quinta-feira, 11 de outubro de 2018

O circuito fechado da komentadoria paroquial

Crónica de JMT no Público de hoje:


A crónica fala por si: resume e elenca o núcleo mediático da komentadoria nacional.  A manda segue atrás...em direcção ao abismo da opinião unificada.

Nenhum dos komentadores aludidos parte de pressupostos como estes que aqui se escrevem, na mesma edição de hoje, do jornal. E no entanto, parecem-me os correctos.


Para além destes que se notabilizam na  komentadoria escrita há os que palram todos os dias pelo rádio, logo de manhãzinha. As pegas e  papagaios que palram; as galinhas que cacarejam, os pombinhos que arrulham e as rolinhas sonsas inocentinhas. A poesia de Pedro Diniz diz o resto porque estão lá todos...

A revista Sábado de hoje mostra alguma dessa fauna lusa que tem toda um ascendente comum: o antifassista de gema. Por vezes os pais, outras os tios, primos, professores, ambiente escolar, etc. que lhes ensinaram a beber os ensinamentos do antifassismo, desde nascença.

Bolsonaro, Trump, socorro!, vem aí o fascismo! Salazar, extrema-direita, pnr e outros infrequentáveis de qualquer convívio democrático dos que asseguram "no ar" o politicamente correcto.

Ei-los, mas há mais e muito pior. A Antena Um, Antena Dois e os tsf todos. É a comunidade dos que palram e komentam a crocitar, cacarejar, piar, relinchar e zurrar. Alguns regougam, chilreiam e assobiam. Para o ar...


Sem comentários: