sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Tancos: uma plausível aldrabice do primeiro-ministro actual

24Sapo:

“Nem através de Azeredo Lopes, nem através de ninguém. Não conhecia”, afirmou António Costa, em Sintra, questionado por jornalistas se teve conhecimento pelo ex-ministro da Defesa Nacional do memorando sobre o reaparecimento do material militar furtado em Tancos.

O governante, que falava à saída do congresso “Sintra Economia 20/30”, no Centro Cultural Olga Cadaval, quando lhe perguntaram se achava que tinha sido enganado pelo ex-ministro Azeredo Lopes respondeu: “Acho que não”.

“Já ontem [quinta-feira, dia 25] tive oportunidade de dizer que sobre matérias em investigação criminal não me pronuncio. A única coisa que eu desejo é que as autoridades judiciárias competentes concluam, tão depressa quanto possível, esta investigação esclarecendo tudo, desde logo quem roubou, detendo e responsabilizando os ladrões e, naturalmente, eventuais cúmplices ou encobridores que tenha havido”, frisou António Costa.


Estas afirmações do actual primeiro-ministro valem a mesmíssima coisa que outras proferidas há mais de oito anos pelo então primeiro-ministro de um governo de que Costa fez parte. Ou seja, valem o que vale uma plausível mentira.  E ele sabe bem disso e do custo que vai ter.

TVI24-10.2.2010


José Sócrates mantém a sua versão de que nunca foi informado do negócio da PT para a compra da MediaCapital e assegura que o presidente da PT só o informou depois de terem avançado as negociações.
Após a discussão do Orçamento de Estado no Parlamento, o primeiro-ministro falou aos jornalistas para vincar a sua posição. Usou um telex da Lusa, de dia 25 de Junho de 2009, em que são citadas declarações do presidente do Conselho de Administração da Portugal Telecom, Henrique Granadeiro.
Sócrates assegura que nunca deu orientação à PT sobre TVI

Sem comentários: