quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

A democracia em Portugal enriquece...

Sábado de hoje:



Sábado de 20.9.2018:




 Como tem sido dito ao longo das últimas quatro décadas, e escrevi aqui, a democracia é um regime que enriquece as pessoas. A ditadura, essa, é empobrecedora, como quase toda a gente sabe de cor.

Apesar disso, em 2007 o então já multimilionário Mário Soares que deixou o país no início dos anos setenta, ido para Paris defender a pátria contra os colonialistas e fascistas, da ditadura  empobrecedora, dizia assim ao Expresso:



 Cerca de trinta anos antes disso, tinha o cinto apertado...como grande empacotador de bancarrotas que foi:


Dois anos antes, em Julho de 1975, em casa, a revista Paris Match mostrava o ambiente de modéstia que nem a fruteira lograva esconder.


Agora, comparando com o fascista, ditador, obscurantista:

Franco Nogueira, biografia de Salazar, página em que explica o que Salazar deixou, à data da sua morte, nas contas bancárias e património imobiliário:  entre 150 a 200 contos.



A reforma de Salazar, o ditador fassista e obscurantista:



Para perceber isto é preciso primeiro entender isto...e principalmente saber istoSalazar deixou 847 toneladas de ouro e 100 milhões de contos de divisas em cofre – a célebre "pesada herança" – que impediu que a fome nos batesse à porta, após o infeliz 25 de Abril, como se designa esse malfado evento da nossa História, outrora brilhante e invejável [ esta última frase não subscrevo, mas reconheço que o 25 de Abril tomou rumos de desgraça nacional, com as bancarrotas que se sucederam. E poderia ter sido diferente se a esquerda comunista e socialista, ou seja, a do multimilionário Mário Soares, fossem outra coisa que não são].

A democracia que temos, cujo pai se tornou multimilionário por obra e graça da "política", essa foi mais ou menos assim, como profetizava Marcello Caetano, num escrito que pode ser apócrifo, mas contém a essência do pensamento do mesmo sobre o assunto: 

“Em poucas décadas estaremos reduzidos à indigência, ou seja, à caridade de outras nações, pelo que é ridículo continuar a falar de independência nacional. Para uma nação que estava a caminho de se transformar numa Suiça, o golpe de Estado foi o princípio do fim. Resta o Sol, o Turismo e o servilismo de bandeja, a pobreza crónica e a emigração em massa.”
“Veremos alçados ao Poder analfabetos, meninos mimados, escroques de toda a espécie que conhecemos de longa data. A maioria não servia para criados de quarto e chegam a presidentes de câmara, deputados, administradores, ministros e até presidentes de República.”


Marcello Caetano, sobre o 25 de Abril


Na altura em que escrevi isto, completei assim: 

A profecia de Marcello Caetano cumpriu-se integralmente com uma agravante não prevista: não há quem tenha a noção da tragédia, em Portugal. Em quantidade ou qualidade suficientes, quero dizer. Capaz de inverter este unanimismo que se instalou na sociedade portuguesa e que é o seu principal mal moral.

Sem comentários: