sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

A Direita precisa de Salazar

Artigo notável no O Diabo de 26 do corrente:


Que se complementa com este no mesmo número do jornal:


O futuro está na juventude mas a educação desta, actualmente, deixa muito a desejar. Talvez apareça um núcleo de jovens que queira conhecer o passado recente do nosso país, no tempo de Salazar e lhe dê a importância que tem sido denegada ao longo das últimas quatro décadas, tantas aliás como as que Salazar ocupou a cadeira do poder, de onde caiu, literalmente, há cerca de 50 anos.

Para se entender Salazar e o seu tempo há alguns livros, poucos, directamente relacionados. Porém, a História mostra-se de outros modos. Há livros de autores que mostram o que era o país de que a Esquerda se apropriou intelectualmente. Romances, ensaios e fotos e até filmes.

O trabalho intelectual de interpretação está por fazer e estou certo que é esse trabalho o principal modo de educação de quem ainda não teve oportunidade de aprender como era o país, para além do que o comunismo e socialismo, ou seja o marxismo,  pretendem que era.


Um livro de recolecção de fotos, editado em 2001 pela Círculo de Leitores e organizado por Joaquim Vieira ( um esquerdista) ajuda a perceber melhor o que foi esse tempo e o contexto em que se viveu.


Por exemplo esta foto contém inúmeras referências semióticas implícitas e susceptíveis de nos dizer quem era Salazar no tempo em que esta foto foi tirada, em 1954 aquando de uma homenagem realizada a Salazar na sua terra natal e protagonizada no caso pela sua irmã, Marta, acompanhada de pessoas da terra. As roupas, o calçado, as caras os semblantes podem dizer muito a quem saiba interpretar.



Ou esta, ainda mais idiossincrática:


E estas sobre o Portugal rural, das Beiras, onde Salazar nasceu e que não era muito diferente do Minho ou de Trás-os-Montes.



E a família directa:


A que se junta um dos amores de juventude, Julinha, filha do proprietário da terra de quem o pai de Salazar era feitor. Perceber esta relação social e de forças é importante para se entender o tempo e o meio social e as histórias associadas.

Ou perceber a razão pela qual Salazar foi para o Seminário, com vista a ser padre ( Mário Soares era filho de padre...).


E a razão por que foi para Coimbra estudar Direito e como era o meio nessa época ( a Casa dos Grilos é um ícone).




E como chegou ao poder político e a razão para tal.


A seguir virá o resto.

Sem comentários:

O Sindicato do MºPº honra o MºPº