segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

A Nova Comunicação Social do irrisório

O curso de Comunicação Social na Universidade Nova está aqui enunciado. Trata-se de um Curso de Ciências, não de Letras e o equívoco começa logo aí.

Os docentes ordinários e extraordinários também estão elencados:

Docentes de carreira:

António Fernando Cascais
António Granado
Ana Margarida Barreto
Carla Baptista
Cláudia Madeira
Cristina Ponte
Francisco Rui Cádima
Graça Rocha Simões
Jacinto Godinho
João Pissarra Esteves
José A. Bragança de Miranda
Luís Oliveira Martins
Marcin Lewinski
Margarida Medeiros
Maria Augusta Babo
Maria Irene Aparício
Maria Lucília Marcos
Maria Teresa Cruz
Marisa Torres da Silva
Paulo Nuno Vicente

Docentes convidados e colaboradores:
Alberto Arons de Carvalho
Giovanni Damele
Isabel Afonso de Sousa
João Guerra
José Manuel Costa
José Santana Pereira
Pedro Coelho
Sérgio Mah

O Plano de Estudos da Licenciatura que se apresenta é formidável! Leia-se:
Disciplinas obrigatórias:
Comunicação e Ciências Sociais
Direito e Deontologia da Comunicação
Discurso dos Media
Economia
Filmologia
Filosofia da Comunicação
História dos Media
Mediação dos Saberes
Métodos Quantitativos
Mutação dos Media
Retórica e Argumentação
Semiótica
Sistémica e Modelos da Informação
Sociologia da Comunicação
Teoria da Comunicação
Teoria da Imagem e da Representação
Teoria da Notícia
Teoria Política
Teorias do Drama e do Espetáculo
Textualidades

Tudo isto dá uma competência fantástica aos licenciados nessa Formidável expedição pelos lados ocultos de todas as luas. Assim:

O Curso de Licenciatura em Ciências da Comunicação visa a formação de licenciados com competências profissionais e académicas – tanto tecnológicas como críticas e criativas – no âmbito das linguagens e dos dispositivos da comunicação e das indústrias culturais, enquadradas numa perspetiva ampla e interdisciplinar.

Os licenciados em Ciências da Comunicação ficam habilitados com os conceitos, as ferramentas e as metodologias necessárias ao exercício profissional nas diferentes áreas da comunicação, designadamente em:
1. Jornalismo e comunicação social
a) Jornalismo impresso;
b) Jornalismo radiofónico;
c) Jornalismo televisivo;
d) Jornalismo multimédia e ciberjornalismo.
2. Comunicação estratégica e política
a) Marketing;
b) Publicidade;
c) Relações públicas;
d) Consultoria e assessoria de comunicação.
3. Cinema, televisão e media interativos
a) Produção e realização;
b) Programação cinematográfica e audiovisual;
c) Guionismo;
d) Conceção e produção de projetos multimédia.
4. Comunicação, cultura e artes
a) Crítica cultural;
b) Gestão e assessoria cultural;
c) Programação cultural;
d) Conceção e produção de projetos multimédia.

E quanto tempo demora a aquisição destas excelsas competências em todos esses domínios do saber esotérico das Humanidades e Ciências adjacentes?
Oh! Rápido:
Todos os cursos têm a duração de 3 anos letivos (6 semestres), que juntos somam um total de 180 créditos.

É com estes apetrechos técnicos adquiridos em tempo recorde que temos agora toda essa gente, desde o RAPioqueiro à nova génia Joana a escrever sobre tudo e todos nos programas de tv, rádio e jornais.

Estão a ver a qualidade do produto? É a imagem reflectida dos mestres que os ensinaram. Os nomes estão todos aí...com as carecas que nem cuidam de esconder.

Que miséria a que chegamos em 40 anos de democracia...

Já me esquecia: aqui há uns tempos houve um intelectual que numa entrevista disse que estes cursos eram todos de fancaria. Não disse fancaria. Disse pior que isso.

Deixou à curiosidade alheia o esforço em procurar saber quem foi, já que foi citado neste blog.

E são estes magníficos alunos destes cursos de fancaria que depois escrevem os magníficos textos cheios de calinadas e asneiras que ninguém corrige, sobre todos os assuntos possíveis e imaginários. Quando não sabem bem sobre o que escrever acerca de determinadas matérias que lhes escapam completamente, como é o caso notório do palerma RAP, inventam e asneiram.

Enfim.

Sem comentários:

O assalto do PS ao estado de direito