelos brutais métodos de interrogação, tentou quebrar o grupo de alegados conspiradores e forçou-os a confessar atos de traição e conspiração usando tortura física e psicológica.

Horáková defendeu-se corajosamente e aos seus ideais, mesmo sabendo que tal defesa só poderia piorar o resultado do próprio julgamento. O acusador pelo estado era o Dr. Josef Urválek.

Muitas personalidades famosas, incluindo Albert Einstein, Winston Churchill e Eleanor Roosevelt, pediram a comutação de sua pena, porém apesar disso a sentença foi executada, sendo Malida enforcada na Prisão de Pankrác em 27 de junho de 1950, aos 48 anos de idade.

Suas últimas palavras relatadas foram (em tradução): "Perdi essa luta, mas eu sigo com honra. Eu amo este país, eu amo essa nação, luto por seu bem-estar. Parto sem rancor para você.

Floribundus disse...

StB foi o serviço de inteligência da antiga Tchecoslováquia durante a Guerra fria. Seu nome em tcheco, Státní bezpečnost (StB) e em eslovaco, Štátna bezpečnosť (ŠtB) pode ser traduzido como: "Segurança Estatal" ou "Segurança do Estado". Durante sua existência, foi um órgão de espionagem e contraespionagem, além de monitorar qualquer atividade tida como anticomunista.


mostraram-me o prédio onde funcionou esta sinistra organização frequentada pelo barreirinhas

Anjo disse...

Carlos Diniz, talvez seja mais fácil pôr na dropbox ou num local acessível a todos. As contas de email não permitem receber filmes com facilidade.

Já tentei ver se o obtinha pirateado, mas os tempos já não são o que eram também para estas "artes" de pesca online. No Tugaflix não aparece e os sites que o anunciam estão pejados de vírus.

Maria disse...

"Blogger josé disse...

E porque gozam de tanto tempo de antena?

Quem são os mestres da informação televisiva em Portugal?

...

Quem é que em Portugal conhece a polícia política da RDA e os seus métodos?"

O José já tem feito estas e outras perguntas semelhantes dúzias de vezes e com toda a razão.

Mas, como a pessoa inteligente que é, sabe de certeza a resposta.

Senão diga o que se pode esperar de um País que tem sido governado desde a primeira hora ou melhor, desde 1980, pelos comunistas em conluio com a extrema esquerda, sem esquecer os socialistas que fazem o mesmo jogo fingindo o contrário, mas que afinam pelo mesmo diapasão?

Como é que um País cujo ensino, desde a pré-primária à Universidade, não tem feito outra coisa senão ensinar a cartilha comunista a centenas de milhares de portugueses desde então até ao presente e, pelo que se tem visto, pretende continuar a fazê-lo se não for travado?

Repare que não há área da nossa Sociedade, seja a política, económica, social ou moral, que não esteja nas mãos da esquerda comunista. Nenhuma. O que é que isto significa ao fim de mais de quarenta anos de uma pseudo-democracia cujos donos mantêm o povo coagido e manietado no pensamento e na acção?

É claro que quem não for dessa área política e na verdade até a deteste - e note-se que esta percentagem nos países ocidentais é bastante numerosa ultrapassando em muito a esquerda toda junta em qualquer desses países - não tem na imprensa falada e escrita (salvo raríssimas excepções, mas estas não têm força suficiente para se impor e mesmo que a tivessem a esquerda simplesmente não deixaria) espaço para se expressar livremente mostrando o que quer e o que não quer relativamente à política e não a que está obrigado a aceitar mesmo rejeitando-a.

Bem, existe uma excepção na comunicação escrita que por enquanto vai estando livre da mordaça que tolhe os outros meios, a internete, claro. Este é o único meio que o/s povo/s tem ao seu dispor para se expressar livremente, mas os mundialistas já andam a ver se conseguem travar a liberdade de expressão que este meio permite, pois vai contra os seus poderes e ameaça a sua sobrevivência como governo mundial.

Desde há algum tempo que os que pôem e dispôem da vida dos povos andam a tentar por todos os meios travá-la e fazer o mesmo às redes sociais, porque travam o rumo criminoso que eles traçaram e vêm introduzindo desde há largas décadas no Ocidente, mas o que eles temem sobretudo é a revolta dos povos. Que aliás já se vai verificando aqui e ali ainda, por enquando de um modo disperso. E acontece que os povos estão a acordar da letargia em que têm andado como que submerso desde há décadas para não dizer séculos e é isto que o governo mundial teme acima de tudo.

O Ensino, a Cultura, todas as Artes, a Justiça, a Imprensa falada e escrita, o regime na sua totalidade, está tudo nas mãos dos comunistas. Como é que um povo pode ser política e socialmente livre e feliz nestas atrozes circunstâncias?

Não admira portanto que desde que existe esta pseudo-democracia nada se escreva ou diga sobre a falta de liberdade, a todos os níveis, assim como sobre as sevícias e torturas que os governantes soviéticos exercíam sobre os seus povos. Os comunistas que mandam no país não o permitem.

O que se tem vindo a saber sobre a realidade lúgubre daqueles regimes e o sofrimento e terror em que viviam, ainda hoje só é possível (e diziam os aldrabões que com o advento da 'democracia' iriamos viver em liberdade e sem censura..., pois) através da imprensa estrangeira e, paradoxalmente, até pelos países ex-soviéticos que corajosamente têm vindo desclassificar muitos arquivos desses tempos negros, revelando a vida de escravidão e terror que aqueles povos viveram até ter desaparecido a União Soviética.



Maria disse...

Leia-se: põem e dispõem

Pedro disse...

Isto é giríssimo.

Tipos que defendem as ditaduras salazarista e nazi muito preocupados com as ditaduras de esquerda !

josé disse...

Na verdade não sei a resposta. Por isso é que ando aqui a escrever, para tentar compreender.

A resposta não é assim tão simples de enunciar, parece-me.

zazie disse...

Anjo:

Pode fazer download pelo eMule

Shiri Biri disse...

Na Polónia ainda hoje se diz: “Matar um alemão por dia é um dever, matar um russo por dia é um prazer”.
A Polónia conheceu os 2 regimes sanguinários: nazismo e comunismo. Estão mais do que habilitados a se pronunciarem sobre qualquer um deles e têm um ódio terrível ao comunismo que é bem superior ao ódio ao nazismo. Isso diz tudo sobre o comunismo.
Sugiro que vejam este interessante video: o socialismo em 100 segundos. O link aqui fica: https://www.youtube.com/watch?v=NsmQ7EHoBHE

josé disse...

O comunismo é muito mais perverso e letal que o nazismo. Conseguiu entrar na pele do povo para o sugar. É um verme horrendo que ainda existe. O nazismo morreu há muito e o que resta é apenas o resquício de um totalitarismo que assenta no racismo e supremacia ariana. Coisa sem futuro algum.

O Comunismo é uma praga.

Maria disse...

José, por que motivo não é permitida, segundo está ilegalmente prescrito na Constituição(?!), a existência de partidos da extrema direita civilizada e é permitida a existência da extrema esquerda? O José tem neste inadmissível paradoxo a resposta que procura.

Se a verdadeira direita, a que representa de facto todo o povo português, se pudesse pronunciar livremente em eleições e os seus direitos respeitados, Portugal seria outro no seu desenvolvimento económico e nos seus valores políticos, sociais e morais.

E é a recuperação destes valores supremos que dignificam qualquer povo, que a esquerda unida mais teme e é justamente por isso que os não consente. Caso isso acontecesse perderia o seu poder político e o seu lugar (usurpado maquiavèlicamente depois de décadas de ansiosamente cobiçado) como dona e senhora de Portugal.

A pergunta que se pode colocar é: quem outorgou à esquerda unida esse direito? Não, não foi o povo português, pois a este não foi consentido manifestar-se livremente votando nos partidos que o representariam de facto, por inexistentes. O povo tem estado a ser permanentemente amedrontado e ameaçado desde há décadas, por meios vísiveis e invisíveis, para comer e calar.

Afinal não é a imposição de um medo permanente no sub-consciente dos povos que a maçonaria-comunista-sionista aconselha os seus homens de mão a instilarem nas democracias, sendo este o único sentimento que os mantém amorfos e submissos? Pois é. Sabemos perfeitamente que já o era nos países sob regime comunista e continua a sê-lo nos poucos que ainda sobrevivem.

Maria disse...

Já agora, cabe ainda perguntar: se o comunismo é um regime de tão elevadas virtudes e que sempre primou pelo bem-estar dos seus povos, então por que motivo esses mesmos povos dos países de Leste, que o sentiram na pele da pior maneira, rejeitam liminarmente o comunismo nos seus países logo após terem-se visto livres dele?
Esta rejeição não deixa de ser deveras estranha.

Maria disse...

Leia-se "rejeitaram liminarmente"

Anjo disse...

Zazie, obrigado, já consegui através do Vuze. É parecido com o emule.
Vou ver este serão.

zazie disse...

De nada. Não conhecia o Vuze

Carlos Diniz disse...

Eu fiz o download através do https://yts.am/

Site muito bom, com legendas em diversas línguas.

Anjo disse...

Já o vi. Peca, de certeza, por ficar aquém da representação do que deve ter sido a "montagem" daqueles regimes. Mesmo assim, percebe-se que conseguiram ser muito mais ferozes e kafkianos que o nacional-socialismo. A construção da retórica que todos sabem debitar a dado momento (a defesa do nosso povo, os inimigos do povo) e a máquina de domar consciências são implacáveis.

Há, de facto, qualquer coisa na dominação que tem de começar pela linguagem. O José lançou aqui esse fio condutor primordial. Do dia para a noite, nascem inimigos do povo e os seus zelosos guardiães.

O julgamento é o máximo! A camarada-magistrada parece uma galinha cacarejadora do regime.

Toda a brutalidade é desumana, mas parece que aqueles fulanos fizeram doutoramentos "cum laude" e pontuação máxima nesse campo.

Anjo disse...

Enfim, queria só acrescentar que esse "perfume" que perpassa o filme temo-lo sentido por aqui em vários momentos: os livrinhos para meninos e meninas retirados de circulação, as ideias "proibidas" que têm de ser banidas das cabeças a todo o custo, com trepanação craniana, se necessário, etc.

Bom domingo a todos!

Corrigan, o Agente Secreto X-9