terça-feira, 4 de setembro de 2018

A vantagem da internet

No outro dia comprei a revista Mojo, inglesa, dedicada a temas da música popular. Em parte fi-lo por causa desta foto de Paul McCartney na sua casa de Londres ( Soho) com um mostruário de discos e dois gira-discos encastrados num móvel antigo.


Os gira-discos intrigaram-me e como não descobria a marca procurei fonte de conhecimento. Teclei "mojo Paul MacCartney turntables" e o resultado não podia ser mais auspicioso. Em meia dúzia de cliques para fazer "scroll" descobri a marca dos gira-discos.

São ambos Garrard, dos anos 60. Um, o da esquerda é este modelo 401 ( foto retirada da net, colocada por alguém para venda a interessados). Tem ainda um braço SME. Coisa apetecível...:



O outro é o modelo Lab80:


Mais: com base das fotos dos discos dos quais só se pode ver a lombada fina alinhada nas estantes acima do artista, houve quem identificasse alguns discos, no mesmo forum.  Na prateleira imediatamente acima do ombro esquerdo do artista estão discos dos Pink Floyd ( nota-se a lombada preta de Dark side of the moon e a tonalidade esverdeada de Animals, de 1975). Logo a seguir pelo menos um de Paul Simon ( There goes rhymin Simon, de 1973, indubitavelmente).

São coisas destas que aprecio na internet e que os jornais ou revistas nunca conseguirão acompanhar devidamente. Mas foi através de uma revista que lá cheguei...um paradoxo?

Há uns anos para descobrir o mesmo teria que consultar várias revistas de especialidade e com poucas hipóteses de sucesso.
Os Garrard são actualmente gira-discos muito procurados, porque são clássicos e ainda de qualidade segura, se devidamente arranjados. Porém, para descobrir uma foto dos mesmos só na internet...

Resta ainda um mistério para descobrir nessa foto: a marca da coluna de som que se encontra por cima e atrás da cabeça de Paul McCartney. Rogers?

Sem comentários: